• Home
  • |
  • Empreendedorismo
  • |
  • Empreendedorismo: o guia completo para quem quer abrir seu próprio negócio

Empreendedorismo: o guia completo para quem quer abrir seu próprio negócio

Por Redação Asaas
Publicado em 22 de setembro, 2021 | Atualizado em 23 de setembro, 2021

É cada vez mais comum encontrar pessoas que estão dispostas a abrir a própria empresa e os números provam isso. De acordo com dados do Sebrae, foram criados 2,1 milhões de pequenos negócios nos primeiros seis meses deste ano. Mas quais são as características de um empreendedor? O que é preciso saber sobre investimentos e negócios para estar preparado e lançar seu negócio no mercado?

O termo empreendedorismo tem sido repetido com frequência, fazendo parte do dia a dia de várias pessoas. Porém, é preciso ter cuidado para que não exista uma interpretação errada dessa palavra. 

O desejo de criar soluções e pensar em produtos e tecnologias inovadoras são alguns dos atributos de quem está disposto a entrar nesse mercado. Ou seja, empreender é mais do que abrir um negócio de sucesso, é estar atento às necessidades da população.  

Sendo assim, pode ser considerado como empreendedor aquela pessoa que consegue identificar determinados problemas e pensar em soluções que possam modificar a forma como lidamos com aquela situação. 

Quer saber mais sobre o assunto? Então aproveite para ler o post completo e compreenda o que é empreendedorismo, qual o cenário de investimentos no Brasil e como começar o seu próprio negócio!

Conteúdo

O que é empreendedorismo?

Com a criação de novas empresas e um mercado em que mais pessoas desejam ter o próprio negócio, pensar em empreendedorismo tornou-se realidade para muitas gerações.

Há diversos motivos que levam alguém a se tornar um empreendedor. Existem aqueles que sempre pensaram em ter a própria empresa, enquanto outros enxergaram essa opção após uma demissão ou a dificuldade de ingressar no mercado de trabalho. 

Ao buscar a definição do termo na internet, é possível encontrar o seguinte resultado:

  1. Capacidade de projetar novos negócios ou de idealizar transformações inovadoras ou arriscadas em companhias ou empresas;
  2. Vocação, aptidão ou habilidade de desconstruir, de gerenciar e de desenvolver projetos, atividades ou negócios.
empreendedorismo conceito

É perceptível que o empreendedorismo está ligado ao ato de pensar em novidades que sejam capazes de transformar.

Curiosamente, há alguns anos não era possível encontrar uma definição em português. É claro que isso não significa que não existiam empreendedores por aqui, mas sim que o entendimento da palavra era complicado. 

Esses profissionais sempre existiram e é por conta deles que o mundo está em constante evolução e transformação.

Breve histórico do empreendedorismo no Brasil

Vale lembrar que o ato de empreender não é algo novo, afinal, as primeiras empresas começaram a surgir no final do século XVII. Isso porque a Primeira Revolução Industrial Europeia despertou a necessidade de construir grandes projetos em todos os países, incluindo o nosso. 

Por aqui, alguns nomes do empreendedorismo no Brasil marcaram a evolução naquele tempo, principalmente aqueles que estiveram à frente de grandes ideias, incluindo as ferrovias e rodovias.

Entretanto, com o passar dos anos, os segmentos foram mudando e o país foi abrindo as portas para novas tecnologias e soluções que foram capazes de modificar desde o agronegócio até a forma de consumo da população, dando destaque para as inovações criadas a partir de 1990.

Características dos empreendedores

Agora  é o momento de conferir as características e atributos que um empreendedor precisa ter para garantir uma trajetória de sucesso! Vale destacar que existe uma grande diferença entre fazer parte de uma empresa como colaborador e comandar o próprio negócio. 

Quando falamos de quem está à frente, pensamos em um profissional que é capaz de lidar com diversas situações ao longo do dia, avaliando o que pode ser melhor para a empresa e os colaboradores, nos casos em que há uma equipe. 

