Plano de negócios: O que é e a sua importância

 

Você já dominou o que é plano de negócios. Esse processo agrega uma série de vantagens ao seu empreendimento, permitindo que o empreendedor aprimore suas ideias, defina com clareza seus objetivos e metas, e apresente um documento concreto para os investidores. Mas quais são os desafios envolvidos no processo? E o que pode dar errado? Veja a seguir!

Quais os desafios ao criar um plano de negócios?

Sabemos o que é o plano de negócios e sua importância para definir o andamento da empresa e suas ações estratégicas. Mas é claro que o processo tem seus desafios — e como contorná-los? Reunimos abaixo os principais desafios.

Detalhar as minúcias

Agora que você sabe o que é plano de negócios, já deve ter entendido a importância de ser detalhista nesse planejamento, afinal, ele servirá para convencer investidores da relevância da sua empresa. Ou seja, esse documento deve ser tratado como um plano de marketing.

O desafio é detalhar o plano sem, no entanto, transformá-lo em uma espécie de manual de instruções entediante. Seja detalhista, mas sem se esquecer de é na reunião com os investidores que maiores informações deverão ser passadas.

Comprovar seu potencial de sucesso

O plano de negócios deve mostrar lógica e, objetivamente, demonstrar que a empresa tem chances de dar certo. Bem como um profissional da advocacia precisa respaldar seus argumentos, o plano deve dar razões para um investidor apostar na ideia da empresa.

O segundo desafio é demonstrar que seu time é qualificado e que sua organização tem diferenciais competitivos que a distinguem das concorrentes, além de comprovar as chances de sucesso por meio de pesquisas de mercado. Esses dados devem ser apresentados sem abusar de termos superlativos e fazer o plano soar piegas.

Descrever o negócio com clareza

Aqui, temos outro aspecto que o uso excessivo de superlativos pode prejudicar. Se não há clareza nas descrições do seu plano de negócios, os leitores não conseguem avaliar objetivamente o que ele propõe. Esse desafio tem um caráter crítico. Se a leitura não agrada ao investidor, é provável que ele a abandone logo de início. Evite histórias longas — prefira descrever precisamente o que sua empresa faz e o que pretende no mercado.

Quais erros a empresa não pode cometer?

Agora que você já sabe o que é plano de negócios, é hora de colocá-lo em prática. É claro que os planos de negócio estão sujeitos a erros — o mais preocupante é a frequência com que alguns deles ocorrem. Pior ainda, algumas dessas falhas frequentes podem ser catastróficas para os negócios.

O consultor se depara com diversos modelos de planos de negócios e deve estar preparado para escolher o que melhor serve ao seu empreendimento. O curioso é que, independentemente do segmento, os erros nos planos parecem se repetir. Para ajudar sua empresa a contorná-los, listamos os principais erros e também as melhores dicas para se ver livre deles. Acompanhe!

Não ter objetivos claros

Se não há metas específicas e um objetivo claro para a aplicação do plano de negócios, é provável que tudo vá por água abaixo. Sem mensurar suas expectativas de vendas e visar o futuro do seu empreendimento, o gestor erra fatalmente e pode comprometer a saúde financeira da organização.

O princípio do plano de negócios é dar um norte para gestores e colaboradores, definindo métricas e objetivos para a empresa. Como colocar em prática um plano eficiente se a organização não sabe aonde quer chegar?

Há outro aspecto: muitas vezes, gestor e equipe acreditam que têm um plano sólido em mãos, quando, na verdade, há muitos furos que podem prejudicar definitivamente o desempenho da marca no mercado. Um bom plano de negócios deve definir explicitamente o número de vendas que pretende atingir em um período determinado e qual a abrangência que pretende conquistar em seu mercado.

As visões da empresa para o futuro não devem ficar restritas a clichês e utopias desconectadas da realidade. As metas devem ser mensuráveis, específicas e relevantes para manter as finanças em dia.

Subestimar a concorrência

Acredite: ao descreverem seus planos de negócios, muitos gestores pintam-no como uma ideia tão inovadora que não haveria concorrência. Alerta! Erro fatal à vista.

Tome cuidado com esse tipo de afirmação, porque, ainda que sua marca não tenha concorrentes diretos no momento, haverá sempre algum produto ou serviço que possa substituir os seus. Além disso, a concorrência se forma diante das inovações, criando competição até mesmo para os novos empreendimentos.

A pergunta que deve ser feita pelo empreendedor é: se meus produtos e serviços não existissem, como o consumidor teria suas necessidades atendidas? A resposta para essa pergunta ajudará a identificar quem são os concorrentes que estão fazendo frente à sua empresa. São eles que devem ser tratados no seu plano de negócios.

Administração financeira descuidada

Esse é outro dos erros comuns nos planos de negócios. Planilhas financeiras podem ser enganosas quando o gestor se preocupa mais em inflar os números para fazer parecer que a saúde financeira da organização está em dia.

Na expectativa de apresentar um negócio sólido, o empreendedor pode se deixar levar pelo otimismo excessivo e registrar projeções de venda que não condizem com as capacidades reais da empresa. Não subestime também os custos e as despesas da organização. Esse registro distante da realidade pode comprometer o futuro da empresa.

Não demonstrar seus diferenciais competitivos

Em alguns casos, o empreendedor tem, de fato, um negócio promissor nas mãos. A dificuldade surge quando se torna necessário passar essas boas ideias para o papel, e o gestor pode acabar tendo dificuldade para identificar e ressaltar seus diferenciais competitivos.

O diferencial de uma marca é aquele ponto digno de atenção, o fator x que chamará a atenção do consumidor e poderá torná-lo um cliente fiel da empresa. Não reconhecê-lo é um erro cometido tipicamente pelos empreendedores que não estudaram seu mercado e os concorrentes, deixando que a emoção cegue a visão do real potencial de seu negócio.

Desconhecer seu negócio

O desconhecimento é um fator que merece ser reforçado! Quando o plano de negócios é superficial, tende a abusar de clichês, citando seus “produtos de extrema qualidade”, “equipe altamente treinada” e sua relação com os “principais fornecedores”. Esse excesso indica um desconhecimento do próprio negócio, o que pode sacrificar todo o plano.

Os planos realmente bons são específicos e precisos, sem cair nos termos técnicos, mas também evitando ser prolixos. Quando o empreendedor não tem um bom currículo, pode querer compensar sua inexperiência em um engrandecimento de seu plano de negócios.

Portanto, não arrisque os sonhos que você tem para seu empreendimento por conta de um plano de negócios mal gerenciado. Agora que você domina o que é plano de negócios e tem as melhores dicas, é hora de colocá-las em prática.

Gostou deste conteúdo? Aproveite para assinar nossa newsletter e receber nossos conteúdos mais relevantes em primeira mão!

Gerar boleto

Esteja sempre bem informado sem pagar nada!

Cadastre-se e receba um e-mail semanal com as últimas novidades do blog.