4 coisas que autônomos precisam saber sobre a emissão de boletos

O pagamento pela prestação de serviços por meio de emissão de boleto bancário faz parte da realidade brasileira. Pode-se dizer que é uma forma de recebimento simples se comparada ao cartão de crédito e que não pode ser desprezada, principalmente no comércio eletrônico. Saber como gerar boleto como pessoa física, portanto, é essencial.

Se você optou por oferecer essa maneira de pagamento aos seus clientes, está no caminho certo. Muitos indivíduos deixam de fechar negócios pela excessiva burocracia no preenchimento de cadastros ou por existir apenas uma opção de pagamento. Além de escolher essa alternativa, é preciso ter controle sobre os emitidos e os pagos, fazer um planejamento financeiro e ficar sempre de olho.

Então, como autônomo, é necessário compreender a emissão de boletos de maneira completa. Descubra como emitir como pessoa física e entenda como manter a melhor relação com os clientes!

Como gerar boleto como pessoa física?

É comum achar que essa forma de pagamento é limitada aos grandes empreendimentos e líderes do mercado. No entanto, a alternativa é viável mesmo para quem atua como pessoa física.

Desde que você utilize os recursos certos, terá uma emissão de boletos descomplicada, segura e que faz com que se destaque. Quer descobrir como fazer? Veja 4 dicas indispensáveis!

1. Escolha uma instituição para a emissão de boleto

Até pouco tempo atrás, para que pudesse emitir boletos pelo banco ou por uma instituição financeira para receber pagamentos era necessário que a pessoa física tenha uma conta-corrente, sendo titular. Também era preciso ter as carteiras de cobranças.

Esse serviço pode ser contratado junto ao banco para gerar boletos bancários. A partir deles, são criadas as identificações de pagamentos e esses são creditados diretamente na sua conta bancária.

Para contratar uma carteira de cobrança com seu banco, basta falar com seu gerente e expor que você quer passar a emitir boletos. O procedimento não é complexo, mas as taxas variam bastante entre as instituições e de acordo com o relacionado.

Outro caminho, mais comum hoje em dia para autônomos, é a utilização de meios de cobrança/pagamento on-line.

2. Use os meios de pagamento on-line

Já está se tornando frequente adotar, no lugar da tradicional carteira de cobranças do banco, meios de pagamentos on-line. O mais utilizado no mercado é o ASAAS, líder no segmento e ideal para os autônomos. Nessa modalidade, os boletos normalmente saem em nome de intermediários do pagamento.

Os meios de pagamento on-line representam uma forma rápida, prática e de baixo custo, pois necessitam de um breve cadastro e pouca documentação. Não existe custo fixo: o valor pago é por boleto e, nos demais meios, é cobrado um percentual sobre a venda.

3. Conheça os tipos de boletos

Caso você, como autônomo, opte pela emissão de boletos para clientes, saibam que existem 3 tipos. Conheça quais são!

Boletos avulsos

São os mais comuns, usados para fazer diversas cobranças. Por exemplo: uma escola pode se utilizar do boleto avulso para cobrar os pagamentos, material didático e assim por diante.

Boletos em forma de carnê

Utilizados, normalmente, para quem cobra mensalidades. É um tipo que leva à economia de tempo e dinheiro, pois você poderá gerar todas as prestações, enviando para o cliente em uma única postagem. Esse tipo de boleto é pagável em qualquer agência bancária.

Carnê simples

Caso você ainda não tenha conta-corrente, poderá usar o carnê simples. Esse carnê é para ser pago no próprio estabelecimento.

4. Utilize sites confiáveis

Muitos sites prometem emitir boleto em nome de pessoa física, usando seus dados para aplicar golpes. Fique atento a certificados de segurança e reclamações de consumidores.

Quando os sites são confiáveis eles geram trazem alguns custos, porque são intermediários entre você e o banco ou entre o serviço on-line de pagamento, cobrando por essa operação. Com o uso da solução líder de mercado, entretanto, pode obter excelentes condições.

Como otimizar a emissão de boletos?

Tão importante quanto criar essas guias de pagamento é fazer um controle desses elementos. Isso favorece a sua atuação e garante muito mais segurança para a sua atividade.

Agora que já sabe como gerar boleto como pessoa física, é o momento de colocar o controle em ordem. Veja algumas dicas na sequência!

Entenda o tipo certo para a sua atuação

Mesmo como autônomo, pode ser que você tenha dividido o valor de um serviço ou produto. Nesse cenário, elaborar um carnê é a melhor forma de garantir o pagamento dos clientes. Já no caso à vista, vale considerar dar algum desconto para a quitação em uma só vez.

Entenda a sua abordagem, o seu tipo de atuação profissional e, portanto, qual é o modelo adequado de boleto para as suas necessidades.

Acompanhe o pagamento dos boletos

Outro ponto importante consiste em ficar de olho em quais foram as guias pagas e quais ainda estão em aberto. Isso é essencial para enviar lembretes para quem ainda não pagou, por exemplo, de modo a evitar o vencimento.

