• Home
  • |
  • Cobrança
  • |
  • Pix Descomplicado: o que você precisa saber sobre pagamento instantâneo

Pix Descomplicado: o que você precisa saber sobre pagamento instantâneo

Por Redação Asaas
Publicado em 9 de outubro, 2020 | Atualizado em 19 de janeiro, 2022

Já imaginou como seria ter um meio de pagamento que combinasse o custo fixo e a liquidez diária do boleto com a praticidade e a confirmação imediata do cartão? O Pix traz o melhor dos dois mundos e é o futuro dos recebimentos no Brasil. 

Neste post vamos te explicar tudo o que você, empreendedor, precisa saber sobre o uso dessa ferramenta e quais vantagens ela pode oferecer.

Conteúdo

O que é o Pix?

O Pix é um meio de pagamento instantâneo criado pelo Banco Central, que possibilita o envio e recebimento de dinheiro em tempo real, a qualquer momento. O serviço, disponibilizado em novembro de 2020, pode ser usado por pessoas físicas e jurídicas, que sejam titulares de conta em banco ou fintech (empresa de tecnologia financeira) cadastrado no Pix.

Além de facilitar transações financeiras e comerciais, o novo meio de recebimento vai ajudar a aumentar a competitividade do sistema financeiro nacional e dará mais autonomia aos seus usuários. Para empreendedores, representa uma ótima oportunidade para melhorar os processos financeiros e de cobrança.

De acordo com dados do próprio Banco Central, em um único dia foram movimentados R$ 40,4 milhões entre pagamentos e transferências pelo Pix. O recorde foi registrado na antevéspera do Dia dos Pais. Esse é o maior número registrado até o momento. 

Essa transação faz parte de um ecossistema integrado, que centraliza as movimentações e informações dos pagadores e recebedores. Trata-se de um grande avanço na tecnologia bancária brasileira, que promete revolucionar a forma como pessoas, empresas e governos lidam com dinheiro.

Mas, afinal, para que serve o Pix?

O Pix pode ser usado para transferir dinheiro:

  • de pessoa física para pessoa física;
  • entre pessoas físicas e pessoas jurídicas (inclusive comércio eletrônico);
  • entre pessoas jurídicas (para pagamentos de fornecedores, por exemplo);
  • entre pessoas físicas/jurídicas e governo (para pagamento de taxas e impostos);
  • entre governo e pessoas físicas/jurídicas (para pagamento de salários e benefícios sociais e pagamento de convênios e serviços).

Benefícios do Pix: 5 motivos para adotar esse meio de pagamento

1. Agilidade

Através do Pix, enviar e receber dinheiro é muito mais fácil e rápido. Afinal, o Pix funciona 24 horas por dia, 7 dias na semana, todos os dias do ano, inclusive aos finais de semana e feriados. E o melhor: transações que antes demoravam dias, agora são efetuadas em questão de segundos.

Com apenas alguns cliques, seus clientes podem transferir dinheiro para você direto do celular. Basta que você informe um QR Code ou sua chave Pix. Da mesma forma, você, empreendedor, também pode realizar transações com outras empresas, órgãos públicos e pessoas físicas, facilitando o controle financeiro.

2. Tarifas mais baixas

O Pix centraliza as operações financeiras, encurtando o caminho que o dinheiro percorre de uma conta a outra. Ao reduzir o número de intermediários na cadeia de recebimento, é natural que os custos fiquem mais baratos e se reflitam em tarifas mais baixas. Parece mentira, né? Mas é isso mesmo, não tem pegadinha.

Pessoas físicas e jurídicas podem ser tarifadas e as taxas variam conforme a instituição financeira ou de pagamentos.

3. Segurança

Se você ainda tem algum receio sobre o uso do Pix, pode ficar tranquilo. O ecossistema integrado do qual o Pix faz parte opera com tecnologia de ponta para proteger os usuários e as transações realizadas pela plataforma digital.

Conforme o Bacen, todas as informações são criptografadas e as transações ocorrem através de mensagens assinadas digitalmente. Além disso, o sistema conta com mecanismos de proteção e indicadores para auxiliar na prevenção de fraudes e lavagem de dinheiro. Por isso, saiba que o dinheiro do seu negócio está muito bem cuidado!

4. Otimização da gestão financeira

Como o Pix possibilita a disponibilização imediata dos recursos, é muito mais fácil controlar a entrada e saída de dinheiro, otimizando o fluxo de caixa. Dessa forma, também se reduz a necessidade de concessão de crédito e empréstimo para capital de giro, contribuindo para melhorar a saúde financeira de micro, pequenas e médias empresas.

Outra melhoria para a gestão financeira é a facilidade de conciliação de pagamentos. Isso porque a ferramenta permite a circulação de informações importantes junto com a ordem de pagamento, incentivando o desenvolvimento de soluções integradas para automatizar esse processo de negócio. Ou seja, mais eficiência e assertividade para os empreendedores.

