Conheça os 15 principais motivos de inadimplência no Brasil

Quando a projeção de recebimentos falha, o equilíbrio do negócio acaba arriscado. E as ocorrências de clientes devedores, que tantos problemas causam ao empreendedor individual, seguem aumentando. Isso conforme dados apurados pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e Serviço de Proteção ao Crédito (SPC).

O indicador produzido por essas instituições revela alta de 1,7% no volume de consumidores com pendências financeiras, inscritos nas listas de devedores. Elencamos, aqui, 15 dos motivos de inadimplência verificados na pesquisa:

  1. desemprego;
  2. diminuição da renda;
  3. negligência quanto às despesas mensais;
  4. satisfação de uma vontade;
  5. busca por autoestima;
  6. impulsividade ao consumir;
  7. gastos além do que o orçamento comporta;
  8. consumo irresponsável;
  9. descontrole das finanças;
  10. permissão para outra pessoa usar o nome;
  11. confusão quanto ao número de parcelas em aberto;
  12. pouca clareza sobre os próprios ganhos;
  13. falta de uma programação mensal;
  14. gastos por motivos emocionais;
  15. problemas em casa ou no trabalho.

Siga a leitura para descobrir os detalhes a respeito do que tem feito o consumidor deixar de pagar as suas contas!

1. Desemprego

30% dos endividados entraram para a lista de devedores

Perda de posto de trabalho é motivo de inadimplência

O panorama de desemprego no país é um dos principais motivos de inadimplência do consumidor. A perda do posto de trabalho levou nada menos do que 30% dos consumidores pesquisados a deixarem de honrar seus compromissos. Assim, sem os ganhos provenientes dos salários, quem perdeu o emprego terminou por engrossar as listas de devedores.

2. Diminuição da renda

29% dos devedores tiveram a renda diminuída

Cenário econômico do país favorece endividamento

Do universo de consumidores entrevistados, 29% atribuíram sua inadimplência à redução da renda. Essa diminuição tem diversas causas, entre elas, a subida do custo de vida e o “encolhimento” dos níveis salariais. Esses elementos, conjugados a outros fatores do cenário econômico do país, vêm produzindo queda na renda do brasileiro. Que, ao não adaptar seu consumo à nova realidade, acaba se endividando.

3. Negligência quanto às despesas mensais

46% dos consumidores ignoram o orçamento mensal

Não saber dos custos básicos leva a contrair dívidas

O levantamento demonstra que muitos consumidores simplesmente ignoram as responsabilidades financeiras cotidianas. Do total de entrevistados, 46% declararam ter pouco ou nenhum conhecimento acerca dos custos com as despesas essenciais. Para essas pessoas, contas de energia elétrica, água, produtos de telefonia e convênio médico — entre outras — foram relacionadas como de valor incerto ou desconhecido.

4. Satisfação de uma vontade

32% das pessoas deixaram de pagar contas para consumir

Orçamento bagunçado está associado às dívidas

O levantamento aponta que 32% dos pesquisados declararam já ter deixado de lado as contas, em troca de satisfazer um desejo de consumo. Com isso, débitos que deveriam ter sido pagos entraram em atraso, e o orçamento ficou bagunçado. Percebe-se, aqui, que a soma de dois evidentes fatores de risco aparece associada à inadimplência.

5. Busca por autoestima

36% fazem compras sem planejar

Autorrealização aparece como razão para descontrole das finanças

O consumo estimulado pela necessidade de alavancar a autoestima tem colocado muitas pessoas nas listas de inadimplentes. Do público entrevistado para a pesquisa de análise do endividamento, 36% das pessoas afirmaram fazer compras fora da programação, como meio de obterem maior sensação de autorrealização.

6. Impulsividade ao consumir

33% dos entrevistados afirmaram comprar por impulso

Consumidores não avaliaram o impacto dos gastos realizados

Ser movido pelo desejo de comprar produtos ou contratar serviços é mais uma prática apontada entre as razões para a inadimplência. O consumidor que se deixa levar pelo impulso de assumir futuros pagamentos, sem pensar no impacto que terão sobre o orçamento, apresenta maior tendência para se ver às voltas com dívidas. Isso ocorreu com 33% dos entrevistados, segundo a pesquisa.

7. Gastos além do que o orçamento comporta

45% dos pesquisados gastaram além da conta

Descontrole financeiro gerou dívidas

Quase a metade das pessoas ouvidas para a coleta de dados declarou gastar além do que cabe no orçamento. A porcentagem dos consumidores que costumam extrapolar nos gastos, endividando-se por conta desse descontrole, foi de 45%, ou seja, bastante elevada.