Também é uma tarefa relevante para que você tenha controle sobre quem está inadimplente e quais são os valores que, de fato, podem entrar no seu negócio. Com a devida atenção, é mais fácil chegar a bons resultados de planejamento.

Conheça as contas a pagar e a receber

Para manter o controle da sua atuação, todo autônomo deve dar atenção redobrada para os valores envolvidos. A cada boleto emitido, inclua o montante como a ser recebido. No entanto, tenha cuidado: até que ele seja pago, esse dinheiro ainda não está no seu bolso. Conforme ocorrerem os pagamentos, dê baixa aos valores. Assim, saberá o quanto vai receber em determinado período.

Não se esqueça de considerar quais são as contas a pagar. Desse jeito, você entende se a sua atividade está no azul e se oferece um resultado interessante. Também dá para ter mais visibilidade sobre as necessidades da sua atuação no mercado.

Como e por que manter uma boa relação com os clientes?

A escolha pela emissão de boletos tem a ver com as preferências dos consumidores. Graças a essa forma de pagamento, as pessoas têm máxima conveniência, praticidade e conseguem quitar os valores sem dificuldades. Só com isso, já é possível melhorar o relacionamento com os indivíduos de interesse.

No entanto, também é preciso manter uma relação adequada. Estabelecer uma boa comunicação e garantir um atendimento diferenciado são aspectos indispensáveis. Ainda é essencial sempre estar disposto a ajudar os clientes e facilitar o processo de pedido e pagamento.

Ao cuidar desse relacionamento, os impactos são muito positivos. Veja algumas vantagens dessa abordagem!

Atendimento diferenciado

Com uma relação adequada e com boa comunicação, você é capaz de oferecer um atendimento único. Esse contato e a aproximação são determinantes para dar a sensação de personalização. Na prática, isso é muito bem-vindo para a abordagem profissional.

Faça com que as pessoas se sintam importantes e se mantenha presente na vida de quem compra. É algo que melhora a visão sobre a sua atividade e que garante um desempenho diferenciado.

Melhor comportamento de pagamento

Outro ponto destacável do relacionamento tem a ver com a quitação dos valores. Afinal, com uma relação mais próxima, é fácil acompanhar se alguém realizou os pagamentos ou se ainda está em aberto. Com os lembretes adequados, ocorre a quitação dos débitos.

Além de tudo, o próprio atendimento motiva as pessoas a concluírem a etapa. Na prática, isso melhora o fluxo financeiro, ajusta as contas a receber e otimiza o desempenho da sua atuação. Com mais dinheiro no bolso, é possível manter sua atividade e lucrar com ela.

Fidelização de consumidores

A emissão de boletos, por si só, já é um componente voltado para a satisfação. Com toda a praticidade envolvida e a sensação positiva, as pessoas têm motivos extras para comprar de novo.

O relacionamento é um fator extra para esse aspecto. Graças à proximidade e à boa experiência, os consumidores ficam dispostos a fazer negócios outras vezes. O atendimento, portanto, é determinante para fidelizar clientes e diminuir os esforços para conquistar mais vendas.

Maior segurança para a atuação

Quem é autônomo sabe que o cenário pode se tornar imprevisível. Não há valores fixos para receber, então ter um bom planejamento é essencial para dar conta de tudo. Com a emissão de boletos associada a um relacionamento de qualidade, é possível controlar os números e acompanhar os pagamentos de perto.

Isso ajuda a elaborar planos de contas a pagar e a receber, o que fortalece o controle financeiro. O aumento da fidelização também é importante, já que você passa a contar com um número maior de possíveis pedidos. Na prática, esses são pontos que tornam a atuação mais segura e fazem com que consiga se manter no setor.

Garantia de diferenciação no mercado

Ao trabalhar de forma autônoma, é preciso encarar uma concorrência intensa. Além de superar outros profissionais, é fundamental ser capaz de vencer grandes empresas e marcas conhecidas.

Com um relacionamento diferenciado e personalizado, há a chance de se destacar. Esse acompanhamento oferece humanização no contato e faz com que as pessoas se aproximem.

O controle de custos e a diminuição de gastos gerada pela fidelização também são essenciais para melhorar a lucratividade. Com uma atuação interessante, você consegue se destacar da concorrência.

Profissionalize seu negócio e deixe seus processos mais práticos com ajuda da tecnologia para alcançar novos consumidores ao automatizar a emissão de boletos. Além de saber como emitir boletos como pessoa física, você vai controlar o status de pagamento e gerar relatórios. Como consequência, é algo que facilita a gestão do seu negócio e aumenta as vendas.

Como a escolha da solução faz toda a diferença, entre em contato conosco da ASAAS e tenha o apoio da líder de mercado!

O Autor
Vice-presidente no Asaas
Gerar boleto

Esteja sempre bem informado sem pagar nada!

Cadastre-se e receba um e-mail semanal com as últimas novidades do blog.