Planejamento financeiro para autônomos: 5 dicas que você não pode perder!

Ser o dono do próprio negócio tem inúmeros benefícios para a sua vida pessoal e profissional. Entretanto, existe um grande desafio: a falta de um salário fixo. As oscilações em seus ganhos mensais podem se transformar em um grande problema para a sua organização, podendo resultar em total descontrole do dinheiro. A solução para essa dificuldade é o planejamento financeiro para autônomos.

Esse é o método mais indicado e eficiente para controlar todos os seus ganhos e gastos, mesmo que você não receba o mesmo valor todos os meses. Porém, exatamente por não ter uma quantia exata e definida de salário, essa organização e o planejamento não são as tarefas mais fáceis.

Se você se vê nessa situação de descontrole ou precisa aprimorar a sua organização financeira, entenda quais são os principais passos para cuidar das finanças sendo autônomo. Acompanhe os próximos parágrafos!

1. Faça orçamentos mensais e anuais

As faturas dos seus gastos chegam todos os meses, certo? Exatamente por isso que você precisa desenvolver um orçamento que vise a esses valores, assim, você se organiza para que possa pagá-los sem ficar no vermelho, precisar pedir empréstimos ou utilizar dinheiro do caixa da empresa. 

Contudo, também é importante construir um planejamento financeiro para autônomos de maneira mais ampla, ou seja, anualmente, pois, assim, você poderá conhecer o comportamento das suas receitas e dos seus gastos em um maior período.

Por exemplo, um orçamento anual revela as temporadas de alta e de baixa nos seus rendimentos e ainda mostra quais aspectos da sua vida podem passar por uma redução de custos. Além, é claro, de permitir que você se organize para os gastos daquele ano e do primeiro semestre, como IPTU, IPVA e declaração de impostos.

2. Organize as suas contas

Você é daqueles que somente tiram as faturas da caixa de correio, ou do e-mail, e já pagam sem organizar datas, origens, valores e tipos de despesa? Sabia que esse hábito é o vilão do planejamento financeiro para autônomos?

A ausência de análises sobre os seus ganhos e as despesas é a maior vilã da sua organização, pois você nunca saberá, de fato, o quanto tem gasto em cada setor da sua vida (alimentação, lazer, transporte, água, luz etc.).

Para deixar essa prática prejudicial de lado, comece separando quais são as despesas domésticas daquelas empresariais. Isso é fundamental para conhecer as finanças tanto do seu negócio quanto da sua casa, senão, certamente, você terá problemas no seu fluxo de caixa.

Uma dica para fazer isso de maneira simples é adotando controles separados — por exemplo, duas planilhas (uma para o planejamento doméstico e outra para o empresarial), ou aplicativos. Para esse monitoramento, coloque todas as suas faturas mensais e aquelas anuais, as datas de vencimento e a origem da despesa (luz, telefone, fornecedores etc.). Coloque também quais são as suas fontes de renda para conhecer os seus rendimentos.

3. Formalize o seu negócio

Um erro muito comum de autônomos é não formalizar o empreendimento ou a atividade que resulta na fonte de renda. Normalmente, os donos do próprio negócio acreditam que isso gera mais gastos e dificuldades de gestão e que é uma tarefa bem burocrática. Isso até era verdade alguns anos atrás.

No entanto, com o surgimento do regime de Microempreendedor Individual (MEI), todo o processo de formalização se tornou mais rápido, online, simples e sem taxas exorbitantes. O único tributo a ser pago é para que você tenha acesso aos benefícios da Previdência Social, sendo que o valor fica em torno de R$ 53.

Ter o seu negócio formalizado e reconhecido o tornará mais profissional e fará com que você tenha acesso a vantagens importantes, como emissão de notas fiscais, certificados e número de alvará.

Tudo isso ajuda no planejamento financeiro para autônomos, já que é preciso se organizar e não extrapolar os gastos, pois eles deverão ser declarados ao governo por meio do Relatório Mensal das Receitas e da Declaração Anual Simplificada, que é referente ao seu faturamento do ano anterior.

4. Construa uma reserva

Caso você tenha algum tipo de imprevisto financeiro em casa ou no negócio, tem de onde tirar dinheiro ou é totalmente dependente dos seus rendimentos mensais? Muitas dívidas e solicitações de empréstimos podem ser evitadas com a construção de uma reserva financeira.

Essa é uma parte fundamental do planejamento financeiro para autônomos, pois, como os ganhos oscilam de acordo com o mês, é preciso ter uma “boia” para não ficar no vermelho nos períodos de baixa de rendimentos.

Existem diversas maneiras para construir esse fundo de reserva, sendo a mais comum poupar 10% dos seus ganhos mensais. Essa estratégia não impacta o seu orçamento de maneira significativa, mas, com o tempo, se transformará em uma boa quantia, que somente deve ser utilizada em casos de emergência.

5. Separe as finanças

Nenhum modelo de planejamento financeiro para autônomos será bem-sucedido se você não separa as finanças da empresa daquelas que são domésticas. Além disso, esse é mais um dos motivos para que você faça a formalização do negócio e mantenha cada coisa em seu devido lugar, principalmente no momento da declaração do Imposto de Renda.

Misturar esses dois orçamentos é um caminho perigoso para o endividamento, pois você não saberá se o negócio está gerando lucro ou prejuízo e como estão os gastos pessoais. Então, comece separando as contas bancárias, sendo uma reservada para o dinheiro do negócio e outra para os valores domésticos.

Depois, nada de usar os recursos da empresa para pagar a sua TV a cabo, por exemplo, e nem o dinheiro de casa para cobrir os gastos da empresa. Assim, você evita muita confusão e mantém-se atento ao desempenho do empreendimento e aos seus gastos pessoais.

O planejamento financeiro para autônomos deve fazer parte de todas as suas decisões, pois é a partir desse controle que você saberá o que pode ou não gastar e como investir em melhorias para o negócio. Uma dica, em caso de muitas dificuldades para desenvolver o seu, é buscar a ajuda especializada de consultorias. O importante é não deixar de fazer.

Ficou com alguma dúvida sobre o planejamento ou tem alguma dica a acrescentar? Deixe aqui nos comentários!

O Autor
Vice-presidente no Asaas
Gerar boleto

Esteja sempre bem informado sem pagar nada!

Cadastre-se e receba um e-mail semanal com as últimas novidades do blog.