O que é preciso para gerar boletos para os clientes?

Senior man at home in front of laptop computer

O recebimento por serviço prestado por meio de boleto bancário faz parte da realidade brasileira. Se comparado ao cartão de crédito é uma opção de recebimento relativamente simples e que está longe de ser deixada de lado no comércio eletrônico, ocupando o segundo lugar na preferência dos consumidores que adquirem produtos e serviços online.

Se você optou por oferecer aos seus clientes mais esta forma de pagamento, está no caminho certo. Muitos clientes deixam de concretizar transações por ter que preencher cadastros excessivamente detalhados ou quando só há uma alternativa de pagamento.

Ainda não disponibilizou a opção de gerar boletos na sua empresa? Confira as dicas a seguir e não perca mais tempo.

Quem pode gerar boletos?

Pessoas jurídicas podem usar boletos bancários como forma de recebimento, bastando para isso ser correntista em banco e contratar junto à gerência da sua conta empresarial a ativação desse serviço.

Para isso, haverá pagamento de taxas por boleto gerado ou pago, que variam de acordo com o banco escolhido e a carteira de cobrança que, por sua vez, depende de fatores como porte da empresa, quantidade de clientes e natureza do serviço prestado.

Pessoas físicas também podem gerar boletos. Se você é autônomo, informe-se junto ao seu banco sobre essa possibilidade. As condições para cada banco variam quando se trata de abrir uma carteira de cobrança para CPF.

De forma geral, o histórico de relacionamento entre banco e correntista, o tempo de existência da conta e o tipo de serviço que você presta são levados em consideração no momento da aprovação ou recusa, mesmo não se tratando de concessão de linha de crédito, mas, sim, de contratação de um serviço para a conta-corrente.

Além disso, o boleto emitido por pessoa física não pode ser levado a protesto em caso de inadimplência do seu cliente por ser um documento compensável para cobrança de valores. O BC, por meio da Circular 3.656 determinou que nos boletos devem constar a inscrição no CPF ou no CNPJ. Mas fique atento às taxas para esse serviço que costumam variar muito. Sendo autorizado, é firmado então um contrato entre banco e correntista pela utilização do sistema de boletos.

Qual carteira de cobrança escolher?

É hora de optar por um tipo de cobrança que melhor se encaixa no perfil e porte do seu empreendimento, e seu gerente pode orientá-lo na escolha.

Na cobrança registrada é possível controlar os pagamentos de forma mais efetiva, delegando ao banco as tarefas de emitir, enviar, cobrar e protestar. Nessa opção, as tarifas bancárias são mais altas e incidem sobre cada boleto gerado, sendo que para modificar um valor ou uma data de vencimento basta comunicar o banco, que fará a atualização.

Na cobrança não registrada, você mesmo desempenha as tarefas de digitação dos dados do cliente, lançamento de valores, emissão, envio, cobrança e protesto. Nessa opção, o banco só toma conhecimento da geração de um boleto no momento em que o seu cliente efetua o pagamento e sobre ele é cobrada a taxa, que varia de acordo com o banco.

Essa taxa pós-pagamento permite que boletos sejam substituídos se houverem alterações em datas e valores, sem a necessidade de comunicação prévia ao banco.

O que fazer depois de escolher a carteira de cobrança?

Você tem a opção de utilizar o próprio software disponibilizado pelo banco para a emissão e impressão dos seus boletos, ou pode usar softwares de empresas especializadas em gestão de boletos e cobrança.

A segunda opção traz diversos serviços, como emissão, envio para o e-mail dos clientes, disponibilização para download no seu site, notificações de atrasos e demais funcionalidades.

Porém, antes de começar a gerar boletos, é necessário passar pelo processo de homologação, que é feito para cada conta corrente habilitada para receber pagamentos. Consiste em testar a seguridade do sistema e a consistência das informações do boleto como linha digitável, código de barras, “nosso número” e também se está dentro dos padrões Federação Brasileira de Bancos (FEBRABAN) com relação ao layout, fontes e formato.

Você deverá gerar certo número de boletos fictícios e enviá-los ao gerente para conferência e aprovação. Isso evita erros de compensação em boletos futuros.

A partir da circular 3.656 do BC, algumas modificações nos boletos passaram a vigorar. Entre elas está a substituição do nome “cedente” por “beneficiário” e o “sacado” passou a ser “pagador”. Fique atento a essas mudanças para começar a gerar boletos aos seus clientes.

O que é um boleto registrado?

O boleto com registro é um documento de cobrança que carrega todas as informações enviadas para ao banco, que procedeu ao registro dele. Nesse tipo de boleto, além do código de barras, data de emissão e vencimento e outras informações de praxe, também constam o CPF e o nome do cliente.

Esse tipo de processo permite que os emissores de boletos enviem os seus clientes devedores para os órgãos de proteção ao crédito, obviamente, após o vencimento do título registrado no banco.

Quais são as taxas nesse tipo de operação?

Com relação às taxas, elas são cobradas pelo banco a partir da emissão do boleto, ou seja, independentemente do pagamento por parte de seu cliente, ela deverá ser cobrada. Essa taxa é chamada de tarifa de permanência.

Qual é a diferença entre um boleto com registro e sem registro?

A carteira sem registro trata-se de boletos que o emissor envia diretamente para o seu cliente, dispensando o conhecimento do banco emissor. Sendo assim, a instituição não teria controle nenhum sobre seu vencimento e valor.

