Como evitar chargeback na sua empresa: 6 dicas valiosas

Por Redação Asaas
Publicado em 22 de novembro, 2021 | Atualizado em 22 de novembro, 2021

Quem atua com vendas sabe que existem diversas ações que podem comprometer o fluxo de caixa e os rendimentos do mês. Pedidos de devolução e até mesmo de reembolso de compras são alguns deles. Por isso, saber como evitar o chargeback é importante.

Em tradução literal, o termo significa “reversão de pagamento” e ocorre quando o cliente percebe alguma irregularidade nas compras realizadas pelo cartão de débito ou crédito. 

Quer saber mais sobre como evitar chargeback? Então confira o conteúdo completo e veja algumas dicas para proteger a sua empresa.

Conteúdo

O que é chargeback?

O chargeback ocorre quando o titular do cartão percebe uma compra duvidosa e notifica a operadora. Em seguida, é feita uma análise para verificar irregularidades. Depois, a empresa é notificada e deve devolver o valor ao cliente, se necessário. 

Essa situação é comum para quem atua no ramo varejista, principalmente no e-commerce, e o objetivo é proteger os usuários, evitando golpes e fraudes nos cartões de débito ou crédito.

Normalmente, o chargeback acontece por causa de alguma das seguintes situações: 

Fraude

Esse caso é comum nas empresas que não utilizam um sistema de verificação. Sendo assim, o cliente não reconhece a compra exposta na fatura. Essa compra desconhecida pode ser o resultado da clonagem do cartão ou até mesmo do roubo de dados.

Existem outras formas de fraude como a autofraude ou fraude amigável. Em todos os casos é possível solicitar o reembolso.

Mudança de valores

É quando o consumidor percebe que a quantia da compra está errada e pode solicitar o estorno. Essa situação é conhecida como erro de processamento e abrange a duplicidade de cobrança, valor cobrado incorretamente e erros na forma de pagamento. 

Vale mencionar que a falha pode ser cometida pelos dois lados — seja pelo comprador que colocou mais algum item no carrinho e não percebeu ou pela empresa que alterou o preço, errou a forma de pagamento ou o valor cobrado.

Autofraude

Acredite, também existem os casos em que o indivíduo recebe o produto e mesmo assim solicita a devolução da quantia. Essa situação  é chamada de autofraude.

Desacordo comercial 

Quando uma das partes deixa de cumprir com o combinado. Quando a mercadoria não chega no tempo previsto ou apresenta defeitos, é possível alegar o desacordo comercial.

Fraude amigável

Acontece quando o responsável esquece de ter feito a compra ou de ter emprestado o cartão para um familiar ou amigo. Existe a possibilidade de haver ou não o chargeback. 

Por que o chargeback é um problema para as empresas?

Agora que você já sabe o que é chargeback e quais situações podem ocasionar esse incômodo, é importante conhecer os impactos negativos que a empresa pode sofrer. 

O problema está no excesso de chargeback, que prejudica o fluxo de caixa. Nos casos em que o cliente solicita o valor e tem o pedido aprovado pelo banco, a empresa é responsável pela devolução da quantia.

Sendo assim, é necessário tirar do caixa um dinheiro que já fazia parte do orçamento, fator que ocasiona sérios problemas financeiros, principalmente quando existem muitas solicitações de estorno. A conta pode ficar ainda mais cara se o envio do produto já tiver sido feito.

Em grandes empresas, a situação pode passar despercebida nos primeiros meses por conta do número alto de compras, mas a longo prazo os danos financeiros podem ser irreversíveis. Além dos custos, o comprador também fica inseguro, deixando de indicar a compra por causa da fraude. Já imaginou como essa situação pode ser prejudicial? 

Como evitar chargeback? Confira 6 dicas!

De acordo com dados de um mapeamento realizado pela Clearsale, no primeiro semestre de 2021, houve um aumento de 32,7% nas tentativas de fraude no país. Com o crescimento das compras on-line e a aquisição de produtos mais caros, as chances de irregularidades aumentam. Ao todo, 2,6 milhões de tentativas foram registradas nos primeiros seis meses. 

