Como microempreendedores podem criar um fluxo de caixa?

Como microempreendedores podem criar um fluxo de caixa

Para tirar o máximo da gestão financeira de seu negócio, o fluxo de caixa desponta como um bom aliado para qualquer microempreendedor. Essa ferramenta serve para administrar todas as entradas e saídas de dinheiro, além de gerenciar o capital de giro e fazer com que o MEI não se perca nas contas. Você conhece a fundo como é o fluxo de caixa? Está animado para saber mais como criar e desenvolver a ferramenta? Então confira já as informações mais importantes sobre o assunto que separamos para ajudá-lo!

O que é o fluxo de caixa?

O fluxo de caixa é uma ferramenta que possibilita um maior controle da movimentação financeira de uma empresa. Essa estratégia mantém todas as entradas e saídas de um negócio, para depois se calcular o saldo final, juntamente com o lucro. É uma maneira muito organizada de se gerenciar as finanças, visto que o fluxo permite que o microempreendedor analise o que está gerando lucro, e quais as despesas podem ser cortadas. Apesar de parecer algo simples, é necessário muita disciplina e dedicação para um bom funcionamento.

Quando usar o fluxo de caixa?

Pelo fato de ser uma ferramenta de gestão financeira, o fluxo de caixa deve ser algo rotineiro na empresa, podendo ser atualizado diariamente. Quanto maior for o controle do que entra e sai da microempresa, maiores são as chances de se ter um negócio saudável.

Como fazer?

Como foi visto anteriormente, o fluxo de caixa serve para gerenciar toda a movimentação financeira de uma empresa. Ela pode ser realizada através de planilhas do Excel, softwares, ou até mesmo no papel. O modelo básico consiste em dividir em grupos de Entradas e Saídas.

O que fazer na parte “Entradas”?

Aqui deve ser especificado tudo o que a empresa recebe com as vendas de produto ou prestação de serviços, independente da forma de pagamento. O ideal é que a parte da entrada seja atualizada logo após uma venda ser feita.

O que fazer na parte “Saídas”?

O ponto mais importante da parte das saídas é separá-la em despesas fixas, variáveis e fornecedores:

  • Despesas fixas: são todos os gastos mensais como aluguel, telefone, internet, salários, impostos, entre outros.
  • Despesas variáveis: gastos que podem ser os de multas, viagem de negócios, etc.
  • Fornecedores: todas as despesas gerais com os fornecedores.

Também devem ser colocados os gastos com investimentos, pagamentos de tributos, amortização de empréstimos e outros que o MEI julgar necessário.

O que quer dizer “Saldo do período”?

Para analisar o saldo de um respectivo período, podendo ser o do dia, mês ou ano, apenas é preciso que se some todas as entradas e diminua as saídas, prestando atenção nos números que estão negativos.

Como calcular lucro de um fluxo de caixa?

Calcular o lucro de um fluxo de caixa não é difícil como se imagina, basta que o microempreendedor analise todos os gastos que ele teve com o negócio, mesmo aqueles que não parecem ter muita significância. Em muitos casos, há gastos pequenos que são feitos várias vezes, e por fim formam um grande montante de despesas. Dessa forma, para a apuração do lucro, é necessário que o MEI veja se o que ele está ganhando com a venda de produtos ou prestação de serviços, está sendo maior do que se está gastando.

Um bom funcionamento do fluxo de caixa pode evitar despesas desnecessárias e uma otimização dos lucros. Como você costuma gerenciar as movimentações financeiras do seu negócio? Conte para a gente, nos comentários!

 

Gerar boleto

Esteja sempre bem informado sem pagar nada!

Cadastre-se e receba um e-mail semanal com as últimas novidades do blog.