O que fazer quando seu sócio está preso a uma péssima ideia

sócioO dia-a-dia de trabalho em uma empresa pode trazer à tona alguns desentendimentos entre os sócios. No caso das startups, que em geral começam suas atividades com equipes enxutas, o convívio entre os parceiros é constante, fazendo com que o terreno para os conflitos fique ainda mais fértil.

Mesmo com todas as facilidades e incentivos disponíveis para as startups, a abertura de uma empresa exige muita dedicação e, na maioria das vezes, requer a ajuda de outra pessoa para alavancar os negócios. O sócio escolhido deve ter tanto interesse quando você nos resultados e, por isso, é normal que ele contribua com muitas ideias para o crescimento da startup. Infelizmente, algumas das propostas podem ser ruins e sem perspectiva de retorno.

Quando isso ocorre, é necessário saber minimizar o conflito e contornar a situação. Saiba o que fazer quando seu sócio está preso a uma péssima ideia:

Seja objetivo

Não tente evitar o conflito, pois o tempo não irá fazer com que seu sócio mude de ideia por conta própria. Quando ele apresentar a proposta, discorde o quanto antes, pois caso contrário, os prejuízos para a empresa podem ser ainda maiores.

Com a correria diária, é comum que alguns compromissos fiquem para depois. No entanto, procure um horário na agenda para discutir a ideia ruim o quanto antes. Ao expressar sua opinião, seja honesto e transparente em relação ao pensamento do parceiro para que ele possa ver a situação sob outra perspectiva. Seja objetivo, fale o que realmente pensa e não fique dando voltas no assunto.

Comunique-se da forma adequada

Na hora de contestar a ideia ruim, é fundamental que você tome cuidado com a forma como se comunica. Não se esqueça que a diferença de opiniões é fundamental para sua startup. Vendo a discussão sob esta perspectiva, o problema poderá ter uma solução mais colaborativa e enriquecedora.

Ter empatia, ou seja, a capacidade de se colocar no lugar do outro, é importante em horas como essas. Fazendo assim, você será capaz de compreender os motivos para que seu sócio tenha chegado a essa proposta e poderá desenvolver melhores argumentos para questioná-la.

Exercite a paciência e a tolerância, priorizando sempre o diálogo. Jamais leve a conversa sobre a nova ideia para o lado pessoal da relação, mantendo sempre o foco nos aspectos profissionais.

Em algumas disputas, é inevitável que as partes se exaltem. Quando isso acontecer, não hesite em pedir desculpas. Ainda assim, evite sempre as atitudes impulsivas e palavras inadequadas para não gerar desconfortos irreparáveis.

Mantenha a racionalidade

Não é raro que algumas discussões acaloradas nos afetem emocionalmente. Mas procure não se exaltar, pois seu sócio te ouvirá com mais atenção caso você sustente o autocontrole.

Mantenha toda a discussão sobre a proposta no nível racional. Apresente argumentos coerentes e mostre dados confiáveis para que sua visão tenha embasamento e não esteja apoiada somente em impressões subjetivas.

Volte no início

Uma das melhores formas de ajudar seu sócio a abandonar uma ideia ruim é voltar a discussão para missão, visão e valores da empresa. Com um plano de negócios sólido e bem difundido, o consenso entre as partes pode ser obtido de forma mais rápida.

Tendo em vista que o modelo das startups apresenta muitas incertezas nos primeiros meses de operação, é comum aparecerem conflitos variados na tomada de decisão. Ainda assim, é importante que sua empresa conte com diretrizes bem definidas para que as expectativas estejam alinhadas.

Outra forma de fazer seu parceiro reavaliar uma proposta inadequada é quando os sócios e funcionários possuem atribuições claras e definidas. Dessa forma, é possível atribuir parte da responsabilidade da decisão para o profissional envolvido com a proposta, contribuindo para dar um ponto final na discussão.

Peça ajuda

Em algumas situações, a discussão sobre a nova ideia chegará a um verdadeiro impasse. Mas não pense que este é o fim da linha e que chegou o momento de ceder definitivamente.

Agora é a hora de contar com a ajuda de uma terceira pessoa para seguir em frente. Se a startup tem algum mentor ou conselheiro, convoque-o para participar da discussão, pois sua experiência poderá ser valiosa para mudar a opinião do seu sócio.

Caso essa figura ainda não exista, peça ajuda a pessoas que estão de alguma forma relacionadas à proposta do seu parceiro para que elas possam oferecer novos pontos de vista e contribuir para a tomada de decisão.

Se há uma ideia ruim em jogo, não hesite em encontrar argumentos e dados para convencer o seu sócio de que ele está errado. No entanto, rejeitar não é uma solução. O ideal é que ambos conversem para que readaptem a ideia ou sejam criativos para pensar em uma nova proposta que poderá alavancar os negócios da startup!

Você já passou por essa situação? Como proceder quando alguém que trabalha com você fica preso a uma ideia ruim? Deixe um comentário.

banner_rodape

 

Gerar boleto

Esteja sempre bem informado sem pagar nada!

Cadastre-se e receba um e-mail semanal com as últimas novidades do blog.