Cobrança recorrente: o que é e qual a melhor forma de fazer?

Por Diego Contezini
Publicado em 7 de abril, 2016 | Atualizado em 27 de abril, 2021

Para muitas empresas, como aquelas que oferecem assinaturas de revistas, de TV a cabo e de softwares, o tipo de pagamento mais adequado é o recorrente — efetuado mensalmente, sendo possível exigir um prazo de vigência mínimo e com a incidência apropriada de multas nos casos de cancelamento antecipado.

Se sua empresa vende serviços e produtos que precisam de cobrança recorrente, é necessário adequar as condições de pagamento de acordo com o perfil do consumidor. Optar apenas por uma forma pode fazer com que você perca o comprador.

Neste artigo, vamos mostrar algumas formas de cobrança recorrente e como manter esse tipo de pagamento sob controle!

Conteúdo

O que é a cobrança recorrente?

O nome é bem explicativo. A cobrança recorrente é aquela que ocorre em uma frequência pré-estabelecida, periodicamente. O período mais adotado é o mensal.

Assim, podemos dizer que nossas contas de água, luz, telefone e internet são recorrentes, porque acontecem todos os meses, em datas específicas.

A cobrança recorrente é como a cobrança de um plano ou assinatura realizado com regularidade e, na maioria das vezes, automaticamente.

A pessoa permite a cobrança. Dessa forma, o primeiro pagamento é feito e os outros, sejam quinzenais, mensais, anuais, são estabelecidos previamente.

A cobrança é suspensa somente quando o cliente cancela o serviço ou quando o período de assinatura chega ao fim, como o plano anual de um clube ou a assinatura semestral de um serviço online.

Existe um valor fixo que pode sofrer reajustes, por isso é importante ficar atento ao que diz o contrato. Em alguns casos, o reajuste só é cobrado em um novo plano.

Quando usar a cobrança recorrente?

O pagamento recorrente é indicado para diferentes tipos de empresa, como:

  • clubes;
  • academias;
  • instituições de ensino;
  • locadoras de equipamento e veículos.

Essa modalidade também é empregada por empresas que vendem serviços online oferecidos com continuidade. É o caso de provedores de filmes/séries, de canais de TV, de sites de relacionamentos, de SaaS (softwares como serviço) e assim por diante.

Como fazer a cobrança recorrente?

É importante adotar um sistema de gestão para cobrança recorrente. Dessa forma, todas as atividades ficam centralizadas na plataforma.

Elimina-se o trabalho manual e a equipe de profissionais deixa de ser apenas operacional para atuar de forma analítica, apresentando habilidades no gerenciamento com números.

O sistema deve trabalhar em integração com as outras soluções, como bancos e outras instituições financeiras e operadoras de cartão de crédito.

Assim, o processo de baixa de títulos (pagamento via cartão de crédito, débito automático, boleto bancário) será menos sujeito a falhas humanas e, portanto, mais eficiente.

O Asaas é um exemplo de plataforma de gestão de pagamentos recorrentes. Ajuda a centralizar o controle sobre as cobranças, facilitando tanto a vida do fornecedor quanto do consumidor.

Meios de pagamento para cobrança recorrente

Duas formas básicas de fazer cobrança recorrente é por meio do boleto bancário e do cartão de crédito. Vejamos as características de cada um desses meios de pagamento.

Boleto bancário

Muita gente acredita que o boleto está ultrapassado, porém essa é uma forma de pagamento ainda muito utilizada. Qualquer pessoa pode pagar um boleto: basta se dirigir a uma casa lotérica, banco, correio ou mesmo usar o banco online, sendo válido até para quem não tem uma conta bancária.

Há clientes que preferem essa opção por não precisarem informar nenhum dado “sigiloso” do cartão de crédito e, dependendo do caso, eles conseguem um desconto em cima do valor original quando pagam antecipadamente. O consumidor ainda vê uma grande vantagem em relação à cobrança recorrente de juros, em caso de atraso, porque são menores que outros meios de pagamento. Já para a empresa, o dinheiro é liberado rapidamente.

