O que esperar do mercado de startups em 2016

o-que-esperar-do-mercado-de-startups-em-20165177

As startups fizeram sucesso em 2015, tanto entre quem começou o seu próprio negócio quanto entre quem investiu e quem consumiu. Muitas gigantes, inclusive, surgiram como startups e para 2016, a tendência é que isso se torne ainda mais forte, com essas empresas presentes em um mercado altamente dinâmico e focado no consumidor. Os investimentos também prometem um crescimento que levará o mercado a um novo patamar.

O que esperar do mercado de startups em 2016? Confira!

Mais oportunidades de crescimento

Com uma cultura de empreendedorismo e autonomia mais forte no Brasil, pode-se esperar muitas oportunidades de crescimento no mercado de startups em 2016. Inclusive, isso se deve ao fato de que, atualmente, as pessoas sabem — ou pelo menos, entendem de sobremaneira — o que significa uma startup.

Com isso, cada vez mais as startups deixam de ser ilhas isoladas e passam a ganhar a atenção do mercado: tanto dos consumidores quanto dos investidores. Somado a isso, está o fato de que, em 2016, o Brasil permanecerá em um período de incerteza e de crise econômica. Dessa forma, a necessidade de se pensar em alternativas ao mercado tradicional começa a crescer e, portanto, a abrir espaço.

Encontro de investidores

Os chamados investidores-anjos também estarão mais presentes em 2016. Em parte, isso se deve ao fato de que muitas pessoas verão as startups como uma forma de, potencialmente, ganhar dinheiro e, com isso, de driblar a crise econômica.

Com tantas flutuações no mercado, especialmente de câmbio e referentes à economia brasileira, os investidores passam a enxergar as startups como um investimento de risco menor do que outras opções já consagradas. Altas taxas de juros e medidas de austeridade também desestimulam a realização de outros investimentos tradicionais, realocando os recursos.

Muitas empresas também já notaram a necessidade e a possibilidade desses investimentos, como é o caso do Google: a gigante da internet investirá US$ 1 milhão em 15 startups brasileiras em 2016. Isso faz com que outras empresas se sintam estimuladas a fazer o mesmo, levando a um ciclo positivo de crescimento do número de investidores-anjos.

Diferentes possibilidades de mercado

Além disso, também se pode esperar que o mercado de startups em 2016 ofereça uma série de possibilidades nos mais diferentes ramos. A Internet das Coisas, por exemplo, é uma grande aposta em todo o mundo e consiste em itens que sejam conectados e usam a tecnologia.

É o caso das geladeiras e outros eletrodomésticos inteligentes, assim como o controle da casa por meio de dispositivos móveis. Outra tendência que continua forte é a da chamada gourmetização, em que são criados serviços de itens conhecidos do grande público com nova apresentação, conceito e, portanto, valor de mercado.

O setor de otimização por meio de softwares, o uso de Big Data e, principalmente, a computação na nuvem, também surgem como possibilidades, assim como novas redes sociais e novas formas de comunicação e relacionamento em geral. A regra será uma cultura de inovação mais presente e dinâmica para se manter no mercado.

Reconhecimento

Para 2016 o mercado de startups pode esperar não apenas um crescimento mais acelerado e o surgimento de várias oportunidades, como também maior reconhecimento do mercado que passará a entender esse modelo de negócio de maneira profunda. Além disso, a diversidade de oportunidades continuará crescendo, incluindo desde a reapresentação de produtos já conhecidos até o máximo de integração tecnológica.

Em sua opinião, quais são as outras coisas que o mercado de startups pode esperar em 2016? Conte nos comentários e participe!

Gerar boleto

Esteja sempre bem informado sem pagar nada!

Cadastre-se e receba um e-mail semanal com as últimas novidades do blog.