Formas de pagamento: como escolher a melhor para seu negócio?

Por Diego Contezini
Publicado em 28 de abril, 2021 | Atualizado em 14 de setembro, 2021

Uma das etapas mais importantes da venda é quando o cliente realiza o pagamento em troca do produto ou serviço prestado. Por ser um momento tão crucial, é necessário verificar se as formas de pagamento oferecidas são adequadas ao público atendido. Caso não sejam, isso pode acabar gerando desistências na hora de finalizar a compra.

De acordo com a Distrito, os meios de pagamento mais utilizados pelos brasileiros são, respectivamente, o dinheiro em espécie (utilizado por 96% da população), seguido pelo cartão de débito (52%) e de crédito (46%). Em relação ao volume transacionado, o cartão é responsável por 41,5% da quantidade movimentada, enquanto o dinheiro é responsável por 36,5%, o que sugere um crescimento no uso do cartão.

Esses dados refletem o cenário geral de meios de pagamento no Brasil. Mas como escolher a melhor opção para seu negócio? Será que oferecer todas as formas de pagamento é uma opção viável? Continue lendo e descubra dicas preciosas para tomar a melhor decisão!

Conteúdo

O que são formas de pagamento?

Formas de pagamento são ferramentas online e offline que permitem ao empreendedor receber dinheiro de seus clientes. Cada uma delas possui características próprias, vantagens e desvantagens. Entre as principais podemos citar:

  • Dinheiro;
  • Cartão de débito;
  • Cartão de crédito;
  • Boleto bancário;
  • Link de pagamento;
  • Pix;
  • TED/DOC.

História dos meios de pagamento

A história dos meios de pagamento começa ainda no período da pré-história, através de práticas como o escambo. O escambo era um sistema de trocas de mercadorias, em que uma pessoa trocava um produto ou serviço por outro, sem envolvimento de cédulas e moedas (que não existiam naquela época). Por exemplo, um agricultor que troca milho em troca do serviço de um sapateiro está praticando o escambo.

O gado também era muito utilizado como moeda de troca em transações comerciais, caracterizando a pecúnia. Além disso, o sal já foi um meio de pagamento, inclusive, é dessa prática que veio o termo salário.

Ao longo do tempo, a humanidade percebeu a necessidade de adotar um meio de troca que fosse aceito por todos e fácil de mensurar. É com esse propósito que surge a moeda de ouro, caracterizada por ser fácil de dividir, acumular, transportar e identificar (afinal, o ouro é um dos poucos metais que possuem a coloração amarela/dourada).

Do metal precioso ao uso de cédulas foi um passo. Tudo começou quando as pessoas passaram a deixar suas moedas de ouro em locais de confiança, como as ourivesarias. Os ourives, que cuidavam do ouro, guardavam as moedas e entregavam um papel que informava a quantidade de ouro que havia sido entregue e de quem era a posse.

Isso bastou para que as pessoas começassem a trocar o papel ao invés das moedas, posteriormente dando origem ao uso das cédulas. Daí em diante surgiram os bancos, que passaram a aceitar esse papel-moeda, e também os órgãos reguladores, responsáveis controlar a emissão de dinheiro, evitando fraudes e centralizando o poder.

Quais são as principais formas de pagamento e quando usar cada uma delas?

A seguir, te explicaremos quais as principais formas de pagamento, as vantagens e desvantagens de cada uma delas, bem como as principais indicações de uso.

dinheiro nota de cem reais

Dinheiro

Como vimos anteriormente, o dinheiro em espécie ainda é a principal forma de pagamento utilizada pelos brasileiros. Isso ocorre principalmente porque o Brasil possui uma grande população de desbancarizados: são 45 milhões de pessoas, que movimentam mais de R$ 800 bilhões anualmente. Em outras palavras, 1 a cada 3 brasileiros não possuem conta em banco, conforme aponta matéria da Infomoney.

Uma das principais vantagens do dinheiro é que esse meio de pagamento possui liquidez imediata, ou seja, não é preciso ficar esperando para receber o valor. Outro ponto bastante atrativo é a ausência de taxas: o empreendedor não paga nada para receber de seu cliente, podendo inclusive conceder descontos para incentivar a compra.

Apesar desse meio de pagamento funcionar muito bem em vendas de baixo valor, armazenar uma quantidade muito grande de dinheiro em caixa pode acabar comprometendo a segurança do estabelecimento. Afinal, se a sua loja não tiver ferramentas de segurança e você for roubado, o prejuízo será todo seu.

cartao

Cartão de débito e crédito

O cartão é uma forma de pagamento que surgiu nos Estados Unidos, a partir dos cartões-fidelidade que os estabelecimentos ofereciam aos clientes. Como o cartão era associado ao estabelecimento, as pessoas muitas vezes tinham vários cartões, um para cada loja.

Em 1950, a Diners Club International criou um cartão que poderia ser utilizado em diferentes restaurantes, mediante o pagamento de uma taxa administrativa referente ao recebimento da cobrança via cartão, dando origem ao cartão como conhecemos hoje.