5. Melhoria na experiência do cliente

O Pix dispensa o uso de cartões e maquininhas, cédulas e moedas, cheques, impressão de boletos e a necessidade de informar muitos dados para realizar uma simples transferência de dinheiro. Basta ter um celular por perto. Além disso, o Pix permite o envio e recebimento de qualquer valor, de forma rápida e a um custo acessível.

Dessa forma, com a ajuda do Pix, os empreendedores conseguem oferecer uma experiência muito melhor para os consumidores simplificando as cobranças e aumentando as vendas e a competitividade do negócio.

Os consumidores podem realizar pagamentos através da sua lista de contatos no celular ou após a leitura do QR Code. Tudo isso com muita segurança e rapidez.

Como o Pix funciona?

Em um primeiro olhar, o Pix pode até se parecer com uma TED ou DOC, exceto pelo fato de que o recebimento ocorre em pouquíssimos segundos e muitas vezes não é necessário preencher mais do que uma informação. 

Vamos entender melhor quais as formas de fazer um Pix?

Chave Pix

A forma mais rápida e fácil de fazer um Pix é através de uma chave, ou seja, por meio de um “apelido” que possibilita o acesso às informações completas da sua conta bancária. Assim, é muito mais fácil identificá-la, eliminando a necessidade de inserir muitos dados cadastrais.

Uma pessoa física pode ter até 5 chaves para cada conta da qual seja titular, enquanto uma pessoa jurídica pode ter até 20 chaves para cada conta da qual seja titular. Não é possível cadastrar uma mesma opção  em mais de uma conta.

Entre os tipos de chave que você pode escolher estão: 

  • CPF/CNPJ;
  • e-mail;
  • número de telefone celular; e/ou 
  • chave aleatória (conjunto de números, letras e símbolos gerados aleatoriamente).

Então, imagine que você tem uma loja de artesanato e é titular de duas contas bancárias. Você pode optar por:

  • vincular todos os tipos de chave Pix à sua conta bancária principal; ou
  • usar CPF e e-mail para identificar sua conta principal e usar CNPJ e uma chave aleatória para identificar sua conta bancária secundária, por exemplo.

Caso você seja titular de uma terceira conta bancária, pode utilizar o número de telefone como chave Pix (e ainda vão sobrar 15 chaves). As situações apresentadas são hipotéticas, você pode e deve escolher o que for melhor para você e para o seu negócio. Ah, e não se preocupe: se você quiser mudar o vínculo de uma chave (por exemplo, vincular o seu CNPJ à sua conta bancária principal), é possível solicitar a portabilidade com apenas alguns cliques.

Embora o cadastramento de uma chave Pix não seja obrigatório nem a única forma de utilizar o pagamento instantâneo, é altamente recomendável que você o faça.

QR Code

Outra forma de fazer um Pix é por meio de um QR Code, ou seja, de um código que pode ser lido através da câmera de qualquer celular. O QR Code pode ser dinâmico ou estático e você, empreendedor, pode escolher livremente qual deles utilizar. Confira as principais diferenças entre esses dois tipos, segundo o próprio Banco Central:

QR Code Dinâmico

  • uso exclusivo a cada transação;
  • além do valor, permite a inserção de outras informações, como a identificação do recebedor;
  • gerado por um sistema, para diversas transações;
  • facilita a conciliação e automação comercial.

QR Code Estático

  • uso em múltiplas transações;
  • permite definir um valor fixo para um produto ou a inserção de um valor pelo pagador;
  • ideal para pequenos varejistas, prestadores de serviço e pessoas físicas.

Outras formas de fazer um Pix incluem o pagamento por aproximação (tecnologia NFC) e a inserção dos dados bancários completos do recebedor (como ocorre hoje na TED e DOC).

Qual a diferença entre o Pix e outros meios de pagamento?

Confira na tabela abaixo as principais diferenças entre o Pix e outros meios de pagamento, como boleto, cartão de débito, cartão de crédito, DOC e TED.

Como funciona o recebimento via Pix?

Agora que você já sabe como funciona o Pix e quais são as opções de pagamento, essa é a hora de conhecer outra funcionalidade: o recebimento por Pix. Isso porque a plataforma possibilita diversas formas de pagamento, que podem ser feitas de um banco para outro. 

É importante mencionar que esse pode ser um formato vantajoso para você, empreendedor, principalmente se o seu negócio registra diversas transações todos os dias e conta com a presença constante do público, como lojas ou estabelecimentos de alimentação.

Além da facilidade para os colaboradores, os clientes também agradecem, afinal, essa modalidade de pagamento pode diminuir as filas e deixar o serviço ainda mais ágil. 

