Análise de concorrência: como fazer e sua importância para o planejamento de negócios

Por Redação Asaas
Publicado em 24 de setembro, 2014 | Atualizado em 26 de janeiro, 2022

No clássico “A Arte da Guerra”, Sun Tzu nos ensina que: “se você conhece o inimigo e conhece a si mesmo, não precisa temer o resultado de cem batalhas”. E, acredite, o mesmo raciocínio utilizado nos campos de batalha pode ser extrapolado para o mundo dos negócios, ainda mais quando falamos de análise de concorrência.

Ao compreender o mercado, é possível identificar os movimentos, alterando as estratégias com o objetivo de estar sempre à frente. Esse direcionamento, atualmente, pode ser um diferencial para a sobrevivência do seu negócio.

Quer descobrir a importância de uma boa análise de concorrência no seu plano de negócios? Então leia o conteúdo completo!

Conteúdo

A importância de fazer uma análise de concorrência 

Antes mesmo de entender a relevância, é preciso saber o que é uma análise de concorrência, concorda?

Também conhecida como análise de mercado, essa ação tem como objetivo estudar os seus concorrentes, o que oferecem e quais são os posicionamentos adotados.

Público-alvo, gestão comercial e possíveis clientes são alguns dos itens que precisam ser compreendidos após o levantamento de informações. Afinal, é a partir desse estudo que será possível melhorar a tomada de decisão, identificando riscos e oportunidades.

Mas é preciso investir nessa solução? Esse é o mecanismo ideal para garantir que o seu negócio vai oferecer a solução adequada, satisfazendo as vontades dos clientes e estando à frente dos demais. Então, se você deseja ser uma referência, a resposta correta é sim!

Sabemos que o nome pode assustar, dando aquela sensação de ser um bicho de sete cabeças. Mas pode ficar tranquilo que vamos explicar, etapa por etapa, o que deve ser feito. Combinado?

Como fazer uma boa análise de concorrência em 7 passos

Depois da avaliação, as vendas podem melhorar, o faturamento pode crescer e a empresa pode encontrar o verdadeiro posicionamento.

Porém, como deve ser feito esse processo? O que é preciso levar em consideração durante a análise de concorrência? Confira:

1. Defina objetivos

Assim como diversas atividades, essa também precisa começar pela definição dos objetivos, isso porque é necessário entender qual é o resultado desejado.  Existem empresas que já contam com uma equipe de inteligência e desejam refazer a pesquisa apenas para conferir se algo mudou nos últimos meses. 

Mas existem aqueles que nunca realizaram esse experimento e desejam contar com um panorama geral da área de atuação. Sendo assim, as perguntas e dados coletados podem ser diferentes, de acordo com o que é esperado. 

Lembre-se: o primeiro passo é muito importante. Se as necessidades não forem listadas, o estudo pode não oferecer uma resposta precisa. 

Melhorar o posicionamento de produtos/serviços, foco no atendimento ao cliente e a busca por novos consumidores são alguns dos desejos que motivam uma análise de concorrência.

2. Determine o que será analisado

Agora que você já sabe o que deve ser levado em consideração, é o momento de pensar na análise. Esse passo é ideal para enumerar os dados que precisam ser encontrados sobre os concorrentes.

O ideal é ser objetivo, colocando como meta aquilo que será possível encontrar – a dica é focar e deixar de lado curiosidades ou fatos que podem não ser relevantes. Busque pelos seguintes elementos: 

  • História de criação e gestão atual;
  • Quantidade de funcionários;
  • Localização das sedes/lojas;
  • Faturamento dos últimos anos;
  • Catálogo de produtos/serviço;
  • Preços e descontos;
  • Atendimento ao cliente;
  • Atuação do marketing e comunicação.

Vale destacar que esses critérios podem variar de empresa para empresa, dependendo do objetivo que foi definido para a análise de mercado.

3. Mantenha o foco na pesquisa

Sabemos que o levantamento pode ser um trabalho cansativo e com algumas dificuldades. Por mais que a maioria dos materiais estejam disponíveis nos sites oficiais, realizar a coleta pode levar tempo. 

Por isso, a dica é focar na tarefa! Pense que todo o esforço será recompensado quando conseguir comparar aspectos da sua empresa com outros negócios. 

Quando o faturamento estiver alto e as vendas aumentarem, esse tempo será recompensado de outra maneira, não é mesmo? Portanto, fique atento para assegurar que todos os números estão corretos. 

