Finanças pessoais: Como evitar que seu negócio seja prejudicial a elas

finanças pessoais

A saúde financeira de um empreendimento pode ter efeitos sérios sobre outros âmbitos da vida do empreendedor, principalmente para o micro e pequeno empresário. É essencial, nesses casos, que decisões referentes aos negócios não afetem as finanças pessoais, como aplicações para viagens e a realização de objetivos domésticos, como uma reforma da casa, por exemplo. Essas são algumas das áreas que sofrem quando a parte financeira do empreendimento vai mal, porque a tendência é a utilização de fundos pessoais para cobrir eventuais desfalques no caixa da empresa.

Por essas razões, listamos abaixo algumas maneiras de evitar que seus negócios prejudiquem suas finanças particulares. Acompanhe!

Separe claramente rendimentos e dívidas comerciais

O primeiro passo para a manutenção de uma boa relação entre assuntos comerciais e pessoais é a separação efetiva de dívidas e rendimentos de cada um. Para tanto, utilize contas bancárias diferentes, lembrando que alguns bancos oferecem melhores condições para contas empresariais. Dessa maneira, realize uma pesquisa de mercado e verifique qual banco oferece as melhores condições para sua empresa, ao invés de simplesmente utilizar seu banco pessoal. Algumas instituições financeiras oferecem mais vantagens para empresas, enquanto outras priorizam uma cartela de clientes individuais.

Essa medida acarretará uma análise individual das situações de cada âmbito financeiro: o pessoal e o comercial. Além disso, quando você for buscar um empréstimo para sua empresa, por exemplo, serão analisados os dados contábeis dos negócios, que não devem conter gastos pessoais, nem subsídios financeiros de origem pessoal (exceto no caso de aportes pessoais de capital). Instituições financeiras dificilmente oferecerão empréstimos a empreendedores que se utilizam de seus negócios para financiar atividades de natureza particular.

Contrate um profissional contábil

Se houver recursos disponíveis, a contratação de um contador é altamente recomendada. Esse tipo de serviço, ainda que em regime temporário ou sazonal (no período de pagamento de impostos anuais, como o Imposto de Renda, por exemplo) acarreta análises objetivas e diagnósticos efetivos sobre seus negócios, o que normalmente não ocorre quando deixamos nossas preocupações pessoais dominarem as decisões da empresa.

Profissionais contábeis também identificam as maiores deficiências em relação à execução do plano estratégico da empresa e aconselham quanto à superação de adversidades, como realocação de ativos e de investimentos. Além disso, você terá que se preocupar menos com essas atividades, o que o libera para a realização de atividades menos técnicas, e mais voltadas para os objetivos comerciais da empresa.

Considere tomar um empréstimo em vez de cobrir déficits orçamentários

O setor de crédito no Brasil avançou muito nos últimos anos, de forma que hoje existem várias opções de empréstimos disponíveis. É possível encontrar cotações competitivas, que considerem os bens e a renda da empresa, além da capacidade futura de pagamento daquela dívida. Essa pode ser uma opção mais saudável financeiramente do que a utilização de recursos pessoais para cobrir déficits nas contas da empresa, porque não arriscam seu patrimônio pessoal. Além disso, o governo federal possui programas de incentivo ao crédito — com juros irrisórios — específico para micro e pequenos empreendedores, razão pela qual serão encontradas diversas vantagens na utilização desse tipo de empréstimo.

Planeje e execute com prudência o orçamento comercial

Ao planejar as finanças de seu empreendimento, seja na elaboração de uma planilha de gastos ou no cálculo de rendimentos futuros, é importante que você seja realista. Não conte com o auxílio de outras rendas de caráter pessoal, nem utilize fundos profissionais para a realização de gastos pessoais. Lembre-se: eles devem ser independentes.

É importante que, em cada área das despesas do empreendimento (pagamento de fornecedores, aluguel, contas básicas e realização de investimentos), sejam respeitados os limites orçamentários de cada uma. O controle dos gastos do empreendimento contribui para a adequação do orçamento à realidade de seus rendimentos comerciais. Além disso, seja prudente: aguarde a maturidade dos investimentos e a reação do mercado consumidor antes de arriscar novos aportes de capitais na empresa.

Essas são nossas dicas para evitar que os negócios prejudiquem as finanças pessoais e vice-versa. Você já passou por alguma situação de confusão nas duas áreas? Tem ainda alguma dúvida? Deixe seu comentário abaixo!

banner-rodape-post-blog

 

Gerar boleto

Esteja sempre bem informado sem pagar nada!

Cadastre-se e receba um e-mail semanal com as últimas novidades do blog.