Porém, ele também tem seus pontos negativos, como a demora para compensar o pagamento e a maior possibilidade de inadimplência. Além disso, alguns serviços precisam que seja paga a 1ª parcela para serem ativados, e o cliente pode desistir antes do pagamento.

Cartão de crédito

O cartão de crédito é bem mais prático, pois com apenas alguns dados informados o cliente já tem o valor incluído na sua próxima fatura e permite que o parcelamento do valor seja direto com a empresa ou com a administradora do cartão, facilitando o pagamento. Outro ponto é que, muitas vezes, a fatura do cartão é cobrada em débito automático e, assim, o cliente não precisa se preocupar em pagar a cobrança recorrente.

Algumas lojas contam ainda com cartão próprio. Isso serve para fidelizar o consumidor e conceder a ele algum desconto ou benefício durante as compras.

A desvantagem é que nem todo mundo pode ter um cartão de crédito, porque sua liberação depende da análise de crédito. Quem deseja receber o valor precisa ter, obrigatoriamente, um CNPJ, e o repasse demora cerca de 30 dias.

Estrutura por trás da cobrança recorrente por cartão de crédito

Vamos falar agora sobre os players envolvidos na cobrança recorrente através de cartão de crédito:

  • bandeiras são as marcas licenciadas pelos bancos e demais instituições financeiras, como Visa, Elo, Mastercard, American Express;
  • adquirentes são os responsáveis pelas transações em cartão de crédito e recebem por cada transação, como GetNet, Elo, Cielo, Elavon (eles realizam desde o credenciamento das empresas até a gestão das funções de débito/crédito nas respectivas contas);
  • gateways de pagamento são os provedores de serviço que agrupam em somente uma interface os meios de pagamento usados, facilitando a integração de vários adquirentes;
  • facilitadores são os que oferecem diferentes meios de pagamento sem recorrer à criação de convênios com bancos, empresas antifraude e adquirentes.

Contratação de um serviço

Nos dois meios de pagamento citados, é necessário contratar um serviço para processar os pagamentos, por isso, é recomendado verificar o custo de cada um e os valores cobrados sobre cada transação. Esses valores podem ter uma grande influência na sua decisão, pois variam bastante.

Outro ponto que deve ser analisado é qual o perfil do seu cliente. Com base no fato de ele preferir cartão de crédito ou o pagamento por boleto é que deve ser tomada a sua decisão.

Porém, se o seu público é bastante diversificado, muitas vezes vale a pena ter à disposição as duas modalidades de pagamento para cobrança recorrente.

A seguir, vamos explicar algumas dicas que irão te ajudar adotar a cobrança recorrente no seu negócio e evitar erros nesse processo. Confira:

Dicas para implementar a cobrança recorrente com sucesso

1. Estude bem as utilidades de seu software de gestão

Vivemos na era digital e a melhor forma de garantir maior segurança nas nossas transações, incluindo o controle de pagamentos, é aderindo às inovações tecnológicas.

Um bom software de gestão de cobranças ajuda bastante a organizar as finanças de qualquer empresa. Por meio de um banco de dados, ficam disponíveis informações sobre clientes, datas dos vencimentos das faturas, cálculos automáticos de juros e multas, integração com outros sistemas, automatização das rotinas de suspensão e de cancelamento, e assim por diante.

Os aplicativos podem enviar mensagens aos clientes informando sobre datas de vencimento e reduzindo os riscos de atraso nos pagamentos.

2. Aposte nos recursos de autoatendimento

Os recursos de autoatendimento facilitam a vida de todos (empreendedor e cliente), dividindo responsabilidades e concedendo maior autonomia ao usuário, que pode fazer os processos sozinho, acessando sua área particular. O usuário terá sua rotina mais prática:

  • alterando dados cadastrais;
  • emitindo 2ª via da fatura/boleto;
  • conferindo o histórico de cobrança;
  • modificando o plano e a forma de pagamento;
  • efetuando download da nota fiscal;
  • tirando dúvidas com o departamento financeiro.

