Tire todas as suas dúvidas sobre boleto bancário neste guia completo

O boleto bancário está entre as formas de pagamento mais utilizadas pelos brasileiros, sendo que isso se deve por sua praticidade, baixo custo e segurança. Apesar de existirem casos de golpes por esse documento, basta conhecer e entender os campos e informações obrigatórias para que identifique uma cobrança indevida.

Pensando nas dúvidas recorrentes sobre esse meio de cobrar e pagar, elaboramos este guia. Confira e conheça quais são as regras para emitir boletos, vantagens e desvantagens em relação ao cartão de crédito e muito mais. Acompanhe!

O que é boleto bancário?

O boleto bancário é um documento, que pode ser físico ou virtual, utilizado para cobranças. Esse instrumento de pagamento é padronizado e regulamentado pela Federação Brasileira de Bancos, a Febraban, que também é responsável por normatizar e fiscalizar as transações bancárias feitas no Brasil.

No Brasil, esse documento foi lançado em outubro de 1993 pelo Banco Central. A liberação do seu uso para pagamentos e cobranças foi feita por meio de uma instrução normativa e justificou que essa seria uma maneira mais segura, ágil e cômoda para empresas e clientes.

Quais são os campos de um boleto bancário?

Segundo as padronizações da Febraban, é necessário que o boleto bancário apresente campos sobre a identificação da instituição que está fazendo a cobrança, sobre o destino do valor, quantia total do documento e outras informações obrigatórias. Conheça quais são.

Recibo do pagador e ficha de compensação

Quando o boleto bancário é apresentado e pago na forma física, ele é dividido e cortado em duas partes. Uma delas é o recibo do pagador, que deve constar o valor, data de vencimento, o beneficiário e o pagador da transação. Como o próprio nome indica é a via de quem pagou o boleto.

Já a ficha de compensação deve ter todos os campos obrigatórios e determinados pela Febraban e fica com o banco ou com a instituição onde o título foi quitado.

Nome do banco ou instituição financeira

A primeira seção do boleto bancário deve ser preenchida com o nome, a logomarca do banco ou instituição financeira para onde o valor cobrado será destinado. Normalmente, é a primeira informação à esquerda do documento.

 Código do banco

O código do banco corresponde ao Código das instituições Bancárias na Compensação (Compe) da instituição financeira, que deve ser acompanhado pelos três dígitos verificadores. Os códigos dos bancos mais utilizados são:

  • Banco do Brasil — 001;
  • Banco Santander — 033;
  • Banco Itaú — 341;
  • Bradesco — 237;
  • Banco Safra — 422;
  • Citibank — 745;
  • Caixa Econômica Federal —104;
  • HSBC — 399.

Linha digitável

Essa é a linha é a que contém os números do código de barra, que são utilizados quando ele está danificado ou para pagamentos on-line sem o leitor de código. Essa linha é formada por 47 ou 48 dígitos separados em cinco partes, sendo que:

  • os três primeiros números devem ser o código do banco;
  • o quarto deve representar o tipo de moeda utilizada para cobrança (9 para o Real e 0 para as outras);
  • os próximos 25 dígitos são livres para escolha e determinação pela instituição financeira, sendo que normalmente são números sobre a empresa, agência ou número identificador;
  •  o 30° número, que fica isolado, é o dígito verificador gerado por meio de cálculos dos números anteriores;
  • os próximos quatro algarismos representam a data de validade do boleto bancário;
  • os dez últimos devem indicar o valor total do seu documento.

Vencimento

O próximo campo é reservado para informar a data limite que o boleto pode ser pago. Lembrando que, depois desse dia ele perderá o valor original, pois será acrescido de multas, juros e cobrança de tarifas adicionais.

Agência código cedente

Esse é um código que varia conforme o padrão utilizado pelo banco ou instituição financeira que fez a emissão do boleto bancário. Normalmente, é formado pelo número da agência conta, dígito ou carteira do cliente.

Nosso número

O nosso número deve ser único para cada boleto emitido, pois é o algarismo ou conjunto de dígitos que identifica o seu documento. Essa identificação fica a critério dos bancos e instituições financeiras.

Valor do documento

Para identificar se o boleto é verdadeiro ou não, observe se é o mesmo valor dos últimos números da linha digitável e se ele tem duas casas decimais e vírgula como separador.

Código de barras

Essa imagem é formada por barras de diferentes espessuras que variam conforme a representação do número do boleto. Nele, constam informações sobre o valor, data de vencimento, número da agência e até mesmo o código do cliente.

Carteira

Esse é o código que informa se o boleto é registrado ou não, sendo que também varia conforme o banco. Entretanto, desde 2018 que não é mais permitido emitir boletos sem registro.