Além das decisões, essa pessoa também é responsável por diversas atividades estratégicas e de gestão. Portanto, algumas das características dos empreendedores são: 

Ao centro, está a ilustração de uma mulher de pele azul e cabelos ondulados, também azuis. Ela está de pé, segurando uma xícara de café rosa. À frente dela, há uma mesa, uma cadeira e um notebook. Ao redor da mulher, há algumas características dos empreendedores. São elas: ter confiança, querer ser protagonista, não desistir, ser movido por metas, saber lidar com riscos, ter perfil de liderança e estar atento às oportunidades.

Ter confiança

É um dos traços mais importantes, afinal, mais do que confiar no seu projeto, será preciso transmitir confiança para que outras pessoas acreditem.

Querer ser protagonista

Ser o protagonista da sua história também é uma característica que não pode ser negociada. Você deve ser o rosto e a voz da empresa.

Não desistir

O medo do novo é algo que acompanha todas as pessoas, mas nesse caso é essencial que a desistência seja colocada em último lugar.

Ser movido por metas

Foco no objetivo é outra característica dominante de quem deseja empreender. Para conquistar o sucesso, é essencial planejar e seguir um passo a passo pautado por metas.

Saber lidar com riscos

Se você não deixa de lado a estabilidade e não gosta de correr riscos, esse pode não ser o caminho mais adequado para sua vida profissional.

Ter perfil de liderança

A habilidade de manter um bom relacionamento com as pessoas, além de ter empatia e inteligência emocional, também são aptidões que podem fazer a diferença ao comandar uma equipe ou uma empresa.

Estar atento às oportunidades

Conhecer as novidades do mercado, incluindo tecnologias e processos, também é uma característica que faz a diferença.

Cenário do empreendedorismo no Brasil

Entender o cenário atual é obrigatório para quem deseja entrar no mercado. Sabemos que os brasileiros são criativos por natureza e, por isso, muitas novidades surgem todos os anos. 

De acordo com dados do Sebrae, entre janeiro e abril de 2021 foram abertas mais de 1 milhão de micro e pequenas empresas. O número corresponde a 25% dos empreendimentos que foram criados durante todo o ano de 2020.

Esse crescente número está ligado ao desejo de ser o dono da própria marca, já que um levantamento realizado pela Endeavor mostrou que 76% dos brasileiros entrevistados sonham em ser proprietários ao invés de funcionários. 

A taxa coloca o país na segunda posição de um ranking mundial, ficando atrás apenas da Turquia e à frente dos Estados Unidos, por exemplo.  

Porém, alguns desafios ainda acompanham aqueles que desejam empreender. Confira mais detalhes a seguir.

Os principais desafios do empreendedorismo

Competitividade

A competitividade é forte no mercado do empreendedorismo. Com diversas soluções, pode ser difícil pensar em produtos e serviços diferenciados e que sejam capazes de despertar o desejo do consumidor. 

Por isso, é fundamental que a criação de novas ferramentas e materiais esteja ligada a um problema existente, entregando a solução que as pessoas estão buscando para determinadas situações. O mercado pode ser feroz, mas, se o seu produto agradar, terá espaço para vendas.

Um processo burocrático

Todos que já pensaram em abrir uma empresa ou que possuem amigos empreendedores sabem como o processo pode ser demorado no Brasil. Isso porque existem custos operacionais elevados para realizar diversas ações que são caracterizadas como obrigatórias pelos órgãos públicos. 

Nesse caso, o que acontece é que os empreendedores acabam gastando tempo e dinheiro para cuidar das questões burocráticas em vez de pensar em outros aspectos que podem garantir o sucesso do negócio. 

Vale mencionar que muitas cidades já estão facilitando a abertura de novas empresas, fazendo com que o tempo de espera seja reduzido.

Sede presencial

Outro quesito que pode sobrecarregar as contas de uma empresa é o valor destinado para o aluguel de um espaço. As salas e ambientes corporativos ainda possuem um preço elevado, principalmente nos grandes centros. 

Dependendo do segmento da sua empresa, uma saída pode ser optar por um modelo de atuação remoto, com você e seus colaboradores atuando de casa. 

Fortalecendo a cultura de empreendedorismo 

São muitos os exemplos de sucesso, mas o país ainda precisa facilitar a formação e profissionalização dos empresários. 

Alguns sites e instituições privadas já contam com aulas e trilhas de conhecimento voltadas para os desafios desse público. O olhar para oportunidades de empreender também começa a fazer parte da grade de algumas universidades. 