3. Empregue métricas apropriadas para aferir a saúde do seu negócio

Empresas que utilizam cobrança recorrente devem fazer uso de métricas especiais, como:

  • Churn rate, que corresponde à taxa de cancelamento das assinaturas/serviços (ou seja, quanto menor, melhor);
  • Growth rate, que é a taxa de crescimento de sua empresa;
  • CAC ou custo de aquisição por cliente, que determina quanto a empresa gasta para captar um cliente;
  • Lifetime value, que corresponde ao valor médio que cada cliente deixa na empresa durante o tempo em que é cliente;
  • Payback, que calcula o tempo médio que um cliente leva para dar lucro à empresa.

4. Gerencie as inadimplências de maneira eficaz

Um dos maiores erros que os empresários cometem é não gerenciar corretamente a inadimplência, de modo que ela atinja proporções exageradas e gere prejuízos elevados. Há alguns critérios que devem ser considerados na gestão da inadimplência em cobrança recorrente a fim de entender melhor por que acontecem falhas nos pagamentos, como:

  • Preço cobrado pela empresa: se ele é muito alto ou está dentro da média;
  • Data de vencimento: se ela é adequada ou está contribuindo para a inadimplência;
  • Envio de mensagens: se a empresa está ou não usando esse recurso, seja por e-mail, seja por SMS, para lembrar os clientes do dia do vencimento (o ideal é enviar uma mensagem cinco dias antes do vencimento, outra no próprio dia do vencimento e duas após o vencimento);
  • Relação entre o cancelamento de assinaturas e a inadimplência: muitas vezes, clientes inadimplentes acabam cancelando.

5. Utilize uma plataforma de gestão de assinaturas

O Asaas é uma plataforma de gestão de assinaturas para empresas de software como serviço e para organizações que têm uma base de assinantes recorrentes. Essa ferramenta oferece suporte de excelente qualidade, apresentando como principais características:

  • gestão de clientes, cobranças e mensalidades;
  • envio automático de faturas e boletos através de e-mails e SMS;
  • geração automática de 2ª via com cálculo de juros e mora;
  • avisos sobre vencimento, sucesso ou falha de pagamento;
  • preço fixo por boleto recebido;
  • não cobra taxa de adesão ou mensalidade.

Confira as vantagens de optar pela cobrança recorrente

A cobrança recorrente oferece muitas vantagens para a empresa, como as descritas a seguir.

Menor barreira de entrada para novos clientes

Como os clientes assumem o pagamento por um serviço que estão usando, e não pela compra de um produto, o fornecedor pode assegurar um preço mais acessível em médio e em curto prazo.

Há facilidades também porque a cobrança pode ocorrer todo mês, trimestre, semestre ou ano, conforme a finalidade do negócio.

Consequentemente, a fidelização de clientes tende a ser maior, pois o correto é ofertar benefícios conforme o plano que foi contratado.

Risco mais baixo de inadimplência

Como em alguns casos (cartão de crédito, débito automático) os valores são descontados de forma automática do cliente, a cobrança recorrente reduz os riscos de inadimplência.

Previsibilidade financeira

Com o pagamento recorrente, a empresa sabe quanto receberá em um período específico. Isso torna mais fácil o planejamento das finanças e o entendimento do melhor momento de fazer investimentos.

E você, como costuma gerenciar a cobrança recorrente em sua empresa? Lembre-se de que a automatização dos processos reduz bastante as possibilidades de erros!

Gostou das nossas dicas para o gerenciamento de pagamento recorrente? Então aproveite para criar sua conta gratuita no Asaas e começar a fazer cobranças recorrentes de maneira prática e automatizada!

No Asaas você tem cobrança por ligação telefônica