Open Banking: saiba o que é e quais são os benefícios

Por Diego Contezini
19 de outubro, 2020

O relacionamento entre os bancos e seus consumidores tem mudado ao longo dos anos. No passado, era comum que muitos considerassem os processos das instituições financeiras chatos e burocráticos. Hoje, com a mudança na linguagem e na ampliação de serviços ao cliente — em especial os personalizados —, a realidade é outra. E é aí que entra o Open Banking.

Sigla de “banco aberto”, esse é um tema que tem sido debatido em nível mundial e que, em breve, tende a ser parte permanente das trocas financeiras no Brasil. É por isso que se mostra fundamental entender todo o possível sobre ele e se preparar para as mudanças.

Se você deseja saber ainda mais em relação ao assunto, continue lendo este conteúdo!

Conteúdo

O que é Open Banking?

Imagine todo seu histórico financeiro: transações, movimentações, compras e empréstimos. São dados desse tipo que permitem que os bancos com os quais você e sua empresa contam ofereçam serviços personalizados e próximos às suas necessidades, certo?

Agora, pense que deseja mudar de banco. Uma das primeiras ideias que podem vir à sua cabeça, em termos dados, é: “como levar essas informações até a nova instituição financeira e garantir serviços ideais para mim?”.

Bem, é disso que se trata o Open Banking. Ele permite que você leve dados sobre seu negócio, por exemplo, a qualquer instituição que desejar, possibilitando que ela os use em prol do oferecimento dos melhores serviços possíveis.

É importante reforçar que, com essa mudança, é o cliente que escolhe quem tem acesso às suas informações e de que forma isso ocorrerá. Essa decisão impacta a comunicação entre ele e o banco — definindo se um novo relacionamento será necessário ou não.

Ademais, é preciso falar sobre segurança. Afinal, algumas pessoas podem pensar que a adesão ao Open Banking faria com que suas informações estivessem “soltas” no ambiente on-line. Mas não é bem assim. Na realidade, elas estariam amparadas por APIs (application programming interface) abertas. Dessa forma, seriam acionadas somente se o usuário autorizasse o compartilhamento de seus dados.

Quais são os benefícios do Open Banking?

A fim de exemplificar as vantagens do Open Banking, pense em um pedido de empréstimo. Esse é um processo comum e que pode levar tempo para ser finalizado. Isso é dito uma vez que é preciso realizar análises de crédito e conhecer o histórico do solicitante. É essa base de conhecimento que delimita valores, juros, tempo de pagamento, entre outros fatores.

Com essa mudança, o cliente se tornará capaz de usar seu histórico em outras instituições. Assim, buscará sempre as melhores condições para si. Isso facilita a liberação de crédito e agiliza o processo. Confira, a seguir, outras vantagens importantes desse novo modelo de transação.

Contexto

Cada dia mais, as empresas entendem a necessidade de oferecer serviços diferentes a clientes distintos. Em outras palavras, elas buscam por personalização. Contudo, sem o contexto adequado nesse momento, não são capazes de oferecer essa vantagem aos clientes.

A adesão ao Open Banking permite que elas tenham todos os dados necessários para, logo no início, dar ao público exatamente o que ele procura em termos de soluções.

Redução da burocracia

Lidar com aberturas, transferências, recebimentos e — até mesmo — com a escolha dos investimentos ideais ao seu perfil nem sempre é uma tarefa ágil. Afinal, é preciso saber mais sobre o consumidor antes de fechar, junto a ele, um plano que satisfaça a todos esses pontos.

O mesmo pode ser dito em relação à apresentação de opções que auxiliem na proteção e na multiplicação patrimonial. É preciso conhecer sua suitability, entender quais são suas metas e planos e conferir investimentos passados que foram realizados. Novamente, o Open Banking tende a facilitar todos esses processos.

Se o cliente desejar, as novas instituições nas quais ele deseja investir ou guardar seu dinheiro acessarão todas as informações de que precisam para se certificar de contemplar as necessidades do consumidor.

Personalização

Todos os pontos citados culminam, naturalmente, em aplicativos, sites, e-mails e comunicações entre os clientes que realmente estão alinhados a quem eles são. Afinal, não há nada mais desagradável — e que garanta que a mensagem seja enviada ao spam — do que receber, por exemplo, um e-mail com a oferta de serviços que nada têm a ver com suas demandas, certo?

Por outro lado, é interessante acessar novidades que são capazes de facilitar o dia a dia. O atributo da personalização permite que os usuários acessem apenas aquilo que os contempla.

Praticidade

Esse é um fator que não afeta, somente, aos que desejam facilitar suas transações financeiras rotineiras. Afinal, ao saberem todo o possível sobre o público, os próprios apps e serviços passam a criar produtos que amparem suas necessidades. Isso otimiza tanto a entrega de boas soluções aos usuários quanto o acesso aos features certos voltados a cada cliente.

Liberdade

É inegável que existem empresas no topo do mercado financeiro. Isso acaba limitando, como consequência, o acesso aos produtos certos. Mesmo que esse cenário esteja mudando em função das fintechs, em especial, a proposta é de que o Open Banking traga uma maior liberdade. Ela permitirá que o usuário transite entre os serviços que mais o agradam. E isso é positivo na descentralização da oferta de soluções.

Qual é a situação do mercado nacional perante a adoção do Open Banking?

Será que o país está preparado para essa mudança? No Reino Unido, ela já é uma realidade. Em outros países, como nos Estados Unidos, Austrália e Japão, também já se fala sobre a implementação desse sistema. Mas e no Brasil?

A verdade é que, mesmo que já existam iniciativas fortes que tratam do assunto, as empresas mais antigas do setor apresentam resistência. É preciso que o Banco Central ainda defina uma data definitiva para a regulamentação. Contudo, espera-se que isso ocorra muito em breve.

O Open Banking promete trazer uma série de benefícios a todos os envolvidos em seu modelo de negócios. É fundamental estar informado sobre o assunto e encarar as novas facetas do mercado financeiro. Afinal, é imperativo estar sempre preparado para as mudanças trazidas pela transformação digital em todos os setores!