Nesse caso, em se tratando de taxas, assim que o boleto fosse compensado o emissor era debitado em um valor que girava em torno de R$ 3,00 por boleto, portanto, a carteira sem registro tornou-se muito utilizada entre profissionais liberais e, até mesmo, pequenos comércios, mas isso mudou muito nos últimos anos.

Em 2015, a FEBRABAN proibiu a emissão de boletos sem registro, o que está sendo gradativamente implantado em nosso sistema. Alguns valores ainda podem ser emitidos sem registro, mas a cada ano a obrigatoriedade vai afunilando até chegar ao ponto de abranger todos os valores.

Como o boleto com registro pode ser emitido?

O primeiro passo é abrir uma conta em uma instituição bancária que ofereça esse serviço. Nessa etapa, você deve fazer uma busca para encontrar os bancos com as menores taxas e melhores sistemas para emissão.

A diferença do valor da taxa de um banco para outro pode ser mínima, no entanto, quando uma empresa emite muitos documentos, pode ser que esse valor somado perfaça um montante elevado.

Após a abertura da conta e habilitação do sistema, sua empresa estará apta para realizar os processos de emissão de boleto com registro.

O boleto com registro é previamente registrado no banco de dados do seu banco, dessa forma a instituição terá todos os detalhes da cobrança. A base do seu banco agregará os dados necessários para que, caso seja necessário, você ingresse com um procedimento de protesto, bem como, inclusão dos dados do devedor nos sistemas de proteção ao crédito.

O procedimento de emissão é realizado por meio de sistemas online ou próprios, ligados diretamente ao banco, que terá acesso às informações que lhe são competentes para realizar a emissão do documento de cobrança.

Quais são as vantagens de emitir boleto na empresa?

Mesmo com a obrigatoriedade do registro de boletos, esse procedimento ainda possibilita inúmeras vantagens para as empresas que o utilizam. Neste tópico vamos mostrar alguns desses benefícios. Acompanhe!

Elimina a dependência de cartão de crédito

Você já perdeu compra pelo fato de o cliente não ter dinheiro para comprar à vista e ainda por cima não trabalhar com cartão de crédito? Isso pode ser solucionado com o boleto. Isso porque, com o registro feito pelos bancos, a empresa poderá vender determinado item e receber por meio de um boleto bancário registrado.

Em resumo, isso significa que a sua empresa poderá atender a um número maior de clientes, possibilitando formas de pagamento acessíveis a todos os perfis, eliminando as barreiras mentais que impedem as pessoas de efetuar uma compra.

Envio online de boletos

Outra vantagem é a possibilidade de enviar um boleto diretamente para o seu cliente efetuar um pagamento. Esse benefício é muito utilizado para empresas que vendem para clientes situados em outras cidades ou estados.

Mais segurança nas operações de venda

Como o boleto é registrado, fica mais fácil ter um controle sobre o perfil das pessoas que adquirem com você, tornando as operações de venda mais seguras, em se tratando do pagamento das suas vendas.

Possibilidade de protestar o título emitido e não pago

Outra grande vantagem é a possibilidade de protestar um título, caso não tenha sido pago e, principalmente, tenham-se esgotadas todas as alternativas amigáveis de receber por determinada venda.

Dessa forma, a empresa fica amparada judicialmente caso um cliente compre um produto e não realize o pagamento.

Facilidade na gestão de títulos a vencer

Os boletos bancários também facilitam a vida da gestão financeira da sua empresa, tendo em vista que, atualmente existem sistemas que fazem toda a parte de administração de forma automatizada, possibilitando que sejam controlados os dados do cliente, vencimento, valor etc.

Além disso, também é possível realizar o cálculo de multas e juros de forma automática, sem perder tempo realizando cálculos manuais que ainda podem estar sujeitos a erros, caso a pessoa não tenha conhecimentos específicos sobre o assunto.

Como funcionam as plataformas para gerar boleto online?

As plataformas de emissão de boletos online funcionam em um ambiente acessado por meio da internet, dispensando a necessidade de instalação de sistemas nas máquinas que farão a emissão dos títulos.

A pessoa ou departamento responsável receberá um endereço eletrônico, bem como, um login e senha e poderá acessar o sistema do banco em qualquer lugar com acesso à internet.

Isso é um grande avanço, principalmente, para empresas que não têm uma estrutura tecnológica muito desenvolvida. Esse processo dispensa a aquisição de servidores para hospedar software pesados e que, geralmente, têm um alto custo de manutenção.

Além disso, não podemos esquecer-nos da grande facilidade que esse processo proporciona, permitindo que você emita os seus boletos da sua casa, ou durante uma viagem, em qualquer lugar que você estiver.

Com todas essas dicas, você percebeu que gerar boletos é uma estratégia que trará resultados diversos para a sua empresa, tanto para a parte administrativa, que ganha com a facilidade de gestão, quanto no aumento das vendas.

Gostou deste artigo? Que tal ficar por dentro de mais dicas valiosas como esta? Então, assine nossa newsletter. Assim você não perde nenhum de nossos novos conteúdos.

 

banner-rodape-post-blog

 

Gerar boleto

Esteja sempre bem informado sem pagar nada!

Cadastre-se e receba um e-mail semanal com as últimas novidades do blog.