Guia de finanças para empreendedores: 10 dicas essenciais

Por João Vitor Possamai
Publicado em 28 de maio, 2014 | Atualizado em 13 de maio, 2022

Quando falamos em finanças para empreendedores, muitas pessoas podem se sentir à deriva. Seja por medo ou desconhecimento, a verdade é que, para crescer, é necessário focar na gestão da empresa e não apenas no fornecimento de produtos e serviços de qualidade. 

Afinal, se as contas internas não vão bem, não é possível crescer, e o resultado pode ser o fim do negócio. De acordo com dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio (Pnad Contínua), 600 mil empresas fecharam as portas nos últimos dois anos.

Para diminuir o percentual, fizemos um guia com dicas importantes sobre o gerenciamento de pequenos empreendimentos. Leia, aprenda e use sem moderação para prosperar e liderar o mercado!

1. Invista na alfabetização financeira

O conhecimento é responsável por construir bases sólidas, guiando o caminho que devemos seguir para realizar sonhos e desejos. É por meio dele que são minimizadas as chances de fracasso. Assim, não é suficiente conhecer o produto ou serviço oferecido. O diferencial está em acompanhar o gerenciamento das tarefas para alcançar o retorno desejado e um resultado positivo.

É  importante conhecer e saber interpretar o fluxo de caixa, o livro caixa, as siglas dos impostos, o estoque, a logística e a gestão. Busque por livros, palestras, cursos para empreendedores e converse com quem já está no mercado para adquirir conhecimento.

2. Separe as contas pessoais e empresariais

Essa ideia é primordial quando o assunto são as finanças para empreendedores. Lembre-se que não é preciso usar apenas uma conta para movimentação financeira. Sendo assim, o ideal é contar com duas opções: uma para as economias pessoais e outra para os valores da empresa.

Para isso, defina previamente qual será o capital de giro, quanto vai custar os investimentos e qual será o seu pró-labore. Dessa forma, você terá o dinheiro para iniciar as atividades, representado por investimentos iniciais, além da quantia necessária para viver.

Faça seu orçamento pessoal e jamais pense em cobrir despesas domésticas, emergenciais ou de lazer com o dinheiro da empresa. Você não sabe como poderá recuperá-lo e pode fazer falta. Da mesma forma, não retire dinheiro da poupança pessoal, por exemplo, para cobrir custos empresariais. Isso descontrola a gestão!

3. Controle o fluxo de caixa

Você já conhece o fluxo de caixa? Essa é uma atribuição importante no cuidado das finanças para empreendedores. 

Por meio do controle dos pagamentos e recebimentos, que ficam registrados no livro caixa, fica fácil compreender as despesas fixas e a saúde financeira do negócio. 

O processo precisa fazer parte do cotidiano, com anotações diárias, semanais, quinzenais, mensais ou até por trimestre. Após escolher o período, são levados em consideração os seguintes quesitos: saldo inicial, entradas (recebimentos), saídas (despesas) e o saldo final.

Com um fluxo de caixa organizado, é possível investir em novas soluções e projetos, mantendo o equilíbrio econômico e a previsibilidade financeira, sem comprometer o capital. 

Para obter êxito é preciso organizar os dados, não esquecer de mencionar todos os lançamentos, verificar os detalhes e calcular o saldo! A gestão é fundamental para manter o planejamento e o acompanhamento dos lucros!

4. Invista no que for realmente importante

Locação do espaço físico, salários, conta de luz, água, internet, manutenção de equipamentos e compras dos materiais de limpeza são algumas das despesas mais comuns. Por isso, é importante colocar todos os valores na ponta da caneta antes de aumentar os gastos.

Incentivar boas práticas de economia, como fechar as torneiras e não deixar lâmpadas e ventiladores ligados em salas vazias são algumas ações básicas, mas que fazem diferença no caixa — além de serem sustentáveis.

5. Fuja dos gastos desnecessários

Esse é um ponto de atenção e que precisa ser analisado com cautela: os gastos excessivos. Por mais que exista o desejo de investir em diversos materiais, produtos ou até mesmo em outras soluções, é essencial fugir daquilo que não se pode pagar.

São esses valores a mais que acabam apertando o orçamento, prejudicando os ganhos e impactando o crescimento do seu negócio. Por isso, antes de investir ou comprar algo novo, sempre leve em consideração se é necessário e qual será o retorno. 

Evite ao máximo as decisões por impulso. O segredo é manter a calma e sempre analisar antes de dizer o sim ou o não. 

Cortando esses gastos que não estão previstos, será possível perceber o aumento do lucro e da rentabilidade, sonho de qualquer empreendedor, não é mesmo?