Então, para eliminar a dor de cabeça, confira algumas alternativas de como evitar chargeback na sua empresa:

1. Tenha um sistema antifraude

Essa é uma das medidas que podem ser adotadas para evitar o problema. Com um sistema de verificação, o consumidor fica seguro com a transação e a empresa sofre com menos casos de chargeback. 

Portanto, é importante contar com uma solução que seja capaz de mapear todas as informações, averiguando os dados pessoais do comprador, os preços e a forma de pagamento. Em operações duvidosas, é responsabilidade do sistema conferir se a compra foi realizada pelo titular do cartão. 

Além da checagem, alguns sites contam com um banco de dados capaz de mapear o comportamento de consumo dos usuários, facilitando a verificação da compra.

2. Escolha um intermediador de pagamento

Optar por um parceiro que possa realizar a intermediação também é uma ótima alternativa quando o assunto é como evitar chargeback. Isso porque será possível realizar uma análise de pagamento antes de liberar a compra, reduzindo as chances de um futuro reembolso. 

Mas antes de escolher o intermediador, fique atento para o sistema de antifraude que é utilizado. 

3. Defina quais são os seus critérios de venda

Ter definido quais são os critérios de venda também pode facilitar o relacionamento com o cliente. Nessa página é preciso expor todas as informações sobre a política de cancelamento e os meios de pagamento que são oferecidos. O objetivo? Fazer com que o consumidor esteja ciente sobre a forma como o negócio funciona e quais são os direitos e deveres de cada um. 

4. Ofereça outras formas de pagamento

Se você deseja saber como evitar chargeback de uma forma simples, esse tópico é para você! Já pensou que ao oferecer outros meios de pagamento  o número de fraudes pode cair?

Nas compras realizadas pelo boleto ou até mesmo por Pix, os casos de reembolso são baixos, já que as transações, na maioria das vezes, são realizadas pelas mesmas pessoas que efetuaram a compra. 

Assim fica mais fácil diminuir os estragos econômicos, não é mesmo?  Quando a empresa oferece diversas formas de pagamento, o cliente pode decidir pela opção mais vantajosa naquele momento, fator que contribui com um número maior de compras.

Quer conferir um exemplo que deu certo? Então veja como a ProJuris aumentou a eficiência nas cobranças e baixou os cancelamentos.

5. Forneça um prazo de entrega realista 

Essa é outra dica que pode fazer a diferença. Quando a estimativa de entrega ultrapassa o limite, o usuário pode notificar a operadora e solicitar o chargeback. 

Por isso, pense em estipular períodos realistas e que serão cumpridos. Essa é a saída para que o indivíduo espere e receba, até o prazo, o item que comprou. Por mais que seja bom oferecer um prazo curto, melhor ainda é poder entregar o item de acordo com o esperado, recebendo o valor correto, não é mesmo?

6. Mantenha contato com o cliente 

Manter o contato com quem comprou também é uma maneira de rastrear a compra e saber se a mercadoria foi recebida. 

A operação pode ser feita por uma equipe em sua empresa ou é possível contar com a opção aviso de recebimento, disponível para as entregas realizadas pelos Correios ou transportadoras. A opção ajuda a mapear os dados e diminui a chance de chargeback. 

Como contestar o chargeback?

Mas o que deve ser feito nos casos em que o produto ou serviço foi entregue e mesmo assim o cliente solicita o chargeback? É importante mencionar que a empresa possui o direito de contestar esse pedido, comprovando que toda a compra ocorreu conforme o combinado. 

Para isso, é necessário enviar — para o banco emissor ou para o intermediador de pagamentos — os documentos que comprovem que a entrega do produto ou serviço foi feita. Em até 120 dias, o banco será responsável por decidir se deve ocorrer ou não o chargeback, decidindo quem deve pagar ou reembolsar o valor. 

Por isso, é fundamental que a sua empresa registre todas as compras realizadas, além de conferir se o cartão de crédito utilizado está no nome do comprador. Assim, caso exista um chargeback, será mais fácil contestar.

Pode parecer desafiador, mas após adotar as medidas listadas no texto será possível observar a queda nos pedidos de reembolso. Quer conferir o exemplo de uma empresa que conseguiu? Então veja o resultado da parceria de sucesso entre o CEAB e o Asaas.

Simplifique o recebimento de cobranças com o Asaas