Atualmente, existem duas formas de cobrar os clientes por meio de cartão: o débito e o crédito. No débito, o valor da cobrança é descontado imediatamente da conta do pagador. Já no crédito, o pagador realiza o pagamento da parcela apenas quando for quitar a fatura do cartão. Em ambos os casos, o empreendedor recebe o dinheiro em até 45 dias, dependendo da adquirente.

As principais vantagens do uso do cartão é que o cliente não precisa sacar o dinheiro para conseguir efetuar a compra. Além disso, no caso do crédito, é possível fazer parcelamentos, aumentando as chances de o cliente obter produtos ou serviços com um valor mais alto.

Por outro lado, a cobrança por cartão exige o pagamento de algumas taxas e a compra ou aluguel de maquininhas de cartão. A demora no recebimento também pode ser considerada um fator negativo. Em média, o empreendedor demora 30 dias para receber o dinheiro das vendas. No caso do parcelamento, esse prazo pode se estender ainda mais, dependendo do número de prestações.

A cobrança via cartão é indicada tanto para lojas físicas quanto para e-commerces. Uma forma de contornar a demora no recebimento é contratar o serviço de antecipação de recebíveis, que permite o adiantamento de parte do dinheiro. Em relação ao aluguel ou compra de maquininhas, atualmente já é possível transformar o seu celular em uma maquininha de cartão e fazer tudo pelo dispositivo móvel.

Em relação às taxas, como se trata de um serviço de alta complexidade, que envolve muitos papéis e fluxo de atividades, é natural que a cobrança via cartão seja cobrada. Os custos acabam valendo a pena a longo prazo, dependendo do volume de dinheiro transacionado. Apesar disso, é sempre bom fazer um comparativo de taxas para encontrar as opções mais econômicas.

boleto

Boleto bancário

O boleto bancário é uma forma de pagamento praticamente exclusiva do Brasil. Ele foi regulado em 1993 e, desde então, conquistou o coração dos brasileiros. Sua principal vantagem é que o cliente não precisa ter conta em banco para realizar o pagamento. É possível quitar o boleto em lotéricas, caixas eletrônicos ou via internet, através de carteiras digitais, aplicativos financeiros e internet banking.

Além disso, o boleto bancário permite um rápido recebimento do dinheiro, levando em média de 1 a 3 dias úteis para compensação. Não há necessidade de transportar o dinheiro e, assim como o cartão de crédito, permite fazer parcelamentos e criar assinaturas (cobranças recorrentes).

Apesar de também ter taxas associadas, o boleto bancário geralmente sai mais barato do que as taxas de maquininha de cartão. Por outro lado, o seu risco de inadimplência é maior. Isso pode ser resolvido com a adoção de uma régua de cobrança que, por sua vez, faz o envio de notificações antes e depois do vencimento, reduzindo a inadimplência por esquecimento. Outra saída é acionar a negativação no Serasa, facilitando a recuperação de dinheiro.

link de pagamento

Link de pagamento

Um link de pagamento é um método de cobrança que facilita as vendas e doações online. Basta criar um link para seu produto, serviço ou campanha de arrecadação e compartilhar com seus clientes ou apoiadores. Trata-se de uma ótima estratégia para vender nas redes sociais sem precisar de um e-commerce.

O link de pagamento permite que o cliente escolha qual a melhor forma de pagamento para ele, aumentando as chances de recebimento. Ainda é possível acrescentar fotos de seus produtos, tornando o link mais atrativo e confiável para os clientes. Em relação às desvantagens, não há nenhuma relevante, mas dependendo do volume de vendas e da variedade de produtos oferecidos, ter um e-commerce pode ser mais adequado.

pix pagamento instantaneo

Pix

O Pix é um meio de pagamento instantâneo criado pelo Banco Central. Essa forma de pagamento possibilita o envio e recebimento de dinheiro em tempo real, 24h por dia, 7 dias na semana. Basta realizar a transferência entre as chaves Pix (CPF, CNPJ, e-mail, telefone ou chave aleatória) ou gerar um QR code dinâmico ou estático para o cliente.

O Pix proporciona agilidade nas transações e possui tarifas mais baixas, além de ser extremamente seguro. Sua única desvantagem é ainda não permitir o parcelamento das cobranças, o que está previsto para ser entregue ainda em 2021, através do Pix Garantido.

transferencia bancaria

Transferência bancária (DOC/TED)

Outra forma de pagamento é a tradicional transferência bancária, que pode ser feita através de DOC ou TED. 

TED significa Transferência Eletrônica Disponível e é uma operação que pode ser realizada por pessoa física ou jurídica. Ela permite a transferência de recursos entre diferentes instituições. Não há limite de valor a ser transferido e, quando a operação é realizada antes das 17h, o dinheiro é repassado ainda no mesmo dia. Basta informar os dados da conta bancária de quem for receber o dinheiro.