Outra plataforma que contribui com a cultura do empreendedorismo é o Asaas Talks, podcast que explora o mundo do investimento e da tecnologia. O resultado: um futuro com mais empresas de sucesso.

Disputa por investimentos

Por ser um cenário novo, algumas empresas acabam encontrando dificuldades quando o assunto é a procura por investimento. 

Entretanto, já existem diversos programas e instituições que atuam atendendo e direcionando os empresários, contribuindo com o crescimento dessas instituições em direção ao aporte desejado. 

Tipos de empreendedores e empresas

A área de atuação, o tamanho do negócio e o formato de trabalho vão direcionar o tipo de empreendedor e empresa, afinal, nesse mercado é possível encontrar todos os tipos de empreendimentos. 

Vale ressaltar que existem muitas empresas que começaram com um projeto pequeno, mas que foram crescendo ao longo dos anos, modificando o plano de negócios e alcançando outros públicos. 

E, nessa mudança, o porte da empresa também foi alterado, de acordo com os ganhos e tributos recolhidos. Uma dica é já contar com um modelo a ser seguido, incluindo uma previsão de faturamento para poder optar pelo melhor modelo. 

Então, para te ajudar a compreender em qual estágio está a sua empresa ou em qual deles você deseja chegar, confira as modalidades mais conhecidas: 

Autônomo

É uma categoria que define uma parte dos empreendedores: o autônomo. Esse tipo de profissional possui um registro junto à prefeitura do município em que atua. Um exemplo para compreender quem são essas pessoas é pensar na situação dos pedreiros e taxistas.

Quando é solicitado um dos serviços, a contratação é específica, apenas para determinado momento ou data, sem caracterizar nenhum vínculo empregatício. 

Os profissionais podem emitir o Recibo de Pagamento Autônomo (RPA), comprovando a renda adquirida e quitando os impostos devidos.

MEI 

Esse foi um termo que passou a ser conhecido nos últimos anos: o Microempreendedor Individual (MEI). A pessoa que possui o registro é o único dono do negócio e decidiu iniciar a sua própria empresa, independente do segmento de atuação. 

Sendo assim, o profissional passa a contar com as vantagens e responsabilidades de um pequeno empresário, incluindo os tributos que precisam ser recolhidos e as linhas de crédito que são disponibilizadas para essa categoria. 

Para ser um MEI, é fundamental que o faturamento seja de até R$ 81 mil por ano.  Ao optar pela modalidade, também é possível contar com um CNPJ. 

Microempresa

Esse é outro formato de atuação possível, com uma microempresa. Diferentemente da opção acima, nesse caso é primordial que o faturamento tenha ultrapassado os R$ 81 mil por ano e a organização deve contar com alguns colaboradores contratados. Atuando nessa modalidade, é possível optar por trabalhar com um sócio.

LTDA

Outra nomenclatura conhecida entre os brasileiros é a utilizada para definir as empresas que atuam em Sociedade Limitada (LTDA).  O termo está ligado aos empreendimentos em que a participação dos sócios fica limitada ao valor que cada um investiu, proporcionando segurança para os envolvidos. 

Ou seja, as responsabilidades e atribuições de cada um dos envolvidos é pensada de acordo com o capital social que cada um acrescentou à empresa. 

Eireli 

Uma das vantagens de escolher uma Empresa Individual de Responsabilidade Limitada (Eireli), é a possibilidade de eliminar a figura do sócio, atuando sozinho. Ou seja, nessa opção dá para limitar o investimento sem comprometer o patrimônio pessoal. 

Sendo assim, caso a companhia adquira dívidas, apenas o patrimônio da empresa será utilizado para pagar as contas.  Outro benefício é que o empreendedor pode optar pelo modelo de tributação que mais se adapta ao negócio. 

Tipos de empreendimentos

Assim como existem algumas modalidades, de acordo com as leis estabelecidas de tributação e impostos, também há tipos de empreendimentos. 

Para definir qual é a opção que condiz com o que você deseja, é preciso conhecer algumas das categorias mais utilizadas. Descubra quais são: 

Tipos de empreendimentos: franquias, social, empreendimentos digitais, corporações, soluções informais e cooperados

Franquias

As franquias são caracterizadas pelas instituições que estão presentes em grande parte do país. São aquelas empresas que possuem diversas lojas do Sul ao Norte. 

