Perfil empreendedor: Coco Chanel

Perfil empreendedor Coco Chanel

Toda vez que se ouve o nome de Coco Chanel a imagem que vem à mente é a de luxo, sofisticação e elegância, não é mesmo? Mas o sucesso nos negócios e o status da mundialmente conhecida marca francesa — que ainda é o sonho de consumo de muitas mulheres pelo mundo afora — foi alcançado graças à coragem e ao trabalho de Coco, uma das primeiras mulheres empreendedoras conhecidas e figura do nosso perfil empreendedor de hoje. Quer saber um pouquinho mais sobre sua história? Então confira:

O passado simples

Não é à toa que a história de vida de Gabrielle Chanel inspirou tantos filmes e livros! Filha ilegítima de um mascate francês com uma simples vendedora, Coco nasceu na região de Auvergne, interior da França. Após a morte da mãe, foi viver em um convento e, graças às freiras, conseguiu seu primeiro emprego, como costureira. Mas a jovem tinha ambições maiores! Assim, acabou se mudando para a cidade de Moulins, onde trabalhou por muito tempo em uma loja de roupas durante o dia e como cantora de cabaré à noite.

A Chanel Modes

Gabrielle achou que seu sucesso viria como cantora, mas o que ela acabou encontrando com a música foi a oportunidade de topar com Etienne Balsan, um jovem e rico playboy parisiense, que não apenas leva Chanel para Paris como financia sua primeira loja, em 1910, já na famosa Rue Cambon. A Chanel Modes era uma loja especializada em chapéus. Em pouco tempo, o estilo simples e elegante de seus produtos começam a fazer sucesso em toda a cidade, o que faz com que as maiores atrizes francesas da época usem seus chapéus. Aí a concorrência passou a imitar seus modelos.

Um novo estilo com velhos materiais

A ameaça da Primeira Guerra, em 1913, faz com que Chanel seja obrigada a deixar Paris e se instalar na litorânea Deauville. E foi nessa cidade que a empreendedora resolveu tomar uma atitude ousada. Coco, que sempre pegou emprestadas roupas do guarda-roupa masculino por serem muito mais práticas que os espartilhos e as pedrarias dos trajes femininos daquela época, decide não apenas criar uma coleção baseada no vestuário dos homens como utilizar materiais de pouco valor e que não eram utilizados na confecção feminina, como o jersey. Chanel acaba, assim, não apenas inventando a moda sport como revolucionando a relação das mulheres com o as roupas. O sucesso é imediato! Por isso, além de Deauville, uma loja é aberta em Biarritz.

O pretinho básico

Toda essa inventividade e criatividade era muito bem trabalhada pela estilista. Nesse período, ela começa a dizer que as invenções seriam substituídas pela criação de clássicos. Não por acaso, nos anos seguintes, a empreendedora continuaria revolucionando o mercado da moda e alcançando sucesso nos negócios ao criar clássicos que ainda são, até os dias de hoje, muito desejados e imitados. É o caso dos blazers, tailleurs e das calças de alfaiataria para as mulheres. Em 1919, Chanel registra uma de suas obras-primas: o famoso pretinho básico.

O trabalho com a marca

Em 1924, Chanel cria outro produto, que tornaria sua marca inesquecível. Surgia aí o Chanel N°. 5, o primeiro perfume a ser assinado por um estilista. Foram muitos testes até se chegar à fórmula final, que também ficou conhecida como ouro líquido. Chanel aproveitou a crítica de um perfumista dizendo que a fragrância era muito agressiva e feminina para criar os anúncios do produto: “um perfume impróprio para as senhoras bem-educadas” e “um perfume de mulher com cheiro de mulher”. A abordagem funcionou, já que esse é, ainda hoje, um dos perfumes mais vendidos do mundo. Mas Chanel não parou por aí. Se já havia conquistado a moda e os perfumes, ainda faltava a maquiagem. Em 1924, cria a Sociedade de Perfumes Chanel, responsável pela produção e comercialização de perfumes e outros produtos de beleza. Nessa época são criadas as primeiras coleções de pó facial e batom.

O auge e os desafios

A fama internacional da marca chega na década de 1930, quando as artistas de Hollywood começam a utilizar produtos Chanel. É o período de maior sucesso nos negócios, a consagração maior da estilista. Em 1935, Coco já empregava 4 mil pessoas, divididas em 5 imóveis, na Rue Cambon. Mas com a Segunda Guerra vem um momento de crise e Coco se vê obrigada a fechar as portas, deixando apenas uma de suas lojas abertas. Chega a época do exílio.

O grande retorno acontece com uma nova coleção que revolucionaria, mais uma vez, o mundo da moda, em 1954. No ano seguinte sua bolsa matelassada com alça em metal dourado — Le 2.55 — seria lançada e, em 1957, os sapatos bicolores, beges e com as pontas pretas, marcariam época, alongando as pernas e, ao mesmo tempo, deixando os pés mais delicados e femininos. Nesse ritmo, Chanel trabalhou até o final de sua vida, em 1971. Hoje sob a orientação do designer Karl Lagerfeld, a marca ainda continua sendo uma das maisons de moda mais prestigiadas do mundo, graças ao perfil empreendedor de sua criadora.

Já conhecia a trajetória inspiradora dessa grande mulher? Viu como a ousadia no mundo dos negócios pode trazer resultados maravilhosos? Que outras lições consegue tirar dessa história? Comente aqui e compartilhe suas impressões conosco!

Gerar boleto

Esteja sempre bem informado sem pagar nada!

Cadastre-se e receba um e-mail semanal com as últimas novidades do blog.