Sacado

Aqui constam as informações sobre o pagador, ou seja, quem realizou a compra ou quem está transferindo o valor do documento. Por padronização, deve informar os dados pessoais, endereço, CPF ou CNPJ e nome.

Cedente

Sacado é o campo com informações sobre o emissor do boleto bancário, que pode ser tanto pessoa jurídica quanto pessoa física. Por via de regra, é o nome do titular para onde o dinheiro será encaminhado. 

Instruções

Esse é um espaço destinado para orientar o caixa recebedor, portanto as condições para recebimentos devem ser objetivas, principalmente em relação ao prazo para, juros por atraso e possíveis abatimentos no valor.

Quais são os tipos de boletos bancários?

Os boletos bancários são separados em duas categorias: os avulsos e os carnês. O tipo avulso é aquele utilizado para o pagamento de compras a vista, pois é feita uma cobrança única com o valor total do serviço ou produto adquirido.

Já o carnê é composto por uma sequência de boletos para pagamento parcelado. Ele é entregue de uma só vez para o comprador ou tomador dos serviços, porém o pagamento é feito em datas distintas.

Boletos registrados

Na categoria avulsa, ainda temos a subdivisão em boleto bancário registrado. O documento registrado é aquele em que o emissor comunica ao banco sobre a transação, sendo que isso é feito por meio de um sistema para que os arquivos possam ser enviados à instituição.

Esse processo permite que o banco cruze informações e valide a emissão do boleto, fazendo com que seja mais difícil que pessoas mal-intencionadas pratiquem fraudes por meio de cobranças e valores indevidos.

Boletos sem registro

Anterior a setembro de 2018, tinham casos em que era possível emitir o boleto simples, também conhecido como sem registro. Nessa opção, não eram cobradas tarifas nem havia obrigatoriedade de fazer o envio de arquivos para os bancos e instituições financeiras.

No entanto, isso não é mais permitido, pois já estão em vigor as novas regras e a Plataforma de Cobrança. Esse sistema foi desenvolvido pela Febraban com o intuito de centralizar, modernizar e promover mais segurança para o sistema de cobrança por boletos, já que era muito comum a ocorrência de fraudes e pagamentos duplos.

Como pagar um boleto bancário on-line?

Optar por fazer o pagamento de boleto on-line é uma excelente alternativa que a tecnologia proporciona para evitar filas e garantir mais comodidade a quem compra. Esse é um processo muito simples e rápido de ser feito, mas requer que tenha acesso a um sistema de internet banking ou uma conta em banco digital. A seguir, conheça o passo a passo.

Veja se você tem acesso ao internet banking ou aplicativo

Para pagar um boleto on-line você precisa verificar se tem acesso ao aplicativo do seu banco ou ao internet banking que é o sistema utilizado para serviços e transações virtuais sem que precise sair de casa.

Acesso o site ou aplicativo

Com o acesso em mãos (login, senha, conta e agência), entre no site ou no aplicativo e vá até a opção de pagamentos. Em alguns casos, será necessário instalar um programa no seu computador para que possa utilizar o site do banco, mas isso é feito para garantir a sua autorização e a segurança das suas informações.

Tenha o boleto impresso ou via digital

Para fazer o pagamento on-line não é necessário fazer a impressão do seu boleto bancário. Os aplicativos já disponibilizam a opção de leitura do código de barras por meio da própria câmera do seu celular. Entretanto, se for pagar pelo computador, basta digitar o código.

Confirme os dados

Para evitar pagamentos equivocados, antes de finalizar a transação, o sistema pedirá que confirme o valor do documento e a data de vencimento. Após isso, é só você confirmar para que o seu boleto seja pago.

Lembrando que a compensação pode levar até três dias úteis e feita à noite. Então, se o pagamento for efetuado às 7h ou às 22h, o valor somente será validado na virada da noite.

E se o boleto estiver vencido? Como atualizar o valor?

Esquecer de pagar um boleto bancário até a data de vencimento era um verdadeiro transtorno, mas não somente pelo valor da multa ou dos juros por atraso, e sim porque o pagamento somente poderia ser feito no banco ou instituição financeira que fez a emissão.

No entanto, desde novembro de 2018 que é possível pagar boletos atrasados em qualquer banco (no caixa eletrônico ou on-line), lotérica ou agência dos Correios. Isso foi possível devido à modernização no sistema e na forma de cobrança do Banco Central, que passou a contar com uma plataforma que centraliza os dados do boleto, como juros, multas, valor, data e encargos.

Com isso, qualquer tipo de banco ou instituição financeira pode ter acesso a essas informações para validar o pagamento em atraso. Então, basta utilizar o mesmo boleto e código de barras, pois o valor será automaticamente atualizado.