Então, para implementar a solução, é importante compreender que existem quatro  formas de receber: pelo QR Code (estático ou dinâmico), por meio da chave cadastrada, Pix copia e cola ou informando os dados da conta. 

No primeiro caso, basta acessar o aplicativo e gerar o código que será lido pelo celular do comprador. Após a confirmação, o dinheiro já é transferido em poucos segundos. 

Quando o procedimento é feito pela chave, basta informar a opção cadastrada. Assim o consumidor poderá colocar as informações no celular e enviar a quantia desejada.

Se a empresa for atuar com essa opção, uma boa dica pode ser a impressão de diversos avisos com o código. Ao disponibilizar as folhas pelo  estabelecimento, será mais fácil para o consumidor encontrar os dados e realizar a transação. 

Já a solução copia e cola é muito utilizada, principalmente para as empresas que atuam no e-commerce. Após finalizar a compra, o consumidor recebe a fatura e tem a opção de copiar o código. Em seguida, basta abrir o aplicativo do banco, selecionar a opção e colar os números. 

Também é possível informar os dados para que seja feita a transação de uma instituição bancária para outra. Nesse caso, a inserção é feita de forma semelhante ao TED e DOC, que você já deve estar familiarizado. A principal diferença entre os meios de transferência citados é que o recebimento é instantâneo. 

No entanto, apesar das diferentes formas de recebimento via Pix, o mais recomendado é o uso da chave e QR code, por serem mais práticos.

Leia também: Pix troco: como funciona e como oferecer em seu estabelecimento

Pix PJ: como funciona e quais são os benefícios?

Há quem acredite que as mudanças causadas pelo Pix podem impactar apenas as pessoas físicas. Mas é válido destacar que esse mecanismo também pode ser utilizado por pessoas jurídicas, incluindo aqueles que atuam como PJ.

Para utilizar o serviço, o primeiro passo é abrir uma conta ou carteira digital em um dos bancos ou fintechs participantes do Pix. Depois, basta cadastrar a chave e começar a usar. 

Após a realização de algum serviço ou venda, o próximo passo é encaminhar o código para o cliente e aguardar o pagamento. Lembre-se de sempre enviar os dados principais, como nome e instituição bancária junto com a chave cadastrada.

Além de ser uma opção segura, essa é uma maneira rápida de receber, afinal, basta encaminhar as informações. E se você contar com uma ferramenta de solução em cobranças, a própria plataforma envia automaticamente a fatura para o cliente, sem a necessidade de encaminhar códigos ou dados de forma manual. Ainda mais praticidade para facilitar a vida do empreendedor.

Outra vantagem é que você não precisa ficar esperando pelo próximo dia útil para receber ou aguardar a compensação de um boleto, por exemplo. Assim fica fácil estruturar o fluxo de caixa e a organização financeira, não concorda?

Mas é fundamental estar atento às taxas cobradas por cada uma das instituições. Isso porque o Bacen declarou que é responsabilidade de cada um decidir o valor que será cobrado para o Pix PJ. 

Por mais que esse serviço seja gratuito para a maioria das pessoas, as empresas precisam pagar uma tarifa, semelhante ao TED e DOC.

Levando em consideração os números divulgados por alguns bancos, os acréscimos podem variar entre 0,99% e 1,4% do valor total da transação. Em alguns casos, é possível contar com um valor mínimo e máximo para pagamento. Além disso, algumas empresas optam por cobrar uma taxa fixa por transação, o que pode auxiliar no planejamento financeiro dos empreendedores.

Como funciona o Pix no Asaas?

No Asaas, você cobra seus clientes de forma instantânea com o Pix. Disponível durante os 365 dias do ano, a ferramenta oferece o cálculo automático dos juros, multas e descontos. 

Para desfrutar da solução, basta acessar a plataforma do Asaas e gerar a cobrança. O próximo passo é o envio automático para o usuário. A única coisa que você precisa fazer é informar a data de validade, valor e vencimento.

Depois de receber a cobrança, o consumidor só precisa escanear o QR Code ou copiar o código de pagamento. Outra vantagem do Asaas é que você escolhe a forma como vai utilizar o saldo, optando pela utilização do cartão ou transferência para outras contas. 

Além do recebimento instantâneo, a taxa também chama a atenção, já que receber utilizando o Pix Asaas custa apenas R$ 0,99 por transação recebida nos três primeiros meses e, após esse período, R$ 1,99 por transação recebida. O serviço de lembretes automatizados via e-mail e SMS também é outro diferencial que pode contribuir com a queda nos números de inadimplência

Se você deseja encontrar uma plataforma que receba pagamentos por Pix e ainda conte com emissão de nota fiscal, antecipação de cobranças, robô de voz e negativação no Serasa, essa é a solução certa. 

Crie sua conta gratuita no Asaas e comece a receber com Pix agora mesmo!

Simplifique o recebimento de cobranças com o Asaas