Nesse caso, cada uma das unidades conta com donos diferentes, que compram o direito de utilizar aquela marca em determinado local. Vale ressaltar que essa pessoa deve seguir todas as diretrizes da empresa, incluindo as cores da loja, a forma de atender o cliente e até mesmo de se comunicar. Lembre-se: o dono da franquia passa a ser detentor dos direitos daquela unidade. 

Empreendimentos digitais 

É uma das opções mais utilizadas nos últimos anos, sendo empreendimentos que funcionam na internet. Fazem parte do grupo aqueles que atuam com soluções que podem ser comercializadas e entregues pelo meio digital, sem necessitar de um espaço físico. 

Nessa situação estão incluídos aqueles profissionais que oferecem serviços digitais, de comunicação e até mesmo soluções visuais, por exemplo. 

Soluções informais

Mesmo com diversas formas de regularização do trabalho, ainda existem pessoas que atuam de maneira informal, ou seja, sem nenhum registro das atividades oferecidas. 

Os trabalhadores podem atuar com vendas diretas ou até mesmo oferecendo soluções, como sapateiros e costureiras, por exemplo. Além de atuarem de forma irregular, esses especialistas deixam de desfrutar de benefícios que são concedidos para aqueles que possuem as atividades validadas. 

Cooperados

Você sabia que as cooperativas também podem atuar com empreendedorismo? Nessas situações, os cooperados são responsáveis por efetuar o pagamento de parcelas e os valores podem ser destinados à inovação. 

Assim, uma equipe de colaboradores fica com a responsabilidade de pensar em soluções que mudem a vida dos cooperados. 

Atuando nas corporações

Também é possível empreender dentro de uma empresa que já existe! Essa atividade é feita quando a instituição decide contar com um time que seja voltado apenas para pensar na melhoria de projetos e ações.

Sendo assim, não existe o investimento de nenhuma quantia, apenas a busca por soluções palpáveis e que possam melhorar os obstáculos enfrentados.

Social

Você sabia que existe a opção de empreender em soluções que são voltadas, exclusivamente, para o cuidado com as pessoas e no segmento social?

São instituições que atuam à frente de algumas demandas ou grupos, pensando no bem-estar e melhora de vida. Ao atuar em um espaço como esse, o seu papel é pensar em inovações que modifiquem a forma como as atividades são realizadas atualmente.

Benefícios do empreendedorismo

Agora que você já sabe algumas das características que acompanham os profissionais e entre quais modelos de negócio é possível escolher,  é o momento de conferir quais são os benefícios. 

É possível falar sobre inúmeras vantagens, incluindo a facilidade de conquistar uma independência financeira ou até mesmo a satisfação pessoal em conquistar um objetivo. Por isso, vamos listar alguns dos mais conhecidos. Confira:

A conquista do próprio negócio

Não há outra forma de iniciar a lista sem mencionar um dos principais ganhos: a conquista por algo que é seu. Não existem dúvidas de que esse é um dos gatilhos para muitas pessoas começarem a empreender. 

Independentemente da idade ou da área de atuação, muitos brasileiros sonham em poder comandar a própria instituição, colocando as ideias e inovações em prática. E conseguir alcançar o sucesso é um motivo para comemorar!

Planejamento financeiro 

A independência financeira é outro objetivo que faz parte do cotidiano de todos aqueles que já estão inseridos no mercado de trabalho. 

O desejo está relacionado ao fato de poder planejar aspectos simples do futuro, mas que fazem a diferença, como o ano de encerramento das atividades, uma economia anual ou até mesmo o privilégio de aproveitar férias mais extensas. 

Vale lembrar que as pessoas que atuam com a carteira assinada também podem conquistar essas vantagens, mas o caminho pode ser mais fácil se você for um dono do seu próprio negócio.

Dono do próprio tempo 

Comandar o próprio tempo também é um dos ganhos nessa profissão. Isso porque você será responsável por escolher em qual momento deseja começar a trabalhar e qual é a hora de parar. 

Você também será responsável por decidir os processos, como as ações devem ser feitas e qual deve ser o direcionamento da marca. São muitas responsabilidades, não é mesmo?

