Tire todas suas dúvidas sobre SaaS

 

O SaaS está revolucionando o mundo da tecnologia por trazer economia, produtividade e facilidade, tanto para as pessoas, quanto para as empresas. A proposta é substituir os softwares tradicionais por uma solução mais prática, que funcione diretamente na nuvem, possuindo uma acessibilidade muito maior.

Para entender melhor o SaaS, vamos esclarecer as principais dúvidas sobre essa tecnologia. Confira!

O que é Saas?

Saas (abreviação do inglês Software as a Service, que significa software como serviço, em português) é um modelo de distribuição de softwares em que as aplicações podem ser acessadas de qualquer dispositivo com conexão com à internet e um navegador, sem serem necessárias instalações no computador ou mídias físicas. Em outras palavras, Saas é o ato de utilizar um programa qualquer diretamente no navegador.

Outra característica do Saas é seu modelo de cobrança. Ao invés do usuário pagar por uma licença perpétua para ter o software, o usuário paga apenas para usufruir da aplicação – geralmente por meio de assinaturas mensais ou anuais.

Quando surgiu?

O conceito surgiu por volta de 1960, mas o Saas só ganhou popularidade a partir de 1990, quando os recursos e tecnologias baseadas na web, necessárias para apoiar esse modelo, se tornaram mais robustas. Logo, empresas como a americana Salesforce começaram a oferecer serviços por meio do SaaS.

Nos primeiros anos, o mercado não investiu na ideia e poucas empresas adotaram o modelo. Contudo, nos últimos cinco anos o SaaS tem se mostrado bastante promissor, já que um crescente número de empresas têm elevado suas receitas por meio dele. Os consumidores também têm se beneficiado da acessibilidade que o SaaS trás, sendo possível adquirir serviços variados por pequenas assinaturas mensais.

Quais empresas utilizam o SaaS?

É provável que você já utilize o serviço sem nem mesmo perceber. Existem muitos softwares populares e gratuitos que funcionam com SaaS, como o Gmail e o Spotfy. Também há softwares pagos como Salesforce, Microsoft Office 365 e Photoshop.

A tendência é que mais empresas comecem a utilizar o SaaS para distribuir e comercializar suas tecnologias de uma maneira mais acessível para o usuário e mais lucrativa para a empresa.

Quais são as vantagens?

Uma das maiores vantagens do SaaS é a sua eficiência. Os consumidores não precisam mais comprar softwares, instalá-los e realizar manutenções e atualizações. Também não é mais necessário se preocupar em ter um hardware potente para executar os programas, pois esse trabalho é realizado nos servidores da empresa fornecedora do serviço. O acesso às aplicações se torna muito mais fácil, requerendo apenas uma boa conexão com a internet.

Para as empresas desenvolvedoras, a vantagem fica por conta da facilidade de manutenção, pois só é preciso trabalhar com uma única versão do software. Isso facilita a manutenção e correção de problemas, atualizações podem ser testadas e disponibilizadas para os usuários instantaneamente, além de eliminar de uma vez problemas de incompatibilidade de versões.

Meus dados estão seguros?

A segurança da informação é uma consideração importante e talvez seja o principal ponto de dúvida entre as empresas que consideram a utilização do SaaS. Contudo, a segurança dos dados não depende de onde ficam os servidores que guardam as informações, mas da capacidade de investir em medidas de segurança.

Poucas coisas são mais importantes para os consumidores do que suas contas bancárias, e mesmo assim é comum as pessoas confiarem essas informações em plataformas de internet banking e outros sistemas de pagamento on-line sem problemas relevantes.

Pode-se dizer que, no geral, as empresas que fornecem SaaS possuem muito mais recursos para realizar investimentos em segurança, backups e manutenções do que pequenas e médias empresas. Além de que empresas que oferecem esse tipo de serviço são submetidas a procedimentos rigorosos de segurança.

Eu posso customizar as aplicações?

No início, havia poucas opções de customização e as empresas tinham que se adaptar ao software que recebiam. Hoje, isso se tornou muito mais fácil.

Já existem consultores especializados em personalizar aplicativos de acordo com as necessidades da empresa. Os compradores podem alterar tanto a aparência quanto algumas áreas da aplicação.

Com o mercado de SaaS amadurecendo, mais empresas devem fornecer personalização e flexibilidade, mas isso pode variar de fornecedor para fornecedor.

Quais são os requisitos/limitações?

A principal limitação do SaaS é em relação a internet: uma boa conexão é essencial para o bom funcionamento das aplicações. Contudo, isso não deve ser um problema, uma vez que as conexões banda larga estão cada vez mais rápidas e estáveis. Alguns desenvolvedores já começaram a desenvolver soluções “off-line” que funcionam mesmo em caso de instabilidade ou queda na conexão.

A maioria das aplicações são construídas para funcionar em múltiplos navegadores e sistemas operacionais, portanto, não importa qual dispositivo você utilizar, você poderá acessar suas aplicações SaaS.

Qual a diferença entre Saas e computação na nuvem?

A computação na nuvem pode ser definida como um conjunto de computadores, servidores e bancos de dados interligados entre si e que permitem ao usuário obter acesso a informação em qualquer lugar, horário e dispositivo. Ou seja, tudo o que é hospedado em algum servidor com local indefinido ou em vários servidores, é computação na nuvem.

Já o SaaS utiliza a computação da nuvem para oferecer um serviço de entrega de softwares aos usuários.

Quem possui os dados?

Muitos consumidores temem que as empresas fornecedoras sejam “donas” de seus dados. Contudo, esse detalhe pode ser resolvido com uma análise do contrato em que estão descritos os parâmetros de questões como essas.

Geralmente, há clausulas no contrato que explicitam como funcionará a propriedade dos dados, mas geralmente, as empresas fornecem meios de acesso aos dados do cliente caso ele decida deixar o serviço, ou meios de exportá-los em casos de fechamento da empresa.

E se o fornecedor sair do negócio?

É uma preocupação comum de quem está pensando em aderir ao software como serviço. Contudo, a maioria dos fornecedores, visando garantir que seus serviços continuarão a funcionar em caso de falência ou danos, pagam antecipadamente os provedores de hospedagem para manterem os serviços funcionando.

Mesmo assim, é sempre recomendado conferir no contrato se a empresa possui alguma cláusula que permita exportar os dados importantes que estiverem hospedados nos servidores.

E aí, ficou alguma dúvida sobre SaaS? Gostou do nosso conteúdo? Deixe o seu comentário!

O Autor
Vice-presidente no Asaas
Gerar boleto

Esteja sempre bem informado sem pagar nada!

Cadastre-se e receba um e-mail semanal com as últimas novidades do blog.