5 dificuldades para conseguir crédito empresarial e como vencê-las

Depositphotos_10513678_s

Milhares de micro e pequenos empreendedores de todo o país, quando precisam recorrer às instituições bancárias para capitalizarem seus negócios, acabam, muitas vezes, tendo suas expectativas frustradas. Os bancos tendem a facilitar o empréstimo para as grandes organizações, mais sólidas — e, consequentemente, mais seguras —, o que deixa os pequenos empreendimentos fragilizados.

Quer conhecer melhor algumas dificuldades enfrentadas por essas empresas e como superá-las? Então não deixe de conferir agora mesmo nosso artigo:

Baixa movimentação financeira

Micro e pequenas empresas costumam apresentar faturamento mais baixo e, normalmente, bem flutuante. Como algumas linhas de crédito exigem faturamento mínimo mensal para considerarem a concessão do empréstimo, essas pequenas organizações, muitas vezes, têm dificuldade de atender à exigência, não sendo, assim, beneficiadas.

Irregularidade nos documentos

A lista de documentos exigidos pelas organizações financeiras costuma ser bem extensa, visto que essa é uma forma de minimizar o risco para a instituição. Para serem beneficiadas, as empresas precisam estar com a documentação rigorosamente em dia, principalmente se forem requerer empréstimos em instituições públicas, como a Caixa Econômica Federal e o Banco do Brasil.

Alvará de funcionamento, CNPJ atualizado e balanço de abertura e previsão de faturamento nos primeiros 12 meses — para empresas em fase de implantação —, escrituras dos bens imóveis, certificados de registros de veículos e contrato social, ata de constituição e estatuto ou declaração de empresário registrados na Junta Comercial são alguns dos documentos exigidos, mas é bom se certificar, pois existem ainda muitos outros.

Falta de informação

A rotina do pequeno empreendedor é corrida. Muitas vezes exercendo diversas funções na empresa, a dificuldade pela busca das informações pode ser ainda maior do que o imaginado. Mas, como esse é um quesito fundamental, precisa, de uma maneira ou de outra, ser providenciado.

Antes de aderir a alguma linha de crédito, é importante pesquisar em mais de uma instituição, para detalhar todas as condições oferecidas e poder optar pela melhor. A falta de informação faz muito empresário desconhecer, por exemplo, que existem alternativas como as incubadoras — empresas que oferecem suporte técnico, gerencial e complementam a formação do empreendedor — e a figura do investidor anjo, que investe recursos em empresas em seus estágios iniciais nas quais identifica potencial, muitas vezes assumindo alguma porcentagem de participação no negócio.

Altos juros

Como o risco de emprestar para pequenas empresas é maior, os juros também costumam ser um pouco mais amargos. De acordo com uma pesquisa feita pela Associação Nacional dos Executivos de Finanças (Anefac), as empresas pagaram, em 2013, juros médios de 43,74% ao ano, um índice muito elevado.

Essa taxa, se colocada cumulativamente no papel, pode ser um dos maiores entraves à contração de empréstimos por parte das pequenas empresas do país. Assim, antes de tomar uma decisão definitiva, faça as contas, verifique a real possibilidade de pagamento das prestações pelo período estabelecido e não arrisque mais do que a saúde do seu negócio poderá aguentar.

Pouco planejamento

Qualquer aquisição de crédito deve ser devidamente planejada. É preciso saber quais são as necessidades da empresa, para que nenhum recurso seja adquirido sem necessidade ou mesmo em quantidade inferior à necessária. É preciso também procurar saber exatamente como o empréstimo será liquidado, para a empresa não correr o risco de pagar juros sobre juros ou ficar inadimplente com os órgãos credores. Planejamento é a chave!

E então, está cogitando essa possibilidade? Já sondou as instituições financeiras? Comente aqui e compartilhe conosco suas experiências e dúvidas! Participe!

 

Gerar boleto

Esteja sempre bem informado sem pagar nada!

Cadastre-se e receba um e-mail semanal com as últimas novidades do blog.