Por que a inteligência emocional é fundamental para bons gestores

Por_que_a_inteligência_emocional_é_fundamental_para_bons_gestores.jpg.jpeg

Por muitos anos, empresas focaram suas escolhas durante o processo de seleção de candidatos no reconhecimento de habilidades intelectuais e conhecimentos técnicos. Pouco ou quase nada envolvia a emoção e a personalidade – uma vez que o foco era encontrar pessoas altamente racionais e de pensamento crítico para exercer funções de alta competência ou mesmo em cargos menores. Pesquisadores já revelaram que profissionais com pouca inteligência emocional não conseguem controlar emoções e humor e isso interfere diretamente nas relações entre colegas e na organização como um todo.

O ambiente de competição global e a realidade macroeconômica em que as companhias brasileiras estão envolvidas exige de gestores posturas que assegure a obtenção de resultados máximos e mantenha o negócio sustentável. Muito além de ser chefe, gestores precisam saber liderar e a pensar, além disso, manter-se atualizado, pessoal e organizacionalmente. Emoções influenciam relações entre pessoas dentro de uma organização, no caso de gestores, reações emocionais acabam envolvendo e influenciando toda a equipe de trabalho. É de grande responsabilidade da liderança a forma como a equipe se comporta, já que é o gestor responsável em direcionar a equipe no alcance dos objetivos da empresa. O líder emocionalmente inteligente reconhece a importância da compreensão de si próprio e dos integrantes da sua equipe, esta é a base para que haja interações pessoais afetivas positivas, ou seja, que a convivência gere satisfação para todos os envolvidos.

Mas o que é Inteligência Emocional? Quais as características que um gestor deve ter para saber lidar com sua equipe? Elaboramos alguns esclarecimentos que vão auxiliar você a compreender a importância de conhecer emocionalmente a si próprio e seus colaboradores para uma gestão eficiente. Acompanhe!

O que é Inteligência Emocional?

Saber ler, interpretar e responder às emoções, tanto as próprias como quanto às dos outros é o que define a Inteligência Emocional. Pessoas que apresentam um elevado nível de inteligência Emocional são hábeis para perceber, controlar e compartilhar emoções e, acima de tudo, contornar conflitos de personalidade que influenciam todos que estão a sua volta – um desafio quanto ao ambiente organizacional. Esta competência de se autoconhecer emocionalmente contribui significativamente para a geração de um ambiente colaborativo e de um trabalho em equipe eficaz e eficiente.

Gestores que sabem lidar com a inteligência emocional desenvolvem mais facilmente respostas proativas em relação a equipe, não importando o quão diversificado seja o perfil de cada membro do grupo. Para a liderança, a inteligência emocional é fundamental. Várias empresas passaram a selecionar seus gestores não mais com base no conhecimento técnico e experiências profissionais. Bons líderes passaram a serem reconhecidos pelas habilidades que possuem em gerenciar pessoas de origens multigerenciais e multiculturais.

Líderes emocionalmente inteligentes geram maiores resultados

Com já foi dito anteriormente, saber controlar e administrar a inteligência emocional vai além de conhecimentos técnicos. Organizações que dispõe de gestores emocionalmente inteligentes passam a ter maiores chances de crescimento e desenvolvimento, por saberem trabalhar e interferir no emocional dos colaboradores, buscando sempre o melhor desempenho das atividades. Saber contornar conflitos e problemas proporciona um clima organizacional mais harmônico e um bom relacionamento interpessoal, além de um melhor rendimento e aumento da produtividade, alcançando assim os resultados desejados.

Características que definem um bom gestor

Definitivamente a era dos “chefes-primatas” já não faz mais parte da rotina das empresas, ou já não tem mais espaço para as organizações atuais. Gestores que se preocupam unicamente em entregar resultados às custas de gritos e assédio moral já não compõe empresas que desejam alcançar o sucesso e crescimento contínuo.

Líderes que sabem lidar com a inteligência emocional:

  • Reconhecem e controlam melhor as emoções próprias e da sua equipe;
  • Desenvolvem novas habilidades;
  • Criam atitudes proativas;
  • Constroem melhores relacionamentos interpessoais;
  • Conquistam pessoas através de um melhor comprometimento;
  • Sabem lidar com diferenças e trabalham com diferentes perfis de profissionais no grupo;
  • Sabem lidar com desafios e resolvem os problemas com soluções conscientes.

O que achou do post? Siga-nos no facebook e e acompanhe todas as novidades da nossa página!

O Autor
Vice-presidente no Asaas
Gerar boleto

Esteja sempre bem informado sem pagar nada!

Cadastre-se e receba um e-mail semanal com as últimas novidades do blog.