Como funciona a compra pela internet com boleto bancário?

Ao escolher todos os produtos ou serviços que deseja, o boleto fica disponível em uma versão PDF, para que possa fazer a impressão, utilizar a linha digitável no aplicativo ou site do seu banco.

Assim que o documento é compensado e o pagamento confirmado pela empresa, o seu pedido é liberado para a próxima etapa, que é a emissão da nota fiscal. Se ele não for pago até a data de vencimento, a sua compra é cancelada e nenhuma cobrança é feita. Lembrando que também é possível protestar um boleto.

Além disso, as lojas devem disponibilizar uma cópia do boleto bancário assim que é feita a confirmação do seu pedido.

Boleto bancário ou cartão de crédito? Qual é o melhor para a empresa?

A emissão de boleto na empresa é melhor do que disponibilizar vendas por cartão de crédito? Essas são as duas formas de pagamento mais utilizadas pelos brasileiros, sendo assim o ideal é que opte pela diversificação.

Quantos mais opções e facilidades os consumidores encontrarem na sua empresa, melhor será o seu relacionamento com o cliente. Entretanto, isso não quer dizer que ambas as alternativas tenham somente pontos positivos.

Vale ressaltar que existem clientes que pagam boletos com cartão de crédito, mas é uma prática prejudicial para as finanças, principalmente em razão dos juros e aumento nas taxas cobradas.

A seguir, separamos as vantagens e desvantagens tanto do boleto quanto do cartão de crédito. Veja só.

Boleto bancário

Nem todos os compradores têm cartão de crédito, pois alguns bancos restringem essa opção somente para correntistas com determinado score de crédito e bom histórico financeiro. Também há casos de consumidores que escolhem não ter cartões como forma de evitar o descontrole do dinheiro.

Além disso, também há pessoas que não confiam em colocar as informações bancárias em sites de compras, já que fraudes e roubos são sempre noticiados na mídia. Para essas situações e perfis de clientes, o boleto representa uma forma mais segura e rápida de pagamento, já que se caracteriza por:

  • menores taxas: as tarifas dos boletos são fixas, independentemente do valor do seu documento;
  • possibilidade de desconto: pela menor incidência de encargos, inclusive para as empresas, é comum que os lojistas e prestadores de serviços ofereçam descontos para as compras feitas por meio do boleto;
  • segurança: como não há necessidade de inserir dados bancários e pessoais em sites, os clientes se sentem mais seguros.

No entanto, existem dois aspectos de desvantagem dos boletos que precisam ser considerados nas suas vendas. O primeiro deles é o tempo de compensação, que pode levar até três dias úteis. Isso faz com que o cliente demore mais para ter o produto e que o dinheiro leve mais tempo para cair na sua conta.

O outro ponto é o alto risco de desistência, pois ao finalizar o pedido, o sistema gera o boleto bancário e ele fica disponível para que o cliente pague ou não. Em casos de imprevistos ou quando o comprador perde o interesse pela compra, você perde a venda.

Cartão de crédito

A compra por meio do cartão de crédito é muito simples e dinâmica de ser efetuada tanto em estabelecimentos físicos quanto virtuais. A principal vantagem em relação ao boleto é a opção de fazer o parcelamento das suas compras. Apesar de isso ser possível por meio dos carnês, é difícil encontrar lojas que atuem com essa alternativa. Outros pontos positivos são:

  • compensação rápida: o reconhecimento dos pagamentos por meio do cartão de crédito é feito em poucos minutos, sendo que em alguns casos esse processamento é quase automático;
  • menor taxa de desistência: como a compensação é quase imediata, o processo para desistir de uma compra é muito burocrático e demorado, já que precisa ligar para a operadora;
  • processo on-line: como tudo é feito on-line, não há possibilidade de perder, atrasar ou extraviar.

Porém, para as empresas, também devemos considerar algumas características que deixam a desejar quanto às vendas por cartão de crédito. São elas:

  • CNPJ: é obrigatório apresentar CNPJ para fazer vendas por cartão de crédito;
  • processos burocráticos: por mais que as tecnologias facilitam muitos procedimentos, a sua empresa precisa passar por etapas de comprovações e análises;
  • capital de giro e organização financeira: para fazer vendas a prazo você precisa ter um controle financeiro bastante eficiente e um bom capital de giro, pois as vendas no crediário podem desequilibrar o seu caixa.

Como emitir um boleto bancário on-line?

Para facilitar a vida dos empresários e de qualquer pessoa que precise emitir um boleto bancário, a tecnologia permite que esse processo seja feito on-line e em poucos cliques. Para isso, é necessário que você utilize plataformas pagas ou, se for uma transferência simples, o aplicativo ou site do seu banco.

