6 tipos de nota fiscal eletrônica que um empreendedor deve conhecer

Por Redação Asaas
Publicado em 23 de setembro, 2015 | Atualizado em 20 de maio, 2022

Ter atenção redobrada e manter o sistema fiscal da empresa organizado é um dever para todo gestor ou empreendedor. Nesse sentido, entender os diferentes tipos e categorias de nota fiscal eletrônica para saber qual utilizar é imprescindível.

Apesar das facilidades proporcionadas pela emissão eletrônica das notas fiscais, o sistema tributário brasileiro ainda é considerado complexo – para evitar transtornos, é preciso conhecer bem os tipos, funcionalidades e aplicações de cada tipo de nota.

Mas, afinal, você já conhece os modelos de nota fiscal eletrônica? Se ainda tem dúvidas, este post vai ajudar! Continue a leitura e veja os 6 tipos de nota fiscal eletrônica que podem ser utilizadas por um negócio, além de outras informações relevantes sobre o assunto!

Conteúdo

A importância das notas eletrônicas

A era digital trouxe facilidades importante para as empresas, transformando serviços que eram burocráticos e exigiam tempo em tarefas simples e rápidas. A emissão de nota fiscal eletrônica é um exemplo claro, pois oferece oportunidades para otimizar a gestão.

Nesse contexto, as notas fiscais eletrônicas são importantes por oferecer vantagens essenciais, como:

  • redução do custo com emissões;
  • otimização do arquivo físico;
  • maior agilidade;
  • aumento da segurança, devido ao certificado digital;
  • facilidade no controle das notas emitidas;
  • facilidade na consulta ao histórico e arquivos.

Além disso, a nota fiscal eletrônica facilita a gestão da contabilidade da empresa, permitindo que a equipe se concentre em pontos relevantes sobre questões tributárias e obrigações legais, já que o processo de emissão e controle de notas é digital e prático.

6 tipos de nota fiscal eletrônica

Os modelos de notas fiscais eletrônicas foram implementados pelo Sistema Público de Escrituração Digital (SPED) para aperfeiçoar e agilizar os processos entre os consumidores de bens e serviços, o fisco e as empresas contribuintes.

Hoje em dia, então, visando aumentar a fiscalização e o controle, as notas fiscais devem ser emitidas e armazenadas em formato digital pelas empresas. Dessa maneira, as operações passam a ter altíssima garantia, ótima confiabilidade e transparência.

Veja os principais tipos de nota fiscal eletrônica para utilizar em seu negócio!

1. NF-e

A Nota Fiscal Eletrônica (NF-e) está relacionada às operações de venda de produtos suscetíveis à aplicação do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) e substitui os antigos modelos 1 e 1A.

Para garantir sua validação, é necessária a assinatura digital do emitente, além da autorização expedida pela Secretaria da Fazenda do respectivo Estado. Por esse motivo, é um processo seguro e que evita contratempos e irregularidades.

Esse documento ajuda a recuperar informações sobre ICMS e IPI, e sua grande vantagem para o emissor é apressar a emissão das notas, além de reduzir os custos de armazenamento e com a impressão em papel.

Já para quem recebe, a vantagem está no seu alto grau de confiabilidade, visto que os erros de digitação caem consideravelmente – um fator que proporciona tranquilidade e evita perder tempo com processos longos de análise em cada nota recebida.

2. NFS-e

A Nota Fiscal de Serviço Eletrônica (NFS-e) entra no lugar da Declaração de Serviço e tem como responsáveis os municípios, visto que o ISS é recolhido por meio desse documento. A NFS-e é utilizada para confirmar as faturas de serviço, bastando para isso que o prestador utilize sua senha para entrar no sistema e emitir a nota.

Vale lembrar que seu prazo de arquivamento é de cinco anos e que cada NFS-e está relacionada a somente um tipo de serviço. Suas demais características são:

  • a possibilidade de a empresa oferecer o serviço primeiro e a NFS-e ser faturada após o mesmo ser terminado;
  • a obrigação de cada NFS-e ter o código fornecido por cada prefeitura;
  • a possibilidade de fazer os ajustes do imposto de acordo com o cálculo municipal;
  • o dever empresarial de validar e guardar a NFS-e no formato XML;
  • a permissão de se cancelar a NFS-e até 30 após o documento ser emitido.

3. CT-e

Em setembro de 2012, o Conhecimento de Transporte Eletrônico (CT-e), que engloba todas as áreas da logística — como o transporte de avião, rodoviário ou aquaviário — foi incluído no rol de documentos eletrônicos obrigatórios da legislação brasileira.

Para que tenha validade, porém, é preciso que conte com a assinatura de quem o está emitindo, visto que é o emissor quem garante a integridade das informações perante a Receita Federal.

Dessa maneira, as empresas asseguram a agilidade do processamento das faturas, além de diminuírem possíveis problemas entre produtos transportados e suas notas, já que o CT-e busca cortar duplicidades. Lembrando que essa nota já é válida em todos os Estados brasileiros.

4. NFC-e

A versão eletrônica da Nota Fiscal de Consumidor (NFC-e) busca proporcionar um controle mais fácil para o fisco e produzir muitos benefícios, sendo que alguns deles são a redução de custos e a maior agilidade para os empreendedores.

Dessa forma, o arquivo serve para provar legalmente que o consumidor comprou algum produto, além de demonstrar os custos dessa operação para processos fiscais. Por conta de sua grande relevância, esse tipo de nota vem sendo cada vez mais emitido pelos contribuintes.

5. NFA-e

A Nota Fiscal Avulsa (NFA-e) é uma nota para negócios que não tem obrigatoriedade de contribuir com o ICMS, que geralmente são os Microempreendedores Individuais (MEI) e as pequenas empresas, que possuem tributações diferentes de outros tipos.

Para emitir a NFA-e, é preciso que o empreendedor tenha um cadastro do negócio no sistema e esteja regularizado junto ao município e ao estado. Com isso, as regras para esse tipo de nota fiscal podem variar de acordo com a região.

6. CF-e

O Cupom Fiscal Eletrônico é um documento para transações comerciais de serviços ou produtos que pode ser encontrado apenas em meio digital. É emitido com obrigatoriamente com a assinatura digital do contribuinte, previamente autorizada pelo fisco.

Além desses tipos de nota fiscal, é possível encontrar outros específicos, como a Nota Complementar, utilizada para corrigir valores, Nota Fiscal de Exportação, Conhecimento de Transporte Eletrônico e Manifesto de Documentos Fiscais Eletrônicos.

A nota fiscal eletrônica existe em diversos tipos para atender atividades específicas, com propósitos diferentes. Sendo assim, os gestores devem ter atenção para emitir notas de acordo com as atividades e sistema tributário adotado pela empresa.

Dessa forma, é possível trabalhar com a tranquilidade de saber que as obrigações contábeis estão sendo devidamente cumpridas. Isso vale tanto para emitir nota fiscal para o cliente com segurança como arcar com os impostos obrigatórios para o funcionamento regularizado.

Como você pode notar neste artigo, existem diversos tipos de nota fiscal eletrônica, aplicável em atividades comerciais distintas. Portanto, é imprescindível ter apoio para utilizar a opção correta e sempre contar com a tecnologia para reduzir as burocracias e otimizar a gestão na sua empresa.

Gostou do post? Descubra com o Asaas pode te ajudar a ganhar mais tempo e reduzir a burocracia por meio da automação de notas fiscais de serviço.

No Asaas você tem negativação de devedores