Uma boa ideia e nenhum dinheiro. Que tal crowdfunding?

crowdfunding

 

Quantas boas ideias não saíram do papel por que não contavam com o capital inicial necessário para colocá-la em prática, não é mesmo? Se esse é o seu caso, saiba que existe uma alternativa de financiamento que pode ser um bom começo para o seu negócio próprio: o crowdfunding.

Já ouviu falar nesse termo? Crowdfunding, em bom português, significa financiamento coletivo – a popular vaquinha transferida para o mundo colaborativo da internet. Muito utilizado para o financiamento de causas diversas, o crowdfunding também tem sido visto como alternativas para a arrecadação do dinheiro necessário para o início de pequenos negócios, principalmente na área de tecnologia e inovação.

Como funciona?

A ideia básica do crowdfunding é que se cada um contribuir com um pouquinho, dentro de seus limites, é possível financiar boas ideias de interesse coletivo de forma totalmente independente – sem depender, por exemplo, de grandes corporações e instituições financeiras tradicionais.

Para isso, o dono da ideia se cadastra em uma plataforma de crowdfunding (falaremos das plataformas brasileiras mais adiante) e expõe seu projeto, estabelecendo de quanto precisa e como pretende usar o dinheiro. Projeto inscrito, os interessados em ajudar fazem a doação através do site, por boleto bancário, cartão de crédito ou débito em conta corrente. Em contrapartida, o site cobra uma comissão do dono do projeto financiado.

É usual nesse tipo de site que o criador do projeto ofereça uma espécie de recompensa aos doadores, um prêmio proporcional ao quanto doaram. Por exemplo: a escritora Clara Averbuck financiou seu último livro via crowdfunding. De acordo com o valor que a pessoa doava, a sua recompensa variava entre a edição do livro autografada até um jantar com a escritora, além de sua coleção de livros completa.

Por onde começo?

Uma rápida busca na internet retorna diversas plataformas de crowdfunding disponíveis no Brasil. Há sites de todos os tipos – alguns são especialistas em projetos criativos (filmes, música e etc.), como o Catarse, outros, em financiamento de projetos sociais, como o Benfeitoria. Já existe também os que se direcionam especificamente àqueles que querem abrir o negócio próprio, como o Impulso. Alguns sites são bem gerais, como o Vakinha e o Kickante.

Mas mais importante que a plataforma onde você divulgará o seu projeto é a forma como isso é feito. É preciso expor o projeto de forma interessante para atrair potenciais investidores. Lembre-se: você está vendendo a sua ideia! Mostre como o seu negócio pode ser de interesse coletivo, de que forma as pessoas se beneficiarão com ele. Se a sua ideia é um novo aplicativo, por exemplo, descreva-o, indique as suas funcionalidades, explique por que é inovador. Conquiste o seu cliente!

Fundamental também para o sucesso de sua arrecadação é a divulgação: quanto mais pessoas conhecerem o seu projeto, mais chances de o seu financiamento sair! Utilize as redes sociais, e-mail, peça para os amigos divulgarem sua ideia.

Além disso, pense em um sistema de recompensas bacana, que atraia mais investidores. Seja criativo! Muitas vezes a recompensa vale menos, em termos monetários, que o quanto a pessoa investiu, mas o valor simbólico é maior – isso faz com que ela entenda que compensa o investimento. Pense nisso!

Agora que você conhece melhor o conceito, acha que o crowdfunding é uma alternativa viável para tirar o seu negócio do papel? Ainda tem alguma dúvida? Deixe o seu comentário!

banner_rodape

Gerar boleto

Esteja sempre bem informado sem pagar nada!

Cadastre-se e receba um e-mail semanal com as últimas novidades do blog.