4. Conheça seu próprio negócio

E nessa corrida para conhecer os concorrentes, é fundamental conhecer a própria empresa. Para isso, faça uma análise das características — que tipo de produtos é comercializado, qual é o seu porte, quais são os locais de atuação e a capacidade de atendimento. 

Avalie se, com uma estrutura mais enxuta, seria possível se tornar mais eficiente e deixar os opositores para trás. Não seja superficial, pois um simples erro pode alterar completamente a direção. 

Não deixe nenhuma informação de lado, nenhum aspecto que possa fazer a diferença. Repense na maneira como os clientes são atendidos, a comunicação adotada e os pontos fortes.

Depois, compare a avaliação com as demais, buscando informações adicionais, tendo como base não só as próprias observações. 

Saiba mais sobre o assunto e entenda como essa atividade faz parte do benchmarking.

5. Fique atento ao constante movimento do mercado

Se você pensa que apenas as empresas iniciantes ou startups apostam em conhecer a concorrência, está completamente enganado! Todo empreendedor precisa estar em constante evolução, além de conhecer os competidores. 

Não é à toa que diversos negócios contam com equipes especializadas em compreender o mercado e seus movimentos. Nesse caso, cada integrante do time fica responsável por avaliar determinados critérios.

Tenha em mente que para se manter ativo em um mundo ágil, é preciso estar em movimento. Ficar estático é pedir para desaparecer. Por isso, é fundamental possuir diversas referências sobre a própria empresa para estar à frente. 

Só será possível se diferenciar quando você souber a forma como os adversários atuam e como eles despertam o interesse dos consumidores. 

6. Saiba interpretar as informações

Agora, com os dados coletados, chegou o momento tão esperado: a comparação! 

Aproveite para conferir em quais aspectos o outro pode estar melhor, principalmente nos pontos de localização, atendimento e comunicação. Muitas vezes, deixamos de lado essas frentes, esquecendo da importância de cada uma para a satisfação do cliente.

Não tenha medo de conferir aqueles números que podem mostrar pontos fortes de outros empreendedores, afinal, é após a comparação que será possível transformar os pontos fracos em ganhos. 

Mantenha a seriedade e nada de puxar sardinha para o seu lado, viu? O que importa é o aprendizado e as ações que serão direcionadas após o resultado. 

7. Converse com as equipes envolvidas

Com o resultado em mãos, é o momento de marcar uma conversa com todas as pessoas que fazem parte da sua equipe, afinal, elas também precisam saber quais são os pontos positivos e negativos. 

Seja sincero, exponha os números e explique mais sobre o processo — qual foi o objetivo da análise de concorrência e quais serão os próximos passos. 

É importante demonstrar que a empresa deseja melhorar para conquistar o mercado e, consequentemente, cada vez mais clientes. Essa também pode ser uma boa opção para incentivar o diálogo entre as áreas, não é mesmo?

Ferramentas que ajudam na análise de concorrência

Para te ajudar nesse processo, listamos algumas ferramentas que podem contribuir com o levantamento de informações. Veja: 

Similar Web

O Similar Web é uma opção que permite avaliar outros sites. Ao colocar a URL, será possível ter acesso ao número de visitas e dados de tráfego. 

Os resultados são apresentados em gráficos, mostrando os acessos por período — dá para conferir como está a presença digital. O serviço pode ser utilizado de forma gratuita ou paga. Na segunda versão, existem diversas opções de acompanhamento.

Reclame Aqui

É difícil conhecer alguém que não saiba da existência do Reclame Aqui. Como o nome já diz, o portal é utilizado para apresentar queixas de consumidores insatisfeitos, seja com o atendimento ou até mesmo produto recebido. 

Além de ser uma alternativa para conferir os comentários dos usuários, esse também é um bom momento para entender o posicionamento da empresa e como a situação será resolvida. Por isso, preste atenção nas respostas que serão dadas aos clientes e suportes oferecidos.

Google Alerts

O Google Alerts é um serviço antigo, mas que pode te ajudar a mapear o seu concorrente. Para isso, basta acessar a plataforma e customizar os alertas. 

Existe a opção de categorizar pelo nome ou até mesmo por palavras-chave. Os resultados serão enviados por e-mail diariamente ou semanalmente, dependendo da opção escolhida. Essa é a melhor forma de saber sobre a reputação dos competidores, além de conferir possíveis novidades e assuntos que foram destaque na mídia.

E você? Já usa alguma dessas ferramentas? Aproveite para conhecer nossos outros conteúdos sobre empreendedorismo.

Simplifique o recebimento de cobranças com o Asaas