Cloud computing: descubra o tipo de nuvem ideal para seu negócio

cloud-computing-descubra-o-tipo-de-nuvem-ideal-para-seu-negocio.jpeg

 

Um estudo global da Cisco aponta que 69% das empresas não possuem estratégias maduras para cloud computing. Falta, sobretudo, planejamento. E isso traz sérios problemas, como falta de alinhamento dos recursos de cloud com os negócios, aumento de gastos, entre outros.

Diante dessa realidade, resolvemos trazer, neste artigo, uma reflexão acerca da escolha do tipo ideal de nuvem. Acreditamos que escolher a nuvem certa é o primeiro passo em um projeto bem-sucedido de cloud computing.

A ideia aqui é apresentar os 3 tipos de nuvem existentes, suas características e estratégias para que sua escolha seja acertada, evitando problemas futuros. Acompanhe!

Quais são e para que servem os três tipos de nuvem?

Como veremos a seguir, o tipo de nuvem ideal depende do tipo de dados com os quais a empresa trabalha. Observe a descrição dos três modelos e veja qual deles se encaixa melhor nas necessidades da sua empresa:

Nuvem pública

O que chamamos de nuvem pública é, hoje, a forma mais popular de tecnologia de nuvem. Ela permite que os usuários utilizem um ambiente virtual por meio de uma série de servidores compartilhados, que são acessíveis em uma rede pública.

Com uma nuvem pública, é possível armazenar arquivos remotamente com segurança, e, depois, acessá-los em qualquer computador ou dispositivo (tablet, smartphone, etc.) conectado à web.

É preciso pontuar que a nuvem pública é segura, pois cada empresa tem seu nível de acesso delimitado. Isso quer dizer que somente as pessoas autorizadas podem acessar os dados empresariais armazenados na nuvem.

Normalmente, um provedor de nuvem pública cobra apenas pelos recursos utilizados. Por exemplo, o armazenamento de dados: somente o espaço utilizado é pago. Isso torna os custos menores e mais previsíveis.

Quando uma nuvem pública é recomendada?

A nuvem pública é mais indicada nos casos em que os dados não são muito sensíveis. Hospedar plataformas de desenvolvimento de software (Platform as a Service, ou PaaS) ou utilizar sistemas no modelo SaaS (Software as a Service), por exemplo, é perfeitamente viável no modelo público.

Nuvem privada

A nuvem privada é aquela em que são alocados servidores específicos para uso exclusivo de uma empresa, sendo acessível apenas dentro da sua própria rede. Em outras palavras, uma rede que atende somente uma empresa, suas filiais e unidades de negócio.

Ao contrário de uma nuvem pública, o objetivo de uma nuvem privada não é vender recursos as a service. Ela visa explorar os benefícios da arquitetura de nuvem sem abrir mão do controle interno.

É possível formatar uma nuvem privada com a infra da própria empresa ou contratar o serviço de um provedor externo (o provedor se encarrega de tudo). Logicamente, esse modelo requer um investimento maior do que o público.

Quando uma nuvem privada é recomendada?

O modelo de nuvem privada é indicado a empresas que lidam com dados considerados muito sensíveis. Transações financeiras, por exemplo, em muitos casos, podem ser consideradas informações que merecem mais cuidados — caso dos bancos e das instituições do mercado financeiro.

Também as empresas que já fizeram grandes investimentos em infra de TI podem aproveitar os recursos disponíveis para montar sua própria nuvem. Assim, podem oferecer aos usuários a infraestrutura como serviço (Infrastructure as a Service, ou IaaS). Ou podem ampliar recursos de comunicação e oferecê-los também como serviço (Communication as a Service, ou CaaS), especialmente nos casos em que há escritórios espalhados em diversas localidades.

Nuvem híbrida

A nuvem híbrida, como o próprio nome indica, é a mescla dos dois tipos de nuvem descritos acima.

Quando uma nuvem híbrida é recomendada?

Geralmente, empresas que dispõem de recursos para formatar uma nuvem privada e que querem aproveitar a nuvem pública, acabam por explorar o modelo híbrido. Assim, em períodos de pico, algumas aplicações — ou parte delas — podem ser migradas para um provedor externo, enquanto o restante fica alocado na infra interna.

Você tem um projeto de cloud computing? O que achou das descrições dos três tipos de nuvem existentes? Para saber mais confira este artigo sobre a nuvem nas pequenas empresas e entenda essa tecnologia!

O Autor
Vice-presidente no Asaas
Gerar boleto

Esteja sempre bem informado sem pagar nada!

Cadastre-se e receba um e-mail semanal com as últimas novidades do blog.