Quer saber mais sobre o monitoramento de contas? Então confira o conteúdo sobre gestão financeira!

6. Tenha um contador

Mesmo que seu regime de impostos seja o Simples Nacional, por exemplo, você não deve fazer a escolha sozinho e nem se sobrecarregar com as atividades.

O ideal é escolher uma empresa de contabilidade para realizar as tarefas relativas ao tema, afinal, nada melhor do que contar com o apoio de quem entende do assunto. 

Além de não acumular obrigações, essa é uma forma de assegurar que o seu negócio vai estar de acordo com todas as normas e leis, realizando o pagamento dos impostos, incluindo o ISS (Imposto Sobre Serviço), o Cofins (Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social) e o IRPJ (Imposto de Renda de Pessoa Jurídica). 

É importante lembrar: aqueles que atuam pelo MEI estão isentos de todas essas taxas.

7. Use tecnologias que otimizem a gestão

Mesmo que os cálculos pareçam fáceis para você, tomar nota deles e integrá-los não é tão simples. Para isso, folhas e tabelas de Excel são obsoletas e podem confundir.

Por isso, use um sistema online de gestão para anotar as movimentações financeiras. Além de armazenar com segurança os dados da empresa e auxiliar na emissão de notas fiscais, o uso é em tempo real.

Viu como as finanças para empreendedores não são assustadoras? Tudo o que você precisa é conhecer sobre o assunto e se organizar.

8. Não deixe de verificar o estoque 

Não há nada mais desesperador do que concluir a venda de uma peça ou produto que não está disponível no estoque, concorda? Esse é um dos erros mais comuns, principalmente nas vendas pela internet. 

Sem os dados corretos, muitas empresas acabam passando por uma situação delicada. Então, para evitar que isso aconteça, a melhor opção é manter o estoque em dia!

Uma dica é conferir os itens disponíveis em um curto intervalo de tempo, mantendo uma lista atualizada dos indicadores importantes, como as mercadorias mais vendidas e aquelas que estão em baixa. 

Aproveite para pensar na logística dos itens e como está sendo organizado os envios, coletas das compras e até mesmo a postagem nos Correios, afinal, esses dados também são indicativos que podem fazer parte da planilha do estoque.

O mecanismo é ideal no controle das finanças para empreendedores. Além da economia com o reenvio de mercadorias, por exemplo, ainda é a maneira mais segura de investir no que o seu público está procurando.

Conhecer os consumidores e acompanhar as tendências são fatores cruciais. Confira mais informações no material  empreendedorismo: o guia completo para quem quer abrir seu próprio negócio.

9. Faça a gestão do tempo e atividades 

É fato que a organização é um dos principais desafios quando falamos das finanças para empreendedores.

Por isso, o melhor é investir em plataformas que contribuam com o acompanhamento das atribuições e que possam ser utilizadas para o gerenciamento do tempo. Anotar todas as tarefas do dia e ir marcando as realizadas também é uma maneira de visualizar tudo que foi feito. 

Reserve alguns minutos do dia anterior para realizar o planejamento. Enumere quais são as prioridades do dia e dê foco no que é importante. Destinar boa parte do tempo para as atividades principais é uma forma de assegurar que tudo sairá como planejado. 

Algumas pessoas preferem organizar as demandas principais na parte da manhã, por exemplo, deixando o período da tarde para ações mais rápidas e que podem ser realizadas no fim da tarde. Afinal, é revigorante finalizar a lista de pendências do dia, não é mesmo?

Lembre-se que nesse caso, deixar uma tarefa de lado pode comprometer a saúde financeira da sua empresa! Foco, organização e planejamento devem ser os guias da sua agenda. 

10. Tenha uma reserva financeira 

Quando o assunto são as finanças para empreendedores, o tema economia não pode ficar de fora! Os imprevistos podem acontecer com todos, e precisamos aprender a conviver com isso. 

Mas a verdade é que as empresas que contam com uma reserva conseguem solucionar os problemas de maneira mais rápida e eficiente. Então, a dica é separar um valor destinado apenas para os imprevistos. 

Após alguns meses, existirá uma boa quantia que deve ser utilizada sempre que algo não sair como o planejado. Muitas pessoas acabam se desesperando quando as situações saem do controle, mas contar com o valor extra pode ser o segredo para reduzir o estresse e manter o desempenho das atividades. 

Gostou do conteúdo? Deseja ler mais textos como esse? Então acompanhe o blog do Asaas e não perca nenhuma novidade!

No Asaas você tem vendas por link de pagamento