No caso do DOC, que significa Documento de Ordem de Crédito, há um limite de R$ 4.999,99 que pode ser transferido. Acima disso é necessário fazer uma TED. O prazo para transferência de dinheiro é de 1 dia útil.

Com o lançamento do Pix, a tendência é que o uso de TED e DOC caia gradativamente. Suas principais desvantagens são o tempo de espera para recebimento do dinheiro, o limite de valor (no caso do DOC) e taxas um pouco maiores (em comparação com o Pix).

Como escolher a forma de pagamento mais adequada para seu negócio

Escolher as melhores opções de pagamento para seu negócio não é tarefa fácil, certo? Confira algumas dicas para acertar nessa decisão:

Pergunte aos seus clientes

Parece óbvio, mas os clientes da sua empresa são uma fonte riquíssima de informações. Então, nada melhor do que perguntar diretamente a eles quais meios de pagamento eles preferem e por quê. É natural que pessoas mais velhas estejam mais acostumadas ao uso de meios mais tradicionais, como boleto e cartão. Já os mais jovens costumam ser adeptos dos pagamentos digitais e mais modernos, como carteiras online e Pix. 

Confirme suas hipóteses com seus clientes e verifique o que é possível fazer a respeito. Você pode fazer isso através de um formulário de pesquisa ou dialogando com os clientes no dia a dia, durante as vendas, por exemplo.

Pesquise preços e taxas

Quanto menor a tarifa, melhor, né? Nem sempre! A melhor taxa é aquela que atende às suas necessidades e cabe no seu bolso. Portanto, é importante sempre pesquisar em diferentes empresas e fornecedores de meios de pagamento para entender o serviço oferecido e as taxas praticadas. 

Dica: dê preferência a plataformas de gestão de pagamentos que cobrem pelo uso, sem mensalidades ou taxas de adesão. Esse é o caso do Asaas, uma ferramenta completa para sua gestão financeira.

Observe seus concorrentes

Outra prática interessante na hora de escolher os meios de pagamento para seu negócio é verificar quais os seus concorrentes estão usando. Com um olhar atento a isso, combinado à pesquisa com os clientes, você será capaz de identificar lacunas e diversificar suas formas de pagamento, de modo a ter uma vantagem competitiva sobre seus concorrentes.

Por exemplo, vamos supor que você possui um público mais tradicional, que gosta de pagar à vista e usar boleto bancário, enquanto seus concorrentes trabalham apenas com cartão de débito e crédito. Pode ser um diferencial para sua empresa oferecer uma outra opção de pagamento, mais adequada às necessidades e características do seu público.

Considere as necessidades do seu negócio

Agora que você já ouviu seus clientes, observou seus concorrentes e pesquisou preços e taxas, precisa entender quais são as necessidades específicas do seu negócio em relação às formas de pagamento. 

Por exemplo, se você tiver uma academia ou uma escola de idiomas, é interessante escolher meios de pagamento que possibilitem a cobrança recorrente, isto é, cobranças que possuem o mesmo valor e a mesma data de vencimento durante um período (semanal, mensal, semestral, anual etc.).

Se o seu negócio faz parte do segmento de varejo, por exemplo, oferecer a opção de pagamento por cartão de débito e crédito é essencial. Se você lida com muitos comissionados no dia a dia, precisa de uma plataforma com função de split de pagamento. Se você possui um e-commerce, é interessante que a plataforma de pagamentos seja fácil de integrar e possua checkout transparente. Se você vende online, mas não possui e-commerce, um link de pagamento pode ser uma boa opção.

Fique atento às tendências

Que a pandemia de covid-19 acelerou a digitalização dos meios de pagamento não é novidade, certo? De acordo com uma matéria do Portal Terra, em 2020 os pagamentos por meios digitais chegaram a R$ 1,38 trilhão e foram realizadas 16,3 bilhões de transações. Cada vez mais, o dinheiro físico e as maquininhas estão perdendo espaço para pagamentos sem contato.

Estar atento às tendências é uma forma de não ficar para trás e acompanhar os movimentos do mercado, garantindo que sua empresa esteja utilizando os meios de pagamento mais modernos e adequados.

asaas talks temp 2 ep 1

Como diversificar as formas de pagamento?

Como você deve ter percebido ao longo da leitura, não existe bala de prata quando se fala em formas de pagamento. O ideal é que você trabalhe com uma variedade de opções, considerando seu público. Muitas vezes não é viável oferecer todas as formas de pagamento existentes, mas é interessante dar mais de uma opção para seu cliente.

O Asaas é uma plataforma de gestão de pagamentos completa para seu negócio. Com o Asaas, você pode oferecer várias formas de pagamento a seus clientes em uma única plataforma. Não cobramos mensalidades nem taxas de adesão, você só paga pelo que usar, quando usar!

Além disso, o Asaas possibilita a integração simples, rápida e segura a outros sistemas e sites, como ERPs e e-commerces. Conheça as soluções do Asaas e centralize todos os seus recebimentos em um único lugar!

No Asaas você tem negativação de devedores