As plataformas permitem a emissão desse documento em poucos segundos, além de disponibilizarem funcionalidades para gerenciar os seus recebimentos, saídas e ainda permitem acompanhar se o boleto foi pago ou não. O melhor é que essas funções são, muitas vezes, automáticas.

Já os aplicativos das contas digitais também permitem a geração de boletos, mas, normalmente, com a finalidade de depósito entre contas. Nesse caso, os passos variam conforme a instituição financeira, mas as informações são sempre as mesmas:

  • cedente;
  • valor do documento;
  • vencimento;
  • sacado.

Apesar de os bancos disponibilizarem essa opção, ela não é a melhor alternativa para empresas, pois é necessário emitir uma considerável quantidade de boletos diariamente. Aliás, a grande parte das instituições limitam o número de documentos que podem ser emitidos. Então, essa é uma ferramenta eventual, sendo indicado que os negócios priorizem as plataformas.

Quem pode emitir boleto bancário?

Entre as dúvidas mais comuns sobre esse documento para cobranças e transações está se pessoa física pode emitir boleto, ou essa possibilidade somente é válida para quem tem CNPJ. A resposta é sim!

Apesar de ser comum vermos esse documento entre pessoas jurídicas, quem não tem CNPJ também pode gerar boletos on-line. Se você for fazer eventualmente, somente para fins de depósito ou transferência entre contas, como dito, pode usar o próprio aplicativo do banco, ou optar pelo site.

Entretanto, se você atua como autônomo ou precisa fazer cobranças avulsas como pessoa física é preciso ter um cadastro em um intermediador de pagamentos, que nada mais é do que uma empresa especializada em pagamentos on-line, como as plataformas para geração de boletos.

Também é importante atentar às taxas, pois algumas instituições financeiras cobram manutenção dos boletos ou da conta, emissões ou alterações de cobranças.

No entanto, vale ressaltar que, se você precisa emitir boletos por trabalhar como autônomo, reforçamos a importância de se formalizar. O MEI, por exemplo, tem diversas vantagens, inclusive previdenciárias.

Além disso, certifique-se de que o site utilizado é confiável, já que podem existir empresas online que prometem a geração de boletos para pessoa física, mas, na verdade, usam seus dados para aplicar golpes e fraudes. Então, veja se o site apresenta todos os certificados de segurança e proteção das suas informações.

A emissão do boleto bancário é gratuita?

Existe uma taxa que precisa ser paga quando o pagamento do documento é confirmado. Esse valor adicional, que pode variar entre R$ 1 e R$ 5 dependerá da plataforma ou do banco utilizado para a geração. Entretanto, segundo o Código de Defesa do Consumidor é uma prática abusiva e ilegal repassar essa taxa para o consumidor.

Portanto, essa tarifa é de inteira responsabilidade do emissor, ou seja, da empresa. A dica aqui é buscar por plataformas (intermediadores) que tenham taxas atrativas, seja rápida e com boas funcionalidades.

Posso receber pagamentos por boleto bancário? Como?

Por ser um documento de fácil geração, o boleto bancário tem sido bastante utilizado para receber pagamentos, e não somente como forma de cobrança no comércio. O processo é o mesmo dos tópicos anteriores. Ou seja, basta fazer a emissão no valor que precisa receber e enviar para quem deverá pagar.

Quais são as vantagens para uma empresa receber o pagamento por boleto bancário?

A transformação digital vem auxiliando a vida de todos em diversas atividades rotineiras, inclusive sobre os meios de pagamentos e recebimentos. Por ser um documento de simples emissão e sem muita burocracia, o boleto bancário representa uma facilidade a mais que as empresas podem oferecer para os seus clientes.

Sem contar que por meio de sistemas e plataformas simples você consegue fazer todo o gerenciamento das operações financeiras da sua empresa. Além desses pontos positivos, as principais vantagens de vender por boleto são:

  • segurança;
  • agilidade de emissão;
  • diversificação dos meios de pagamento;
  • mais econômico para a empresa e consumidor;
  • lembretes automáticos de vencimento;
  • amplia a sua rede de clientes (nem todos têm cartão de crédito).

O boleto bancário significou uma grande revolução dos meios de pagamentos e modernização dos sistemas bancários. Em poucos cliques você consegue gerar um boleto de cobrança ou pagamento.

Quer ter acesso a mais dicas sobre como gerenciar os seus meios de pagamento e receber o seu dinheiro com mais profissionalismo? Então, assine a nossa newsletter e fique por dentro de muito mais!

O Autor
Vice-presidente no Asaas
Gerar boleto

Esteja sempre bem informado sem pagar nada!

Cadastre-se e receba um e-mail semanal com as últimas novidades do blog.