Empreendedorismo: Quando é o momento de buscar um sócio e o que procurar nele?

Empreendedorismo

Ver o negócio crescer é um dos principais objetivos de um empreendedor e para que isso aconteça é preciso que ele domine não só as características do mercado em que atua, mas também certos conhecimentos técnicos e teóricos, como recursos humanos, contabilidade, marketing e, claro, administração.

Quando esta sobrecarga de atividades atrapalha a gestão do negócio, pode ser que esteja na hora de procurar um sócio. Muitas vezes, a complementaridade entre os sócios pode ser uma ótima saída para que o caminho do empreendedorismo alce novos voos. Por isso, resolvemos abordar neste post qual o melhor momento para se buscar um sócio e o que levar em conta na hora da escolha. Confira!

Como saber a hora certa de se procurar um sócio?

Para responder a esta pergunta é preciso, antes de mais nada, avaliar uma questão básica a ser solucionada, que é a motivação da procura. A busca por sócios geralmente é motivada pela tentativa de complementação da gestão da empresa, seja ela financeira ou gerencial, ou até mesmo pela possibilidade de atrair a cartela de clientes do novo parceiro de negócios. Saber qual é a sua motivação vai te ajudar a entender se a hora de procurar um parceiro de negócios chegou.

No entanto, antes de ter essa iniciativa, é preciso fazer um diagnóstico e avaliar se esses problemas não podem ser solucionados por meio da contratação de funcionários capacitados ou da obtenção de financiamentos bancários. O que vai te ajudar a definir a sua real situação é o grau de abrangência das necessidades: se forem mais pontuais, a solução pode ser encontrada com essas ações mais simples, se for mais ampla, por outro lado, a formação de uma sociedade pode ser a saída mais indicada.

Qual é o perfil de sócio ideal para o seu negócio?

Encontrar um sócio é uma tarefa mais difícil do que se imagina. Aqui, é preciso deixar de lado o ponto de vista subjetivo, ou seja, “quem”, e começar a procurar por uma perspectiva mais objetiva, isto é, “o que”. O novo parceiro deve ter algo para oferecer em contrapartida pela participação na empresa, seja alguma vantagem competitiva gerencial ou a oferta de uma ampliação do aporte de capital.

Se a escolha for pautada por critérios subjetivos, ou seja, a busca por pessoas que tenham apenas afinidades com você, o risco de que a sociedade venha a ruir é maior. É preferível que o novo sócio tenha afinidade com o tipo de negócio escolhido, de modo a harmonizar interesses e garantir um empenho maior do novo colaborador.

Optar por um sócio é uma grande responsabilidade e a escolha deve ser ponderada. A velha máxima de que uma sociedade é a mesma coisa que um casamento, de certa forma, tem a sua validade, já que em ambos os casos é a harmonia de interesses que vai definir o sucesso ou o fracasso da relação.

E você? Acredita que a formação de uma sociedade seja a solução para ver a sua empresa crescer? Ainda tem alguma dúvida? Deixe o seu comentário e continue acompanhando o nosso blog para mais novidades!

banner-rodape-post-blog

Gerar boleto

Esteja sempre bem informado sem pagar nada!

Cadastre-se e receba um e-mail semanal com as últimas novidades do blog.