8. Consumo irresponsável

33% das pessoas sabiam não poder pagar os compromissos

24% não consideraram sua condição financeira

Muitos consumidores realizam compras mesmo diante da impossibilidade de pagar por elas. O estudo aponta que 33% dos entrevistados fizeram aquisições tendo clareza quanto à dificuldade que seria fazer os pagamentos. Outros 24% compraram sem nem sequer refletir sobre sua condição financeira. Ainda, 17% adquiriram bens ou serviços com a certeza de não poderem arcar com o compromisso financeiro.

9. Descontrole das finanças

36% dos entrevistados não controlam o dinheiro

Fácil acesso ao crédito é citado como razão para endividamento

A pesquisa identificou que 36% dos entrevistados entraram na categoria dos endividados em função do baixo controle sobre as finanças pessoais. Dessas pessoas, boa parte declarou ter realizado a compra pelo fácil acesso ao crédito. Mais razões alegadas para o endividamento foram a demora para conseguir juntar dinheiro e comprar à vista, e o desejo de aproveitar condições promocionais.

10. Permissão para outra pessoa usar o nome

14% dos devedores emprestaram o nome

Ocorrência gerou dívidas não pagas

Emprestar o nome para parentes ou amigos fazerem compras a prazo está listado entre os principais motivos de inadimplência. Essa ocorrência aparece como razão de endividamento em 14% dos casos considerados para a produção da pesquisa. 

11. Confusão quanto ao número de parcelas em aberto

61% das pessoas não sabem quantas parcelas devem

Desconhecimento do total dos débitos leva a fazer novas dívidas

Na pesquisa, foi averiguado que 61% das pessoas simplesmente desconhecem quantas parcelas ainda têm a pagar, em compras divididas no cartão, cheque ou carnê. Desse modo, sem conhecer o nível de comprometimento da renda, assumem valores que não conseguem quitar.

12. Pouca clareza sobre os próprios ganhos

6 em cada 10 pesquisados não sabem quanto ganham

Falta de clareza dos recebimentos motiva confusão na hora de comprar

Além de não controlarem os próprios gastos, muitos brasileiros não têm a visão do quanto realmente ganham. Essa falta de clareza foi verificada em 6 a cada 10 pesquisados, de acordo com CNDL e SPC. Sem total noção sobre as entradas de salários e outros rendimentos, os consumidores se atrapalharam na hora de gastar.

13. Falta de uma programação mensal

36% dos pesquisados não estabelecem um orçamento mensal

Não planejar o mês termina em dívidas

Deixar de realizar um orçamento mensal foi indicado como razão para a inadimplência de 36% dos pesquisados. Ao não planejar as entradas de recursos e nem como eles serão gastos, o consumidor perde de vista suas possibilidades financeiras, incorrendo em dívidas.

14. Gastos por motivos emocionais

Gastar para se sentir bem é mencionado na pesquisa

A prática leva a extrapolar nos gastos

Consumir como maneira de alcançar alívio emocional é mais uma das armadilhas nas quais o consumidor tem caído com frequência. Essa prática está associada a transtornos emocionais, a exemplo da ansiedade. Isso gera descontrole do orçamento e leva à falta de recursos para quitar os débitos contraídos. 

15. Problemas em casa ou no trabalho

13% dos entrevistados relataram problemas profissionais ou pessoais

12% se endividaram por terem dificuldade de lidar com o dinheiro

As dificuldades no âmbito profissional e pessoal são listadas entre os problemas ligados à inadimplência. Essa é a informação coletada junto a 13% dos que se declararam endividados, na pesquisa aqui considerada. A vida financeira problemática também foi mencionada como responsável pelo endividamento, por 12% dos entrevistados.

Como você pôde ver até aqui, os motivos de inadimplência estão ligados, principalmente, à economia do país e ao descontrole sobre as finanças pessoais. Para driblar os efeitos da desorganização dos clientes quanto às datas de pagamento e evitar que eles atrasem parcelas, conte com as funcionalidades do aplicativo ASAAS.

Esse sistema de gestão possibilita emitir cobranças por boleto, cartão de crédito e transferência bancária. Além disso, dispara alertas para as datas de vencimentos, evitando que os compromissos sejam esquecidos pelo comprador. Na plataforma ASAAS, tudo é feito de forma acessível e descomplicada, na medida para o autônomo e o empreendedor que não têm tempo a perder. Conheça e experimente, agora, as muitas vantagens do ASAAS!

O Autor
Vice-presidente no Asaas
Gerar boleto

Esteja sempre bem informado sem pagar nada!

Cadastre-se e receba um e-mail semanal com as últimas novidades do blog.