4 coisas que autônomos precisam saber sobre a emissão de boletos

 

O recebimento por prestação de serviços por meio de emissão de boleto bancário faz parte da realidade brasileira. Pode-se dizer que é uma forma de recebimento simples se comparada ao cartão de crédito e que não pode ser desprezada, principalmente no comércio eletrônico.

Se você optou por oferecer essa forma de pagamento aos seus clientes, está no caminho certo. Muitos clientes deixam de fechar negócios pela excessiva burocracia no preenchimento de cadastros ou por existir apenas uma forma de pagamento.

E então, você como autônomo ainda não emite boletos na sua empresa? Confira estas 4 dicas e não perca mais clientes!

1. Escolha uma instituição para a emissão de boleto

Até pouco tempo atrás, para que você possa emitir boletos pelo banco ou por uma instituição financeira para receber pagamentos é necessário que a pessoa física tenha uma conta-corrente, sendo titular. Também era necessário ter as carteiras de cobranças.

Esse serviço pode ser contratado junto ao banco para gerar boletos bancários. A partir deles são geradas as identificações de pagamentos e esses são creditados diretamente na sua conta bancária.

Para contratar uma carteira de cobrança com seu banco, basta falar com seu gerente e expor que você quer passar a emitir boletos. O procedimento é simples, rápido e prático, e dependendo do seu relacionamento com o banco, pode ter o custo reduzido.

Outro caminho, mais comum hoje em dia para autônomos é a utilização de meios de cobrança/pagamento on-line…

2. Use os meios de pagamento on-line

Já está se tornando comum utilizar, no lugar da tradicional carteira de cobranças do banco, meios de pagamentos on-line. O mais utilizado no mercado é o ASAAS, líder no seguimento, e pelos autônomos, o mercado pago, o PagSeguro e o PayPal — que permitem que uma pessoa física emita boletos bancários de cobrança. Nessa modalidade, os boletos normalmente saem em nome de intermediários do pagamento.

Os meios de pagamento on-line representam uma forma rápida, prática e de baixo custo, pois necessita de um breve cadastro e pouca documentação. Não existe custo fixo: é cobrado um valor por boleto e nos demais meios de pagamento é cobrado um percentual sobre a venda.

3. Conheça os tipos de boletos

Caso você autônomo opte por esse tipo de pagamento para clientes, saibam que existem 3 tipos de boletos:

Boletos avulsos

São os mais comuns, usados para fazer as mais diversas cobranças. Por exemplo: uma escola pode se utilizar do boleto avulso para cobrar mensalidades, material didático etc.

Boletos em forma de carnê

Utilizados normalmente para quem cobra mensalidades. É um tipo de boleto que gera economia de tempo e dinheiro, pois você poderá gerar todas as mensalidades, enviando para o cliente em uma única postagem. Esse tipo de boleto deve ser pago em qualquer agência bancária.

Carnê simples

Caso você ainda não tenha conta-corrente, poderá usar o carnê simples. Esse carnê é para ser pago no próprio estabelecimento.

4. Utilize sites confiáveis

Muitos sites prometem emitir boleto em nome de pessoa física, usando seus dados para aplicar golpes. Fique atento a certificados de segurança e reclamações de consumidores.

Quando os sites são confiáveis eles geram custos extras, porque são intermediários entre você e o banco ou entre você e o serviço on-line de pagamento, cobrando por essa operação. É melhor cortar o intermediário e reduzir riscos.

Profissionalize seu negócio e deixe seus processos mais práticos com ajuda da tecnologia para alcançar novos consumidores automatizando a emissão de boletos. Dessa forma você conseguirá emitir carnês, controlar o status de pagamento e gerar relatórios, facilitando a gestão do seu negócio e aumentando as vendas.

Gostou do conteúdo? Então assine a nossa newsletter e esteja sempre por dentro das novidades!

Gerar boleto

Esteja sempre bem informado sem pagar nada!

Cadastre-se e receba um e-mail semanal com as últimas novidades do blog.