7 dicas para quem quer empreender mesmo em tempos de crise

depositphotos_94537836_l2015_2.jpg.jpeg

 

Apesar do período de crise que o país enfrenta, muitas pessoas persistem na ideia de empreender e conseguir gerir o negócio próprio com sucesso. Com isso, muitas startups têm surgido e, com elas, o incentivo financeiro de investidores que têm interesse nas suas ideias.

Contudo, nem sempre esses aportes são necessários para garantir a sobrevivência de um negócio. Confira, a seguir, algumas dicas para quem quer empreender na crise!

1. Reduzir custos

A redução de custos é essencial para qualquer empresa que deseja se manter competitiva no mercado. Para empreender na crise, ela é, praticamente, a palavra de ordem, visto que é por meio dela que os empreendedores conseguem melhorar seus processos, oferecer preços mais competitivos e aumentar sua lucratividade. Ela pode ser alcançada por meio de algumas medidas simples, como:

Eliminar desperdícios

Os desperdícios podem ser de material, de mão de obra e de tempo, por exemplo. Para identificá-los e saber como eles devem ser reduzidos e até eliminados, o ideal é revisar os processos e encontrar os gargalos, as atividades que não agregam valor (e podem ser excluídas) e entender como as tarefas podem ser aprimoradas, levando menos tempo para serem realizadas, com a menor quantidade de recursos possível — alcançando maior eficiência.

Reduzir custos com a operação

Existem alguns custos que a empresa precisa absorver para que possa manter suas atividades normalmente. Porém, com um pouco de análise e algumas medidas simples, é possível identificar uma maneira de reduzi-los:

  • Papel: o gasto com papel pode ser alto se o uso for indiscriminado. Para conseguir economizar, o ideal é evitar imprimir e-mails e documentos (fazendo-o somente quando for necessário) e utilizar papel de rascunho para as anotações. Assim, a economia é considerável.
  • Energia elétrica: algumas ações como desligar os computadores, as luzes e o ar condicionado no fim do expediente já são suficientes para conseguir diminuir os custos com energia.
  • Comunicação: adotar pacotes de telefonia, aumentar a presença nas redes sociais, e utilizar mais de uma operadora de celular são algumas das formas de reduzir os custos, ao mesmo tempo em que se consegue manter diversos canais de comunicação com os clientes.

2. Conhecer o cliente

Definir o público-alvo é uma das primeiras tarefas que o empreendedor tem quando está planejando o seu negócio. Porém, mais importante do que saber quem será alcançado, é conhecer melhor essas pessoas. Isso quer dizer identificar os perfis e, principalmente, quais são as necessidades dessas pessoas.

Isso é importante para poder oferecer produtos e serviços que realmente tenham valor, do ponto de vista do cliente, além de conseguir satisfazer as suas expectativas — o que é fundamental na hora de fidelizá-lo.

3. Investir em marketing

O investimento em marketing é necessário para a divulgação da empresa e para garantir que ela se torne reconhecida no mercado. Em um tempo em que o uso da internet é grande, aumentar a presença nas redes sociais é uma excelente maneira de se fazer isso, além de ser mais econômica do que um anúncio de TV ou de revista, por exemplo.

Dessa forma, além de alcançar ainda mais pessoas, a empresa consegue ampliar seus canais de comunicação e oferecer alternativas para que os clientes entrem em contato, o que também é fundamental para garantir sua satisfação.

4. Inovar constantemente

Apesar de uma das características das startups ser justamente a inovação, vale ressaltar que esse deve ser um processo contínuo, ou seja, não basta oferecer um produto ou uma solução que seja inovadora no mercado. O ideal é sempre buscar formas de continuar inovando e superando as expectativas dos clientes.

Porém, ao mesmo tempo, é preciso ter o cuidado de estudar se tal inovação será bem recebida pelo mercado — o que torna o fato de conhecer o cliente ainda mais importante —, pois, caso contrário, todo o esforço e os recursos aplicados serão desperdiçados.

5. Analisar o mercado

Conhecer a fundo o mercado de atuação, bem como conseguir identificar o comportamento dos consumidores e as oscilações na economia é fundamental para elaborar um planejamento mais assertivo, ou redirecioná-lo, se for o caso de não conseguir alcançar os resultados esperados.

Nesse sentido, vale também analisar a concorrência, quais são seus pontos fortes e quais são as principais reclamações dos seus clientes. Assim, é possível apontar quais são as melhores práticas e adaptá-las ao negócio, ao mesmo tempo que se cria medidas para preencher essa necessidade que os concorrentes não conseguem satisfazer, alcançando uma clientela ainda maior.

6. Focar no atendimento

O atendimento é um dos pontos principais de um negócio. Mesmo que a empresa consiga oferecer produtos e serviços com o máximo de qualidade, a forma de se relacionar com os clientes possui um peso muito grande na experiência que eles têm com a empresa, fazendo com que ela seja determinante na decisão de fechar ou voltar a fazer negócio.

Logo, o atendimento aos clientes também deve priorizar a qualidade e, sempre que possível, deve ser aprimorado, estreitando as relações e buscando fazer com que os clientes se sintam especiais.

7. Investir em um software de gestão de assinaturas

A cobrança aos clientes inadimplentes pode ser uma tarefa que demanda muito tempo. Quando uma empresa está iniciando suas atividades, a maioria das tarefas fica por conta do próprio empreendedor, e se ele gasta muito tempo com atividades como essa de cobrança, acaba tendo menos tempo para se dedicar a outras coisas importantes.

Portanto, para que a cobrança não seja algo que tome um tempo além do que é necessário, o ideal é investir em um software de gestão de assinaturas dos clientes, que automatiza esse processo e faz a geração dos boletos — reduzindo consideravelmente o tempo necessário para enviar os débitos para os clientes.

Para empreender na crise, é preciso muita determinação, planejamento e análise. Isso é necessário para garantir que as dificuldades possam ser superadas, ao mesmo tempo em que se estrutura um negócio sólido, aumentando as chances de conseguir sucesso na sua área de atuação.

Gostou deste artigo? Tem mais alguma dica de como empreender na crise? Então deixe um comentário!

Gerar boleto

Esteja sempre bem informado sem pagar nada!

Cadastre-se e receba um e-mail semanal com as últimas novidades do blog.