Perfil Empreendedor: Silvio Santos

Perfil empreendedor

A história de Sílvio Santos é bem conhecida dos brasileiros: o menino filho de imigrantes e criado na Lapa, no Rio de Janeiro, que começou a trabalhar aos 14 anos para ajudar a família, hoje é um homem rico. Aos 83 anos de idade e há mais de cinquenta anos no ar (começou a carreira televisiva em 1962, na extinta TV Paulista), Silvio Santos acumula, atualmente, um patrimônio avaliado em 6 bilhões de reais.

Mais do que sorte, Silvio Santos demonstrou, ao longo de sua trajetória, ter perfil empreendedor. Uma prova disso são suas primeiras escolhas: sua voz poderosa chamava a atenção de todos, e o então camelô foi chamado para trabalhar no rádio. Nessa primeira empreitada ficou apenas um mês, pois percebeu que ganharia mais trabalhando na feira.

Visão de oportunidade

O Silvio Santos empreendedor nasceria mesmo nas conhecidas barcas que ligam Niterói ao Rio de Janeiro. Observando a monotonia da viagem, Silvio criou um serviço de alto-falantes em que animava as viagens com a execução de músicas. Nos intervalos, anunciava produtos e serviços aos passageiros.

Foi nessa época que, formado Técnico em Contabilidade, assumiu a empresa Baú da Felicidade, de Manoel da Nóbrega (pai de Carlos Alberto da Nóbrega, conhecido pelo programa “A praça é nossa”) depois que o antigo dono levou um golpe que minou a empresa. Em uma época em que o crédito ao consumidor não era abundante como é hoje, reformou o plano de negócios do Baú e passou a vender carnês que, se pagos em dia, davam direito a sorteios e que, ao final, poderiam ser resgatados em mercadorias. Foi um sucesso.

Investindo no próprio sonho

O seu sucesso nas barcas lhe rendeu um convite para trabalhar em São Paulo, onde desenvolveu um show em que apresentava espetáculos com artistas e realizava sorteios, que ficou conhecido pelo interior do estado. Percebendo o potencial da televisão, que aos poucos se tornava o entretenimento mais popular do país, alugou um espaço na TV Paulista, onde iniciou comandando um programa de auditório chamado “Vamos brincar de forca”. Desde este primeiro programa, vendia espaços para anúncios de produtos, que bancavam a atração.

Continuou na TV quando a emissora em que trabalhava foi incorporada pela TV Globo, já com o Programa Silvio Santos, que se tornava um dos maiores sucessos da TV brasileira e, é claro, um dos programas mais rentáveis também.

Acabou saindo da Globo quando percebeu que não poderia se tornar acionista da emissora, o que almejava. Depois, trabalhou na Tupi e na Record (emissora da qual chegou a ter 50% das ações) até conseguir a concessão para abrir o seu próprio canal de TV, o SBT. A partir daí construiu um império que chegou a incluir 34 empresas que contaram, em seu auge, com mais de 11 mil funcionários.

Acredite na sua ideia

Silvio Santos soube, como poucos, fazer as escolhas que o levaram ao topo. Percebeu oportunidades inexploradas, como no caso das barcas, soube arriscar no momento certo quando resolveu transferir o seu negócio para a TV, (ainda uma experiência). Por fim, teve coragem de bancar o seu sonho: ele não queria ter um programa na TV, queria ser dono do canal de TV, mesmo sendo mais cômodo aproveitar o sucesso que já fazia.

Silvio é a prova viva de que, para se destacar na multidão,  é preciso enxergar além do óbvio. Além disso, sua história nos passa uma grande lição: seja ambicioso mas não tenha medo ou vergonha de enfrentar qualquer tipo de trabalho, pois toda experiência traz coisas boas.

E você? Já se imaginou sendo um empresário de sucesso como o Silvio Santos? Comente!

banner_rodape

Gerar boleto

Esteja sempre bem informado sem pagar nada!

Cadastre-se e receba um e-mail semanal com as últimas novidades do blog.