Ser reconhecido por uma solução ou serviço 

Mais um incentivo que deixa muitos empreendedores motivados: a chance de ser conhecido por uma melhoria que a sua empresa foi capaz de entregar!

Para muitos, esse pode ser o principal fator para acreditar nessa opção, investindo todo o tempo e dinheiro em uma solução, afinal, não existe quem não queira ser lembrado por uma boa ideia. 

Incentivar uma mudança na sociedade 

Além do impacto de ser lembrado, a certeza de que a sua empresa está mudando a sociedade também é um daqueles ganhos que ninguém esquece. Dependendo do ramo de atuação, a sua solução ou serviço pode ser capaz de atender diversas categorias da população.

Quer conferir mais informações sobre essas vantagens? Então aproveite para conferir um episódio do podcast Asaas Talk e conhecer um pouco mais sobre a história do empreendedor entrevistado, Léo Waltrick.

Como abrir seu próprio negócio? Por onde começar?

Contar com um passo a passo para abrir um negócio de sucesso pode ser uma opção para quem deseja entrar no mercado, já que alguns atributos precisam ser seguidos para assegurar que o resultado será como o desejado. 

Saiba qual empreendimento iniciar

Saber qual será o tipo de empreendimento que você deseja abrir, o segmento que quer atuar e a forma como vai enquadrar a empresa de acordo com as leis é o primeiro passo para assegurar o sucesso. 

Você tem o perfil desejado?

Além do desejo de ser empreendedor, é fundamental ter o perfil ideal para assumir toda a  responsabilidade. Para isso, leve em consideração algumas das características que são esperadas no profissional. 

Informações sobre o mercado

Ter informações sobre o mercado que você deseja atuar, qual é o público-alvo, quais soluções existem e quanto as pessoas costumam gastar com esses itens são fatos essenciais e que você precisa saber. 

A organização faz parte

Acredite: a organização também pode ser decisiva para manter uma empresa em funcionamento. Por isso, tenha em mente tudo o que é preciso fazer e não deixe nada de lado. Atuar com listas e manter uma agenda atualizada são dicas valiosas para o dia a dia.

Depois de seguir essas dicas, o próximo passo é ir atrás do seu sonho, realizando uma atividade de cada vez. Nesse momento em que está sendo decidido o nome da empresa, área de ocupação ou até mesmo o formato de tributação, é fundamental que tudo seja feito com calma e cautela. 

Erros comuns de quem acabou de abrir o próprio negócio 

Já foi possível perceber que abrir a própria empresa pode ser uma tarefa delicada e com muitos detalhes, não é?

E para te ajudar a não cometer alguns erros que podem ser cruciais para o desenvolvimento da sua ideia, vamos mencionar os mais comuns. Confira:

Investir todo o capital de uma vez

Talvez esse seja um dos erros iniciais. Isso acontece porque, na ansiedade de atingir os objetivos, muitos acabam investindo todo o dinheiro de uma única vez, sem deixar nenhuma reserva. 

Nessa situação, quando surgem imprevistos, não há verba para atender a necessidade — fator que pode gerar dor de cabeça e problemas futuros. A dica é avaliar a quantia disponível e pensar em um primeiro investimento sem zerar o caixa, com um controle financeiro.

Assim, nos casos de emergência, será possível pensar em soluções e nos próximos passos.

Misturar o dinheiro da conta bancária pessoal e da profissional

É uma situação comum e que acaba fazendo parte da história de muitos empreendedores: a junção do dinheiro pessoal com o da empresa. Ao fazer essa soma, muitos problemas podem aparecer. 

Isso porque você não será capaz de mapear quais são os gastos existentes nas duas vertentes, dificultando os processos financeiros e aumentando as chances de falência da sua marca. 

A dica é trabalhar com contas separadas e ter sempre um planejamento específico para cada um dos valores, levando em consideração a quantia que será para o seu negócio e aquela de uso pessoal.

Não ter um plano de negócios 

Não contar com um plano de negócios pode ser o erro que vai decretar o fim do seu sonho. O documento deve servir como um norte, orientando você e todos os envolvidos sobre os próximos passos e metas. 

