Entenda a importância da gestão fiscal para uma empresa

Entenda_a_importância_da_gestão_fiscal_para_uma_empresa.jpg.jpeg

 

O Brasil está entre os países com a mais alta e mais complexa legislação tributária do mundo. E o pior, essa legislação muda praticamente a cada ano! Devido a isso, muitos empresários têm dificuldades em escolher o melhor regime tributário para as suas empresas, e podem acabar pagando mais impostos do que o necessário. Aliada à toda essa confusão tributária, muitos empreendedores ainda pecam bastante no quesito gestão fiscal, o que pode acarretar em ainda mais prejuízos e, inclusive, na derrocada do negócio!

Segundo o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), cerca de 50% das empresas abertas no Brasil fecham após menos de 3 anos de atividade. E a má gestão fiscal figura como um dos principais motivos para que essa porcentagem seja tão alta. Por isso, é crucial que desde antes da abertura da empresa, os empreendedores se dediquem a realizar um bom planejamento e gestão fiscal de seu negócio.

Quer entender a importância da gestão fiscal para sua empresa? Continue lendo nosso artigo de hoje e saiba mais sobre esse assunto. Confira!

Por que a gestão fiscal é importante?

Se você é empresário, responda às questões abaixo da maneira mais honesta possível:

  • O regime tributário adotado para o seu negócio é o mais adequado às atividades que ele exerce?
  • Você conta com um sistema de controle fiscal interno eficiente?
  • É realizado algum cálculo para prever a existência de prejuízos para a empresa no recolhimento e compensação de tributos?
  • As obrigações acessórias estão sendo cumpridas corretamente?
  • Você consegue visualizar e planejar, com uma margem segura de acerto, os próximos 5 anos de atividade de seu negócio, sob uma perspectiva fiscal e financeira?

Caso tenha respondido de maneira negativa a algumas dessas questões, é necessário que você pare e reflita sobre os possíveis prejuízos que seu negócio pode amargar em pouco tempo, simplesmente devido à má ou inexistente gestão fiscal.

Dando especial atenção à essa área, é possível obter informações mais precisas para definir planos e metas de curto, médio e longo prazos para a companhia, e ter certeza de que o negócio está em situação regular com o Fisco, além de otimizar o pagamento de tributos de maneira dinâmica e na medida – nem mais, nem menos. Olhando sob essa perspectiva, fica clara a importância de investir nessa questão, não é mesmo?

Como iniciar um plano de gestão fiscal eficiente?

Se você está planejando abrir um negócio, acredite, esse é o melhor momento para iniciar um plano de gestão fiscal. Como dissemos na introdução desse artigo, a legislação tributária brasileira é extremamente complexa e deve ser bem estudada antes de qualquer atitude ser tomada.

Existem, basicamente, quatro regimes de tributação para empresas no Brasil: lucro real, lucro presumido, simples nacional e lucro arbitrado. Cada um deles tem suas especificidades e particularidades, e é necessário escolher o que mais se adequa ao seu tipo de empresa e ao produto e/ou serviço que ela prestará. Escolher o regime tributário correto é o primeiro e mais acertado passo.

Entretanto, se você já abriu as portas de seu empreendimento, não se preocupe! É possível iniciar a gestão fiscal a qualquer momento, mas quanto mais cedo melhor. Primeiramente, reúna todas as peças contábeis disponíveis na empresa, como balanço patrimonial, demonstração de resultados do exercício, fluxo de caixa e demais documentos de contabilidade. Isso ajudará sobremaneira na análise detalhada do desempenho fiscal e de caixa da empresa.

A partir do levantamento de toda a documentação fiscal e contábil, estude com cuidado a legislação fiscal brasileira e escolha a que mais se adequa às atividades que sua empresa exerce. Atenção: para acertar na escolha, é necessário que você tenha amplo conhecimento sobre a atividade operacional da empresa. Além disso, é crucial ter exata noção da margem de lucro e dos gastos da empresa, pois isso garantirá uma base significativa para o cálculo do melhor regime tributário.

Dicas para realizar uma boa gestão fiscal

Você já parou para pensar que uma má gestão fiscal pode fazer com que você esteja recolhendo mais tributos do que o necessário? E que esse capital poderia ser reaplicado em outras áreas da companhia, gerando mais lucros? Confira abaixo algumas dicas para iniciar a gestão fiscal de sua empresa agora mesmo!

a) Planejamento fiscal

É superimportante realizar um bom planejamento fiscal, visto que ele proporcionará uma visão ampla e a longo prazo de suas atividades, bem como dos encargos tributários normais associados a elas. Isso permitirá que você crie reservas para eventuais contratempos, como falhas internas e multas.

b) Fluxo de caixa em dia

Assim como o planejamento fiscal, é essencial que o controle financeiro também seja realizado de maneira eficiente e organizada. Qual o preço de seu produto? E a margem de lucro? Os gastos fixos e variáveis? Os tributos? É importante ter todas essas informações sempre atualizadas e à disposição, o que permite que você possa traçar metas e estratégias visando o presente e o futuro do negócio.

c) Automatização

Sabemos o quanto os gestores, principalmente de empreendimentos pequenos ou que iniciaram suas atividades há pouco tempo, possuem dificuldades em encontrar tempo para realizar uma boa gestão fiscal do negócio. Entretanto, vivemos atualmente na era digital, não é mesmo? É possível utilizar a tecnologia a favor de sua empresa, com a adoção de sistemas automatizados de gestão fiscal.

Com eles, todos os processos tributários do negócio são unificados em uma única plataforma, junto ao sistemas de todos os fiscos – municipal, estadual e federal. Além disso, é possível monitorar os apontamentos e obrigações acessórias, permitindo um maior controle e acesso a informações super precisas, diferentemente de quando os cálculos tributários são feitos manualmente.

d) Benefícios fiscais

Geralmente, os governos municipais, estaduais e federal, possuem projetos e programas de isenção ou abatimento fiscal para determinadas atividades empresariais, desde que certas obrigações sejam cumpridas em contrapartida. Procure informar-se sobre a possibilidade de seu negócio usufruir desses abatimentos. Apesar de muitos empresários acharem que os benefícios fiscais têm pouca influência nas finanças da empresa, eles podem sim, fazer bastante diferença em médio e longo prazos.

Seguindo essas dicas e investindo recursos humanos e tecnológicos na implementação de uma boa gestão fiscal em sua empresa, ela poderá crescer da maneira mais correta e sustentável possível!

Agora ficou claro para você a importância da gestão fiscal para uma empresa? Restou alguma dúvida ou tem alguma opinião sobre esse assunto a compartilhar com a gente? Escreva aqui nos comentários!

Gerar boleto

Esteja sempre bem informado sem pagar nada!

Cadastre-se e receba um e-mail semanal com as últimas novidades do blog.