É nesse compilado de informações que estão todos os pontos fracos e fortes, além da estimativa de ganhos e quais são as metas que devem ser alcançadas. Sem isso, a chance de errar é ainda maior. 

Não deixe de estruturar um plano logo no início das atividades. Além de contribuir com as oportunidades de sucesso, o mecanismo é fundamental para determinar em qual modalidade a sua marca se encaixa.

Esquecer de estruturar o sistema de cobranças

É fato que as pessoas estão cada vez mais conectadas e em busca de soluções simples e fáceis. Sendo assim, o seu sistema de cobrança de clientes precisa acompanhar a mudança, garantindo que sua taxa de inadimplência fique estável.

O ideal é contar com uma solução que seja capaz de oferecer diversas formas de pagamento, além de atuar com mensagens e notificações capazes de lembrar os usuários sobre a conta em aberto ou o boleto gerado. 

Assim será mais fácil receber os pagamentos nas datas planejadas sem precisar entrar em contato com cada um dos clientes, não é mesmo?

Empreendedores que inspiram

Nesse mundo em que tantos nomes ganham destaque, é importante conhecer algumas figuras que já serviram de inspiração para outros profissionais. 

Afinal, ter uma referência pode servir de inspiração para melhorar processos e alcançar novas metas. Repare em alguns nomes que marcaram o segmento no país:

Luiza Trajano (Magalu)

É quase impossível que exista um brasileiro que não nunca ouviu falar da Magazine Luiza. Famosa por vender eletrodomésticos e móveis na loja presencial, o site da empresa possui inúmeros itens de todas as categorias. 

Por trás dessa ideia está Luiza Trajano, empreendedora e investidora. Para atingir o patamar que a loja ocupa hoje, com o título de um dos melhores lugares para trabalhar, a profissional precisou dedicar anos para atingir os objetivos. Luiza é referência em investimentos, com uma das marcas mais fortes no e-commerce nacional. 

Flávio Augusto (Wise Up)

Esse é outro daqueles exemplos que ficam memorizados. Flávio Augusto é o fundador da Wise Up, escola de idiomas conhecida em todo o país. 

O início da trajetória do empreendedor é a mesma realidade de muitas pessoas: morador de uma periferia, sem oportunidade de ensino superior, mas que tinha o desejo de viver uma vida melhor. A sua história começa em uma escola de idiomas e em poucos meses ele passa a ser o gerente da unidade. 

Então, aos 23 anos começa o sonho do negócio próprio, com uma metodologia de ensino que seria capaz de despertar a atenção. O fim da história a gente já conhece, não é mesmo?

Márcio Kumruian (Netshoes)

Outra referência nas vendas on-line é a Netshoes. Destinada para o público que busca por artigos esportivos, esse é o primeiro nome procurado. 

Por trás de todo o sucesso está Márcio Kumruian, que decidiu dar oportunidade para o mercado digital no início dos anos 2000. De lá para cá, com investimento em marketing e projetos pensados para o público da internet, o site tem acesso garantido, além de ser um dos mais lucrativos do ramo.

Luiz Seabra (Natura)

Outra marca que faz parte da história dos brasileiros é a Natura. Conhecida por criar fragrâncias com aromas nacionais, não há dúvidas de que a companhia é uma das mais consolidadas quando o assunto é beleza e cosmética. 

O criador de tudo isso é Luiz Seabra, que uniu a paixão por composições químicas com as aptidões em administração, criando uma das empresas mais conhecidas. Os valores e campanhas desenvolvidas também são referência no ramo.

Alexandre Costa (Cacau Show)

Pensar em chocolate é quase o mesmo que pensar em Cacau Show, não é? Com um sabor inconfundível e opções que agradam crianças e adultos, essa é uma das lojas mais queridas. 

A proximidade que Alexandre Costa tem com o chocolate foi herdada da mãe, e para conquistar a dimensão que a instituição possui atualmente, o início foi realizando vendas de bombons expostos em catálogos. Quem diria que esse nome seria tão presente, não é?

Deu para perceber que ser um empreendedor é uma missão que exige preparo e organização. E, para te ajudar, disponibilizamos diversos materiais que podem guiar a sua trajetória. Aproveite para conferir o e-book com o Plano de Negócios perfeito para autônomos

No Asaas você tem dinheiro antecipado